segunda-feira, 4 de abril de 2022

Impulso suicida na Europa e no mundo

Ainda é possível salvar o mundo! Suicídio coletivo: com voto ou sem voto? Governos falidos, imprensa confusa, empresários falindo, desemprego aumentando, pandemia matando, as Igrejas viraram partidos politicos, e as guerras aumentando, a violência se generalizando, a mentira virando regra e ainda temos o salve-se quem puder... Onde e quando melhoraremos nossa vida? Suicíduo individual: Perder as esperanças, ou, nao desistir de lutar pela vida? Os suicidas potenciais, nas crises, estimulam a união de suicidas, baderneiros, provocadores e oportunistas para, coletivamente, virar a mesa e tomar conta de tudo. O mundo anda doido, estranho e violento. E as pessoas andam inseguras, violentas e descrentes. Como recomeçar a viver com esperança, alegria e fraternidade? Dizem os políticos e os militares que, a melhor forma de se garantir a paz é preparando-se para a guerra. Nos últimos dez ou 20 mil anos, o que a humanidade faz é lutar para se defender, ou lutar para ampliar suas garantias... E tome guerras e violências por toda parte. As guerras militares são as mais violentas, pela sua capacidade de destruição em pouco prazo, alguns meses ou alguns anos. Morrem em nome da pátria, em nome de sua etnia e, o que é muito comum, matam e morrem em nome de seus deuses... Os deuses da guerra, na história da humanidade, estão mais presentes do que os deuses da paz. E, da destruição de quase tudo, sobra o trabalho de reconstrução e de acolhimento, para os deuses da paz. O curioso é que dficilmente identificamos quem vem primeiro: se é a fragilidade da economia, provocando pobreza e miséria e daí as guerras; ou, se são as consequencias das guerras que ns levam para a pobreza e a violência, se retroalimentando. Variando apenas os intervalos de meses e anos para novas guerras e novas armas, cada vez mais destruidoras... Quando o mundo começou a ter guerras que atingiram todos os continentes, a partir de 1914, o poder de destruição foi se multiplicando, pondo em risco a vida do próprio planeta. Mesmo com tanta loucura e destruição, há algo que nps ajuda a vencer. Uns acham que Deus intervêm, outros acham que o instinto de vida seja maior do que o instinto de vida. A verdade é que ainda temos vencido, isto é, temos conseguido mater a vida e o progresso, até dos intervalos violentos. O Brasil tem feito parte importante desta confusão. Os militares brasileiros tiveram momentos importantes como no Tenentismo e no golpe militar de 1964. Os empresários ensaiaram construir uma grande economia nacional, construindo com o apoio dos trabalhadores uma grande Nação. De repente, os empresários perderam à vontade de trabalhar e passaram a ser investidores em ações especulativas e entregaram o poder às multinacionais. Sem poder econômico, abriram mão também do projeto educacional, de saúde, de alimentação e de integração nacional. O Brasil perdeu competitividade. E, seu povo, perdeu a motivação, voltando a ser exportador de mão de obra barata e exportador de matérias primas, além de destruir a Amazônia, o Pantanal e tudo que tinha de bom... De repente, algo pode voltar a unir o povo brasileiro, unindo este país, do Amapá ao Rio Grande do Sul, e assim,democraticamente, respeitando as pessoas de todas as origens e de todos os níveis de renda, de repente pode crescer este clamor por um Brasil unido, democrático e solidário. Enfim, pode ser que ainda reste uma esperança, a esperança de um Brasil com todos, de todos e para todos. De todos os continentes temos ouvidos os apelos: Lula precisa voltar a ser presidente do Brasil. Lula precisa voltar a ajudar a acalmar o mundo, ajudar os povos de todos os continentes a conviverem em paz e praticando à Solidariedade. O mundo clama pela Paz. O mundo clama por pessoas como Lula! Um outro mundo é possível. Pela paz na Europa! Pela qualidade de vida em todos os continentes! Pela democracia participativa em todos os níveis.

segunda-feira, 28 de março de 2022

Vivo ou morto?

Vivo ou morto. Morto? Ou Vivo? Mais morto que vivo. Por se continuar vivo e pelo mal-estar em fingir-se de vivo. O corpo não acompanha a mente e vice-versa. Viver, é melhor que sonhar... já cantava Elis Regina, lembrando Belchior. Está muito caro fingir-se de vivo. A vida anda cada vez mais difícil para todos. Tudo vira despesas, o tempo, as companhias estão cada vez mais ocupadas com a sobrevivência. Entre a modernidade e a vida de antigamente, a vida antiga era melhor. Ontem, o viver era parte do sonhar. Hoje, o viver é parte dos pesadelos, das mediocridades e do vale-tudo. Principalmente da falta de ética. Quem é pior: Bolsonaro, Putin ou Biden? Porque tanta internet, tanta linha direta, trazendo a violência para nossa sala de jantar? Como romper com esta loucura coletiva? Vivendo e aprendendo a jogar.... Voltamos a Elis Regina, desta vez, cantando Guilherme Arantes.

sexta-feira, 25 de março de 2022

Brasil pentecostal se apropria dos Governos

A Folha prefere os pentecostais... Mesmo não se declarando formalmente, é evidente que as matérias publicadas pelo jornal Folha, dá mai espaço às alianças entre os Evangélicos Pentecostais e os conservadores neoliberais. Como assim? A Folha sempre deu espaço aos intelectuais e setores mais progressitas... Intelectualmente sim, mas, economica e politicamente, a Folha continua neoliberal, aliada aos Estados Unidos em seu conservadorismo e às empresas americanas. Como oa evangélicos pentecostais, tipo Edir Macedo, estão mais preocupados em ver suas Igrejas crescerem economicamente, a Folha se alia as evangélicos alienados politicamente, para combater as ideias progressistas e de inclusão social dos setores progressistas e de partidos como PT, PSB, PC-B e PDT... Esta discussão não pode ser abstrata, precisa ser traduzida para o dia à dia docidadão comum. Por exemplo, garantir investimentos e prioridade nas Políticas Públicas, garantindo-se Escolas Públicas de qualidade, assistência médica de fácil acesso, viabiliar moradia popular e transporte coletivo ágil e de qualidade. Tudo isto custa dinheiro, investimento? Custa. Mas é garantindo formação qualificada que vamos poder competir no mercado internacional. São dois modelos de economia, de política e de qualidade de vida. As eleições são momentos oportunos para se fazer este debate e sr garantir compromissos públicos de mudanças de qualidade de vida na prática. A imprensa tem grande responsbilidade na qualificação do povo brasileiro.

quinta-feira, 24 de março de 2022

Aniversário de Paul Singer e a busca da Frente de Centro--Esquerda

Paul Singer, nosso último romântico? Na minha agenda trago registro de datas de pessoas como prof. Paul Singer, Dom Paulo Evaristo Arns e tantos outros que ajudaram e continuam ajudando a melhorar a vida e o mundo... Hoje, a Folha publicou que Paul Singer chegou ou chegaria aos 90 anos. Nos meus registros aparece com 88, não sei porque. A Folha resolveu voltar ao Centro ou continua indo para Direita? Convivi bem com o Professor Singer, com André Singer, estive em varias reuniões no apartamento do professor em Higienóois, onde, por ironia, vim morar na Rua Itacolomi. Um bairro de muitas histórias e onde muita gente gosta de tomar um cafezinho e contar suas lembranças... Tivemosmuitas tividades juntos, na ADS-CUT, Agência da Desenvolvimento Solidário da CUT, onde o professor era a maior liderança. Ainda não li o artigo de Helena Singer e Marcelo Gomes Justo, dirigentes do Instituto Paulo Singer, mas imagino que deve ser muito bom. Imaginar o professor falar sobre a violência na Ucrânia, na Rússia e em todos os envolvidos na OTAN e nas batalhas espalhadas pelos continentes, a maioria bancada pelo dificuldade em lidar com a economia solidária e o respeito à democracia. Sim, os defensores do Socialismo Democrático, continuam em minoria, como poder, mas somos maioria no mundo, como seres humanos com suas diversidades, suas religiões e suas tradições. Faço parte da Fundação Mario Covas, como faço parte do Instituto Cajamar, da CUT, do PT e de tantas outras instituições... É preciso semear, divulgar os resultados, errar e acertar, sobreviver e contar as histórias para mudar o presente e o futuro. Lula conquistando mais uma vez a presidência da República, teremos imensos desafios. Bem maiores que os anteriores. Lula continuará a ter o grande papel de liderança maior da nossa história. Mas é preciso amar, ser solidário e respeitoso com todos que não se sentem socialistas, democráticos nem preocupados com a Economia. Quem sabe, depois de anos tão perigosos como os atuais, o que Paul Singer, Lula e todos nós, tenhamos um mundo com mais amor e solidariedade. Como é bom lembrar do professor Paul Singer...

terça-feira, 15 de março de 2022

Vamos antecipar a posse de Lula?

O mundo enlouqueceu e nós pagamos a conta? Porque, na época de Lula-presidente, tinha emprego, renda, escola, comida e até viagens nas férias; e agora falta emprego, falta renda, a escola piorou e ficou mais cara, o preço da comida dolarizou, e não se viaja mais? Os funcionários públicos, concursados, imaginavam que os governos e os políticos NÃO reduziriam seus salários, e estão reduzindo suas rendas, seus convênios médicos e seus benefícios? Os únicos setores que os governantes, os políticos e os patrões, não prejudicam são: juízes, militares e os parlamentares. Porque não se usa critérios únicos para todos os brasileiros e brasileiras? Somos diferentes, mas precisamos ter uma margem de direitos e deveres, que nos estabilizem, nos permitam trabalhar, ter família e uma margem de qualidade de vida que nos dê segurança. O Brasil enlouqueceu; a Europa entrou em guerra na Ucrânia e pode virar guerra atômica; a imprensa enlouqueceu e mente junto com os governos, o povo vai ficando mais religioso, a saúde impagável e as eleições não estão resolvendo nada. Que fazer? Que fazer? Vamos ter que esperar até o ano que vem, quando Lula tomará posse? Como podemos diminuir nosso sofrimento? Vamos antecipar as eleições e a posse do presidente?

sexta-feira, 11 de março de 2022

A guerra no Leste europeu contamina o mundo

A Pandemia contaminou o mundo... O mundo, depois das guerras mundiais,parecia que caminhava para ser integrado e feliz. No entanto, transformar 8 ou 9 bilhões de pessoas em consumidores qualificados, saudáveis e viajando pelo mundo não é fácil. O mundo está à beira de um ataque de nervos, como diz Almodovar... Com qual dinheiro se transformaria a África em um continente com qualidade de vida saudável, com empregos, paz e novas esperanças? A China é o país que tem mais apoiado os povos do continente africano... A China está construindo a Nova Rota da Seda e gerando mais empregos, mais turismo e melhor qualidade de vida... A China já é o maior parceiro comercial da Argentina. A China, silenciosamente, acompanha e interfere na guerra que vem acontecendo entre a Rússia e quase todos os países que estão apoiando a Ucrânia. Todos sabemos que, por trás da Ucrânia estão os Estados Unidos. Todos sabemos que, depois da invasão do Iraque pelos americanos, as guerras Híbridas só tem se ampliado, ficando claro que os Estados Unidos já não tem a força do seculo passado. É importante destacar que, mesmo perdendo força, como um leão que já não consegue proteger sua grande família, os Estados Unidos ainda são poderosos... Nada será como antes, já cantava Milton Nascimento. Mais uma vez, o mundo se junta para, oportunisticamente, derrotar adversários do passado e do presente. A Rússia foi fundamental para derrotar o nazismo; mas não soube cantar como um passarinho e transformar a imagem e o desejo do novo, como algo libertário, aberto e sem medo de ser feliz. O sistema fechado e paranoico implantado pelos comunistas não tinha capacidade de concorrer com o capitalismo consumista... Daí que, cresce o modelo chinês de produção capitalista, porém, sem liberdade. O modelo americano de interferência e derrubada de governos também é antidemocrático. Esta guerra da Rússia já contaminou a economia brasileira, aumentando o preço de tudo, inclusive aumentando nosso medo em levar o mundo a uma Terceira guerra mundial. Todos precisamos apoiar a luta pela paz, pela liberdade e por melhores condições de vida. Para salvar a humanidade, precisamos salvar o Planeta Terra. Unidos somos muitos, juntos, somos fortes.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

Uma biografia de João Gilberto escrita por Zuza

Passar uns dias lendo a biografia de João Gilberto, escrita por Zuza Homem de Mello é ouvir os Deuses do Olimpo falarem da Terra. O Brasil atual está muito doente. Todos nós estamos doentes ao ver um país que foi tão bonito e tão esperançoso, transformar-se num país tão medíocre. O que fizeram com o Brasil? Como recuperar o Brasil? E neste redemoinho, consolado pelas histórias de João, o jeito maravilhoso de Zuza falar, João parte para cantar para os deuses. Nosso pai, que não demonstrava preferências por esta ou aquela música, mas teve todos os seus filhos gostando de música, partiu neste dia 22 de Janeiro. A pandemia impediu que cantássemos no seu enterro... Vivemos um Brasil sem João, sem Zuza e sem nosso pai. Vamos ter que recomeçar tudo de novo. Fazer como João, procurar nos albuns de fotografias, as lembranças das escolas, dos cultos religiosos e do nosso desabrochar na adolescência e nas paqueras... Como dizem os chineses: O que são dez anos, perto de 5oo? Ainda temos tempo para salvar o Brasil. Os João, Os Zuza e os Otávio estarão sempre nos estimulando a lutar, resistir e vencer...