quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Ações das empresas e capitalismo em movimento

Ações das empresas e capitalismo em movimento Para Dema e Gilton, o físico e o economista. Variações sobre o mesmo tema. 1 - Antigamente os negócios pertenciam às tribos, isto é, as caçadas, os plantios, as colheitas, enfim, tudo que fosse necessário para a sobrevivência da tribo era conquistado coletivamente. Mesmo que tivesse um chefe ou um rei. 2 - Com o passar do tempo, foram surgindo várias tribos e vários reinos que conviviam pacificamente ou de forma subjugadas – conquistadas. As os negócios foram se diversificando e precisando ser REGULAMENTADO, isto é, os negociantes precisaram ter papéis, de tecidos, de couros e mesmo de metais, onde eles escreviam ou desenhavam como estavam definidos os bens e seus usos. Incluindo aqui escravos de todas as espécies humanas. 3 – Com o uso da navegação, os percursos ficaram cada vez mais distantes, tornando necessário ter algo leve que registrasse os negócios, surgindo daí as MOEDAS e CERTIDÕES OU TÍTULOS. 4 – Tão importante quanto a invenção da moeda, foi a descoberta ou invenção dos NÚMEROS. Imaginem registrar dez mil soldados, com suas comidas, roupas, salários, etc? Depois da descoberta dos números surgiu o ZERO., facilitando muito a multiplicação e a divisão. Superando o somar e diminuir. 5 – Com o crescimento dos povos e do comércio, surgiu a necessidade da CONTABILIDADE PADRONIZADA. Convertia-se bens em valores e se fazia a contabilidade dos recursos e dos bens. Vacas, cavalos, armaduras, comida, cada produto tinha seu valor, que somados dava o um grande, com o tempo, além de chamarem de créditos e débitos, surgiu também os ATIVOS e PASSIVOS. Sendo Ativos os recursos de uso mais frequentes, os Passivos, os mais duradouros, como imóveis e o capital das empresas. 6 – Que diabo de CAPITAL é este? Lembram da parábola do filho pródigo? Aí já se fala em herança, distribuição do que tinha direito em dinheiro e em ganhos e perdas. Uns tinham e tem mais patrimônio do que outros e isto pode ser mensurado e transformado em CAPITAL. 7 – Na época dos descobrimentos, para se construir navios e contratar muita gente para atravessar os mares em viagens que demoravam anos, fossem os reis ou os capitalistas, fazendeiros, senhores feudais e moradores nos burgos, pequenas cidades e castelos, onde existiam novos ricos que chamavam de burgueses... 8 – Já viu falar de dinheiro, de capital, de burgueses, de contratados ou assalariados... 9 – No século XV, antes dos 1.500 quando se descobriu as Américas, os holandeses inventaram as COMPANHIAS DAS ÍNDIAS. Estas companhias, eram criadas por associações de várias famílias, cada uma participando com uma parcela do dinheiro que formava O CAPITAL DO NEGÓCIO chamado Companhia das Índias. 10 – Como cada Companhia era composta de muitas famílias, que colocavam os mais diversos recursos e nas datas mais distintas possíveis, os holandeses criaram uma espécie de dinheiro chamado de AÇÃO. Algo vivo e ágil. 11 – As ações ajudaram muito os negócios e os holandeses – chamados de Países Baixos, começaram a sentir que os outros países queriam copiar o seu sistema. Como a Inglaterra era próxima e mais forte, os holandeses fizeram alianças com eles para combater a pressão do reino da Espanha, que contava com a proteção do Papa. Todos católicos e era o protetor ou tutor dos holandeses. Daí surgiram guerras entre católicos (espanhóis) e protestantes (ingleses, alemães, suíços, holandeses, etc) contra a Espanha e os reis Habsburgos que contavam com o apoio do Papa e das armas dos católicos... 12 – Se, de um lado, os holandeses criaram as ações, os venezianos católicos ajudaram a criar a CONTABILIDADE e os Livros Contábeis. 13 – A Inglaterra, que não perdia tempo rezado missa, começou a fazer comércio marítimo e também a construir navios de guerra para proteger seu comércio e para tomar o comércio dos outros. Assim, a Inglaterra, quanto mais guerreava mais forte ficava. E foi conquistando mais terras, mais portos marítimos até derrotar a Holanda, depois derrotar a Espanha, derrotou a França, até chegar um dia que derrotou a Índia e a China. Tudo isto, conquistando também a América do Norte, a mais nova fronteira mundial e que iria mudar os tempos modernos. 14 – A Inglaterra, com seu espirito guerreiro e capitalista-feudal, criou máquinas industriais, criou bancos e o maior império da Terra. O Sol não se punha no Império britânico... 15 – Com tantas terras, tantos navios e tanta gente pra cuidar, a Inglaterra teve que criar um sistema mundial de padronização dos bens, serviços e guerras. Daí que, além de ter o Sistema Mundial de Bancos, a Inglaterra criou a Bolsa de Valores para negociar ações, títulos e dívidas... Surgia o capitalismo e a Revolução Industrial. 16 – O crescimento da Inglaterra propiciou também o crescimento de algo que ficaria maior do que a própria Inglaterra. Das entranhas da Inglaterra surgiu os Estados Unidos da América, com a Bolsa de Nova York, as Forças Armadas americanas e sua vocação para o imperialismo e a subordinação dos concorrentes. Por ironia do destino, a cidade de Nova York foi fundada pelos holandeses nos velhos tempos e depois foi “vendida” aos ingleses. 17 – Se a Inglaterra dirigiu a criação do capitalismo, o melhor resultado do capitalismo foi feito pelos americanos. 18 – Neste mundo unificado, as empresas pequenas passaram a ser chamadas de LTDA – Limitadas, como o nome diz, controladas por famílias e sendo pequenas. 19 – As empresas grandes, precisaram ter dinheiro para tocar seus negócios e, quando precisavam de novos investimentos, tomavam dinheiro emprestados dos governos, dos banqueiros e dos grandes empresários. 20 – Com o crescimento das cidades e dos países, surgiu a possibilidade de se ampliar o acesso de mais famílias que tivesse dinheiro e que quisesse investir nas Bolsas de Valores. - O capitalismo se popularizava. 21 – Outro momento importante da expansão das Bolsas foi a dimensão que as guerras tomaram. Longas, envolvendo vários países, muita gente e muito dinheiro. Muitas vezes, o país ganhava a guerra militar e perdia a guerra financeira. Isto ainda antes da Quebra da Bolsa de Nova York, 1929, antes da primeira guerra mundial. 22 – A indústria automobilística mudou a cara do mundo. A aviação e as ferrovias encurtaram os continentes e surgiu a Sociedade de Consumo. A orgia capitalista. 23 – As empresas passaram a ser LTDA – limitadas, com capital fechado, e surgiram empresas médias e grandes com Sociedades Anônimas – S.A. – com ações ordinárias – dos donos verdadeiros – e com ações preferenciais – de investidores, com garantias de lucros mas sem poder de dono. Mas tarde surgiram Debêntures – títulos com valor de dinheiro e conversíveis em ações. 24 – Como os bancos cresceram muito, ficando inclusive maiores que países, foi necessário criar os Bancos Centrais, cada país tendo seu Banco Central, para acompanhar e regulamentar o dinheiro, evitando ou diminuindo as falências e os calotes – existentes até hoje. Surgiram também a separação entre bancos comerciais grandes e pequenos, e os bancos de investimentos – que não têm agências bancárias. 25 – Com esta separação, o capitalismo e o mundo ficaram nas mãos dos banqueiros e estes passaram a ter mais poder que os governos e os países. Fez muito sucesso a historia do megainvestidor que especulou com o dinheiro e os títulos do Banco de Londres e quebrou o banco... George Soros e a Inglaterra. 26 – Estamos entrando em uma nova fase do capitalismo financeiro com os investidores estarem em toda parte do mundo, pressionando por mais ganhos, pressionando pela defesa de suas aposentadorias – muitos investem em Fundos de Investimentos de aposentados e pensionistas. E estes apoiam guerras e golpes de Estado como forma de proteger seus investimentos. 27 – Além das crises do sistema financeiro como a de 2008 e as posteriores, temos a presença da China continental, ou também conhecida como China Comunista. Esta está fazendo o papel que os Estados Unidos fizeram no século XX, só que a China está mais para Capitalismo de Estado do que os Estados Unidos, que perdeu velocidade e mostra-se como “um tigre cansado”, como dizia Mao Tsé Tung, antes da revolução capitalista na China. 28 – O mundo está em movimento, o protestantismo que foi o espírito do capitalismo, não está conseguindo impedir o crescimento chinês confuciano e assim estamos no meio da tempestade, sem saber onde a Arca de Noé vai ancorar quando as águas baixarem. Texto elaborado a pedido de meu irmão, físico, músico e pensador, professor Gildemar Carneiro dos Santos. Espero que tenha correspondido às expectativas dele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário