quinta-feira, 9 de setembro de 2021

Carta de Amor e Gratidão ao Brasil

Carta de Amor e gratidão ao Brasil Amanhã, 10 de setembro, nosso irmão mais velho faz aniversário. Nasceu em Miguel Calmon, na Bahia, cidadezinha perto de Jacobina... Como era a regra na época, depois dele nasceram em Miguel Calmon mais dois irmãos e uma irmã. Como o Brasil estava crescendo, nosso pai conseguiu emprego formal no DNERu – Departamento Nacional de Endemias Rurais, em Inhambupe, onde nasceram mais dois irmãos e uma irmã. Depois de alguns anos morando em Inhambupe, nosso pai foi transferido para Serrinha, onde estabelecemos nossa vida. Ser filho mais velho sempre foi difícil, desafiador e sacrificante... Givaldo, o aniversariante, sempre foi dinâmico e bom no que fazia. O tempo foi passando, todo mundo estudando e foi surgindo o desafio para Givaldo como primogênito. Que fazer da vida? Ficar em Serrinha ou cair na vida em busca de um futuro? Givaldo já trabalhava na Ancarba em Serrinha e conseguiu transferência para Feira de Santana, maior cidade do interior da Bahia. Morando em pensão, conheceu uns rapazes que trabalhavam de dia e à noite estudavam para concurso do Banco do Brasil. Jovem, magrelo, inteligente, gostou da ideia de estudar para prestar concurso e começou a estudar firme. Enquanto ele estudava, nossa mãe que era muito crente em Deus e em Nossa Senhora, fazia novena para Givaldo conseguir passar no Concurso. Todo os dias de novena, os seis irmãos rezavam juntos com a mãe para que Givaldo passasse. O Senhor escutou as nossas preces e Givaldo foi aprovado no concurso para o Banco do Brasil onde tomou posse no município de Rui Barbosa. Já trabalhando no banco, descobriu que, para fazer carreira, precisa fazer outro concurso interno. Estudou, estudou e estudou todos os dias e assim conseguiu mais uma vitória. Casou-se em Rui Barbosa, com a filha de um fazendeiro, e depois foi morar em Brasília e trabalhar na matriz do banco. Graças a esta liderança extraordinária de Givaldo, e ao fato de os governos acreditarem na importância do serviço público criando empresas para fomentar progresso e riqueza para o povo brasileiro, o segundo filho também pegou a estrada e veio estudar e trabalhar em São Paulo e todos fizeram este ritual de passagem. Givaldo é o maior orgulho da família, tanto por ter estudado, trabalhado e ter sido fundamental na ajuda a família na aquisição dos primeiros eletro-domésticos. Foi graças a ele que saímos do fogão a lenha para fogão a gás. Vocês sabem o que é isto? Milhões de famílias brasileiras tiveram o mesmo tipo de História de Givaldo e da nossa família. Se conseguimos ter bons empregos, conseguimos ter estudado em boas faculdades, sendo médica, físico, administrador, artista plástica, arteterapeuta e professora de Artes, economista, matemático e arquiteto e contador, tudo isto foi por ter uma família unida, solidária e que contava com boas políticas públicas. Esta é uma História do Brasil que deu certo. Ultimamente, conhecemos mais histórias do Brasil que NÃO DÁ CERTO, do que histórias de sucesso e de alegria. Precisamos voltar a construir o Brasil que nos orgulha, que nos acolhe e que nos protege. Queremos chamar todos os aniversariantes que deram certo, como Givaldo, Dom Paulo Evaristo Arns e tantos outros que tem lindas histórias para contar, queremos dizer nosso obrigado a vocês. Queremos dizer que o esforço da cada um de nós, mais o apoio das políticas públicas e o amor pelo Brasil tudo isto faz da nossa vida um grande sucesso. Nestes dias de ódio e rancor, quando as pessoas reclamam dos governos, da imprensa, e da vida, temos certeza que se houver humildade, respeito e solidariedade nós voltaremos a ser feliz. Não podemos, nem devemos ter medo de ser feliz. Parabéns, Givaldo. Aquele abraço!

2 comentários:

  1. Parabéns Gilmar, este é o Brasil que dá certo. Vocês são os brasileiros que constroem o Brasil. Essa é a família do bem. Abração.

    ResponderExcluir
  2. Emocionante essa carta Gilmar. Vamos lutar muito para em 2022 recuperar o Brasil que deu certo.

    ResponderExcluir