domingo, 1 de agosto de 2021

Brasil: resta uma esperança. Ainda temos Lula

Brasil, resta uma esperança. Ainda temos Lula Aprendendo com os erros e os acertos Quando queria escrever sobre o que pensa e faz cada segmento dos brasileiros, quando chegava nos empresários, não conseguia saber qual é a posição do empresariado brasileiro sobre o Brasil e a imensa crise gerada com a eleição de Bolsonaro para presidente, parece que “jogaram a toalha e desistiram de ter um projeto nacional e estão aceitando ser meros coadjuvantes da economia internacional, subordinando-se aos americanos”. Quando pesquisamos sobre quais os setores da economia que ainda permanecem nas mãos dos brasileiros, demorando para lembrar algum. Depois de pensar muito, lembramos do agronegócio, da imprensa e dos bancos. Não acredito que sejam o que são por serem nacionalistas. Estes também são aliados/subordinados dos Estados Unidos. De repente, dois representantes expressivos do maior banco brasileiro – o Itaú – aparecem na Folha falando sobre o Brasil e as eleições do ano que vem. O primeiro foi Bracher, ex-presidente do banco, sócio minoritário e representante do BBA, banco de investimento muito conceituado que foi incorporado pelo Itaú. Depois de aposentar-se do banco, Bracher começou a escrever um artigo mensal na Folha. Criada a expectativa, por ser uma pessoa de boa formação, estuou no exterior, fala várias línguas e atuou no setor financeiro – mais lucrativo do Brasil. Escreveu bonito, mas, quando foi falar das eleições do ano que vem, escorregou ao falar de Lula. Pegou mal e ele procurou minimizar o mal-estar. Neste domingo, a Folha publica uma página inteira de entrevista com Neca Setúbal. Uma das herdeiras do banco, de forma formação mas sem atuação direta na gestão do banco. Uma entrevista impecável. Mesmo quando fala de Lula, fala com muito cuidado e responsabilidade. Reforça-se a avaliação de que os empresários, aos poucos, vão se convencendo que Lula deve ganhar as eleições do ano que vem. Lula já provou ser um democrata, um bom gestor, foi o melhor presidente que o Brasil já teve e ajudou todos a ganharem dinheiro e qualidade de vida. Não há do que ter medo de Lula. Porque, então, os empresários preferem Bolsonaro, ou qualquer outra pessoa que possa ser chamado de “terceira via”, para se opor a Lula e ao PT? Preconceito social e de classe, além da .... é claro, como canta Chico Buarque. Lula só fez bem para o Brasil ate agora. Porque fazer com Lula como se ele fosse um demônio que vai destruir a economia brasileira? Lula tem tudo para fazer nova transição. Ajudar o Brasil a recuperar sua credibilidade nacional e internacional; recuperar o crescimento econômico com geração de trabalho e renda; reorganizar a Educação e as Políticas Públicas. Lula é a pessoa com mais disponibilidade para restabelecer um pacto social pelo Brasil, pelo combate à pobreza e à ignorância. Em vez de Lula botar um banqueiro no ministério da Fazenda, como dizem alguns representantes do “mercado”, talvez seja oportuno se pensar em Neca Setúbal para o ministério da Educação. E Haddad para governador de São Paulo. É possível sonhar? São Paulo precisa pensar mais no Brasil como parceiro, em vez de tratar o Brasil como um fardo. Sonhar, todo sonho impossível... Lula é um sonho possível. Juntos, o Brasil do futuro voltará a ser o Brasil do presente. Sem medo de ser feliz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário