terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

Um outro Congresso Nacional é possível e necessário

Eleições limpas no Congresso como 2 + 2 são 5. Um outro Congresso Nacional é possível. Uma confusão de siglas partidárias (35 partidos políticos), Mais de 500 deputados e senadores votando mais em causa própria do que pensando no povo brasileiro. Algumas perguntas: 1 – Como se explica que 5 partidos de centro e esquerda tenham mais votos que os 30 partidos de centro direita? Como foi no caso de Lula e Dilma para presidente da República? 2 – Como se explica que Lula, mesmo tendo sido eleito presidente do Brasil e tendo apenas 1/3 (um terço) dos deputados e senadores, ele conseguia maioria para aprovar suas propostas de recuperação dos salários, criação de faculdades públicas em todos os Estados, melhorou muito a imagem internacional do Brasil e chegou a vender 8 milhões de automóveis num ano? 3 – Como se explica que esta mesma maioria de 2/3 (dois terços) de parlamentares, conservadores e neoliberais, que antes apoiavam Lula, agora vote a favor de reformas que destruíram empregos, salários, empresas e serviços públicos? 4 - Como se explica que políticos como Doria, do PSDB, que só se elegeu governador porque teve o apoio de Bolsonaro, agora montem chapa contra Bolsonaro? Os votos que elegeram governadores do MDB, do DEM e do PSDB, foram dados por eleitores que votaram em Bolsonaro para presidente. 5 – O mais difícil ainda de entender, é porque os partidos de centro-esquerda participaram de chapas de maioria de parlamentares que apoiam Bolsonaro e/ou votaram nos projetos contra os trabalhadores e contra a esquerda? 6 - Se o Brasil quiser ter um sistema político modelo europeu, precisamos combinar melhor a regra do jogo. Por exemplo, a impressão que temos do sistema eleitoral atual é que o que importa para os candidatos é se eleger, mesmo que para isto se junte com Deus e o diabo, gente honesta e gente desonesta. Depois de eleito, novamente o que importa é ter uma boa relação com os governantes, com os empresários e com quem consiga votos para reelege-los. Criando assim o cabo-eleitoral profissional e remunerado. 7 – O sistema eleitoral atual no Brasil, também conhecido como Vale-Tudo, é praticado como uma farsa até a eleição, outra farsa para depois de eleitos e outra farsa quando o judiciário e a imprensa dizem que não beneficiam seus candidatos... 8 – Agora, vamos imaginar um sistema eleitoral onde a prioridade seja a governabilidade dos governantes, logo, o executivo precisa ter maioria no legislativo para poder ter suas contas e seus projetos aprovados. Para que isto aconteça, que caberá aos candidatos eleitos que apoiam os governantes eleitos terem maioria, ou seja, se o presidente eleito for do MDB, logo, o congresso nacional terá uma maioria composta por eleitos do MDB e demais partidos que fizeram parte do bloco da candidatura do MDB. Este é o presidencialismo, com maioria congressual. Há o outro exemplo, que é o parlamentarismo, onde são os congressistas que escolhem majoritariamente entre os congressistas que fazem maioria, o primeiro ministro, que é quem governa no parlamentarismo. Ambos os casos, presidencialismo ou parlamentarismo, com maioria parlamentar, são de fato bem melhores que o sistema eleitoral atual no Brasil. E, porque não se aprofunda isto e se muda a legislação? Porque os conservadores, que deram sustentação aos golpes de Estado em 1964, em 2016, que apoiam Bolsonaro ou, mesmo tendo retirado o apoio a Bolsonaro, são apoiadores do empresários, do judiciário conservador e da imprensa manipuladora, este pessoal todo se junta contra os candidatos progressistas ou de centro-esquerda. Como não existe almoço de graça, nem os políticos de direita, conservadores, neoliberais, corruptos e pentecostais, nem os políticos de esquerda, que prometem tudo e quando são governo fazem bem pouco, nem eles conseguem administrar bem a ECONOMIA. As guerras acontecem por causa da economia. Os empregos existem por causa da economia e as pessoas são mais felizes ou infelizes conforme a economia esteja indo bem ou indo mal. Logo, estes sistema político caríssimo não é mais necessário. Precisamos construir um novo sistema de governo, mais ágil, mais representativo e com menos custo. Afinal, um outro mundo é possível. Se os políticos não conseguem VACINA, não conseguem melhorar a ECONOMIA, vamos procurar quem seja mais capaz...

Nenhum comentário:

Postar um comentário