quarta-feira, 12 de maio de 2021

Inflação dispara, preços sobem e o povão paga à conta

Disparada nos preços leva famílias ao desespero A pressão inflacionaria aumenta em todas as economias. Os alimentos têm boa participação nessa escalada. Estados Unidos e Brasil estão com intensas altas internas de preço. Os países compradores, mesmo com o aumento nos preços, estão comprando. A alta dos preços começa no campo Em alguns produtos, como o milho, o aumento chegou a 208%, no período de maio de 2019 a maio de 2021. A alta dos alimentos ajudou a inflação a atingir as maiores variações mensais. No Brasil, os produtos agropecuários acumulam alta de 52% no atacado em 12 meses. Mesmo que os preços das commodties agropecuárias se estabilizem, os patamares já atingidos retiraram parte da população de baixa renda do mercado. A soja, apesar da safra recorde de 137 milhões de toneladas, mantém preços recordes e acumula aumento de 137% nos últimos dois anos. O segundo produto mais importante da pauta do Brasil, o milho, também está com preço recorde, e sem sinais de queda. As carnes suínas e de frango já acumulam alta de 165% e 137% nas grandes, respectivamente, desde maio de 2018. RUIM para os consumidores, os preços das commodities engordam os lucros dos produtores. Essa evolução externa de preços ganha dimensão ainda maior para o produtor nacional devido ao dólar. A pressão de custos na produção será mais um fator para a manutenção de preços internos elevados para o consumidor, embora o espaço para repasse seja pequeno, devido à perda de renda interna provocada pelo DESEMPREGO. ( Este texto é uma síntese do artigo de Mauro Zafalon, publicado na Folha de ontem, 11/05/2021, página A18). Quatro tragédias estão trazendo sofrimento para o povo: 1 – A pandemia que já matou mais de 410 mil pessoas em todo Brasil; 2 – O desemprego que já atinge mais de 14 milhões de pessoas; 3 – O aumento geral dos preços que, junto com a pandemia, torna o brasileiro mais pobre do que era há alguns anos atrás; 4 – A incapacidade do governo Bolsonaro em saber combinar o combate à pandemia, com o combate ao desemprego e a retomada do crescimento econômico. Resultado: É o povão que está pagando a conta...

Nenhum comentário:

Postar um comentário