terça-feira, 21 de setembro de 2021

Taichi, serra elétrica e sabiá

Taichi, serra elétrica e sabiá Depois de acordar às seis horas para se preparar para o Taichi, ao ir à padaria deu de cara com um carro da prefeitura de Sã Paulo dizendo-se especializada em remoção de árvores. Para minha surpresa os homens vieram para mexer nas árvores em frente do nosso prédio. Mesmo antes de começar o Taichi, o barulho da serra elétrica já incomodava. Eu pensava comigo mesmo, talvez a arvore esteja bichada... mas ninguém viu uma faixa ou um cartaz informando nada. Como cantava Adoniran: São os homens das ferramentas, que o dono mandou derrubar... Começamos o Taichi às 8:00h, às 9;30, quando concluímos a aula, o som da serra elétrica continuava. Às 10:15h ainda continua e parece que vão derrubar a árvore. Sem a árvore, não vamos poder ouvir o sabiá cantar na nossa janela. Mesmo que plantem outra árvore, esta levará vários anos até poder receber os pássaros e ouvir seu canto. E quando a sensei (professora) no Taichi dizia... “mais uma vez”, parece que os homens da serra elétrica ouviam e começavam o barulho da serra elétrica. A vida anda assim, quem tem cargo – público ou privado – faz as coisas, sem se sentir na obrigação de informar o porquê. E quando o povo se recusa a ir votar nas eleições, em vez de pesquisarem porque tanta ausência, os homens dizem que o povo é preguiçoso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário