domingo, 15 de agosto de 2021

Brasil – A maioria está com medo e perdendo a paciência

Brasil – A maioria está com medo e perdendo a paciência Da maldade, do ódio e da violência generalizada. Os brasileiros que defendem a democracia, a paz e a justiça social são muito mais numerosos e corajosos do que os golpistas covardes que vomitam ódio e violência. Palavras de Miram Goldenberg, antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro, publicadas na Folha deste domingo, 15/08/2021. Assaltos à mão armada, assassinatos sem reação a furtos e roubos, assaltos nas saidinhas de agências bancarias com dinheiro, roubos com aumentos abusivos em tudo que precisamos. Desemprego, arrocho salarial, confisco de salários e renda dos aposentados, aumento dos valores das mensalidades escolares, aumentos nas gasolinas e nos alimentos... Tudo isso combinado com a falta de proteção efetiva para as famílias, à falta de perspectiva e com a ameaça diário de novo golpe Estado. Roubar telefones, invadir nossos computadores, invadir nossas contas bancárias e violentar nossa vida privada, isso tudo desestabiliza o dia a dia das pessoas e estimula reações violentas. Ou vai se resolver esta insegurança generalizada no voto, portanto, garantindo-se a realização de eleições livres e respeitadas, ou, se tentarem melar ainda mais a nossa frágil democracia, o pau vai comer. A democracia, o estado de direitos, a liberdade de imprensa, a redefinição das responsabilidades dos poderes e das instituições NÃO SÃO mais importantes do que a garantia de um nível mínimo de qualidade de vida que inclua moradia, escolas e hospitais acessíveis, empregos, trabalhos, alimentação e o direito ao lazer e à cultura. Vivemos uma profunda crise de legitimidade. Quem fala por quem? Para que ter eleições se não impedir os abusos, a violência e a corrupção?

Nenhum comentário:

Postar um comentário