terça-feira, 31 de agosto de 2021

Brasil: Eleições, golpes de Estado e corrupção

Brasil: Eleições, golpes de Estado e corrupção Brasil: lugar de corruptos, corruptores e cúmplices? Sem medo de ser perguntado e sem medo de responder O sistema partidário e eleitoral no Brasil é estimulador de ilegalidades nas campanhas eleitorais e nos mandatos os políticos têm imagem de corruptos; os que vivem fazendo sonegação e pagando propinas, gostam de acusar o serviço público como se o serviço privado fosse 100% honesto. Enfim, predomina no Brasil atual que somos um país de corruptos, corruptores e cúmplices por saber e conhecer pessoas que praticam ilegalidades mas não tomam providências. O PT surgiu como uma grande esperança de política voltada para o social, e que não se lambuzaria na estrutura dos poderes públicos, nem iria se locupletar com o setor privado, como fez Sérgio Cabral, governador do Rio de Janeiro. Depois de passar por grandes tempestades sobre o partido, com os processos chamados de “mensalão” e “lava jato”, onde “o que menos interessava era a verdade”, na iminência de reeleger Lula presidente e uma grande bancada nacional em 2022, temos muitos amigos e eleitores do PT que gostariam de ouvir e ler explicações mais consistentes sobre o grau de verdades e de mentiras que existe nisso tudo. Todos sabem que o fato de um corrupto denunciar outro corrupto, não isenta nem um nem outro. Sabemos que Jefferson é bandido e que a operação lava jato foi uma farsa para tirar Dilma e o PT do governo, mas gostaríamos de saber mais. Aos 5 anos do golpe contra Dilma, tem muita gente arrependida de ter dado carta branca a Bolsonaro e seus malucos e quer voltar a votar em Lula e no PT, mas gostaria que o partido explicasse melhor certas dúvidas. E estas pessoas se sentem no direito de perguntar, por exemplo: 1 - Por que a oposição ajudou a aprovar o Aras? 2 – Por que o PT defendeu Batisti, o italiano que matou gente na Itália e se fazia de esquerda no Brasil? 3 – Por que tanto apoio a Maduro? 4 – Nas manifestações de rua contra Dilma, além dos golpistas profissionais, tinha muita gente simpatizante da esquerda. A maioria não era de direita-golpista, era de jovens que queria que o partido avançasse mais na modernização do Brasil. O que o PT fala disto? 5 – Por que o PT não reconhece que foi um erro político a reeleição de Dilma? 6 – Mesmo que Lula ganhe todos os processos contra ele, há acusação do uso de “Caixa 2”, nas campanhas eleitorais, mesmo reconhecendo ser ilegal. Como o partido explica isto? Vou ouvir algumas lideranças sindicais e partidárias e depois vou responder todas as seis perguntas. O preço da liberdade, além da eterna vigilância, é preciso se garantir a transparência na gestão pública e privada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário