quarta-feira, 3 de março de 2021

Ser vacinado. Quando o direito e o dever deixam de existir

O mundo em crise e o Brasil só vacinou 3% da população. Comemorar o quê? No começo era o caos. Como enfrentar este inimigo que ninguém vê? O Brasil, que sempre foi zeloso em defender o seu povo, de repente o país acompanha uma disputa política entre o presidente da República, os governadores e prefeitos. Todos reclamando da demora de o governo federal resolver as coisas... Antes ninguém tinha vacina. Estávamos todos no mesmo barco... Agora há várias vacinas e o Brasil continua com tão poucas vacinas que, cada vez que alguém na família consegue ser vacinado é uma festa na família, no bairro e nos locais de trabalho. Hoje em dia, ganhar na megasena tem menos importância que ser vacinado. Até os noticiários, onde os jornalistas apareciam sempre sorrindo e cheios de ânimos, agora, com o aumento das mortes nas filas dos hospitais, até os jornalistas aparecem tristes, sisudos com tanto sofrimento. Teremos que esperar até 2022 para trocar o presidente da República e eleger alguém mais sério, competente e que priorize o povo em vez da demagogia e a mentira? Vivemos uma mistura de descrença e desepero. Que país é este?

Nenhum comentário:

Postar um comentário