segunda-feira, 1 de fevereiro de 2021

Esta eleição no Congresso Nacional é uma vergonha!

Brasil na encruzilhada, mas a vida continua Governo que não funciona, economia com tudo fechado em função do Covid-19, população pressionada para ficar em casa, mas o consumo continua, apesar de todas as dificuldades. Como diria Galileu: Apesar de tudo ela se move. - jovens continuam estudando no Brasil e no exterior, capacitando-se para um mundo mais difícil do que os seus pais tiveram que enfrentar; - as empresas estão mais fechando e indo embora do que abrindo ou chegando; - as instituições tradicionais como governos, legislativos, judiciários, polícias, imprensa, OAB, CFM – Conselho Federal de Medicina, Igrejas, entidades sindicais, UNE, todas elas perderam credibilidade; - quem ganhou credibilidade foi o mundo on line, que pode ser checado, conferido e analisado a qualquer momento e em qualquer lugar. Tudo pode ser verificado... Hoje, o Brasil vai passar por mais um evento marcante: O Congresso Nacional passará pela eleição da presidência do Senado e presidência da Câmara. Não seria nada importante, como não é na Itália que troca de governo como se troca de camisa, sem parar a economia e sem gerar desemprego. O problema é que o Brasil vive numa democracia manca, uma democracia sem legitimidade e sem esperança de solução a curto prazo. Quando o Brasil se dividiu em dois, uma metade apoiando um golpe de Estado como forma de impedir a continuidade dos governos do PT, e a outra metade, liderada por Lula, mas sem a credibilidade da época que ele foi presidente, esta divisão precisa ser traduzida nos diversos grupos e interesses, incluindo os reflexos na política, na economia e nas relações pessoais e familiares. Como tudo no Brasil o que é também pode não ser, este Congresso Nacional, mais uma vez mostrou a forma inescrupulosa de se fazer política. Assim, assistimos duas chapas concorrerem para a Câmara e duas para o Senado. O normal, como a história conta, seria que a direita formasse uma chapa e a esquerda formasse outra. Afinal, tivemos um golpe de Estado liderado pela direita para destituir a esquerda, interrompendo um projeto político, econômico e social. Mas não foi assim que aconteceu. Cada chapa tem candidatos de direita e também de esquerda. E a chapa apoiada pelo presidente Bolsonaro tende a vencer tanto na Câmara, como no Senado, fortalecendo a candidatura para a reeleição de Bolsonaro e a derrota de novo impeachment. E quase todos os segmentos da sociedade tomaram partido, ou para um lado ou para o outro. Educa? Não educa. Informa? Não informa. E quando vamos “construir um Brasil democrático, produtivo, ético e pluralista”? Só Deus sabe...

Nenhum comentário:

Postar um comentário