domingo, 27 de dezembro de 2020

O Natal, a viagem do governador e o aumento do prefeito

Um cidadão comum comentou: Como querem que a gente acredite nos politicos? Mandam a gente ficar em casa e vao para Miami; Dizem que nao tem dinheiro para a saude mas aumentam seus salarios em 40%? Eu, refem de uma mudança tambem enlouquecedora, nao sabia destas novas loucuras. Quem praticava tais loucuras? O PSDB de São Paulo.

sábado, 26 de dezembro de 2020

Itaú como exemplo da realidade brasileira

Itaú investe muito no social, como investe também na política... Ser coerente no Brasil é muito difícil, mas deve ser feito um grande esforço para que tanto as pessoas físicas, como as pessoas jurídicas e, principalmente, os governantes – executivos, legislativos e judiciários, além da imprensa e das instituições pratiquem as leis e as demandas sociais fortalecendo a democracia. Quem conhece a história do Itaú, sabe que o banco sempre teve dificuldade de integrar sua política interna, com a imagem externa e com as políticas públicas. O Itaú foi um grande aliado da ditadura militar, inclusive fazendo parte de ministérios, prefeito e outros cargos... Com a redemocratização o Itaú contratou agência de propaganda para melhorar sua imagem, o que teve grande sucesso. Como defensor do neoliberalismo, o Itaú apoiou o movimento contra o governo Dilma e teve participação direta no governo pós-golpe do impeachment. Simultaneamente, o Itaú sempre teve um grande investimento na área cultural, principalmente pelo apoio de Milu Villela, uma das principais acionistas do banco. Milu Villela também teve importante atuação no Voluntariado. A irmãs de Roberto Setúbal também sempre atuaram na área da educação, com ótima participação no GIFE – Coordenação das Fundações Empresariais. O que é importante observar é o crescente esforço do Itaú em desenvolver uma política de compromissos com os clientes, os acionistas e a sociedade com a ação coerente e afinada em todas as áreas... Deus queira que consiga. Vejam esta matéria do jornal Valor sobre os investimentos sociais do Itaú. Itaú investe R$ 600 milhões em ações sociais Finanças | Valor Econômico 25/12/2020 https://valor.globo.com/financas/noticia/ Recursos vão para projetos de educação, arte, longevidade e mobilidade urbana em 2021 Por Daniela Chiaretti — De São Paulo 23/12/2020 05h00 · Atualizado Luciana Nicola, superintendente de sustentabilidade do Itaú: “Estudamos como influenciar políticas públicas” O Itaú Unibanco pretende investir cerca de R$ 600 milhões em 2021 em projetos que ampliem direitos e melhorem a qualidade de vida nas cidades. Isso significa que a instituição quer investir em ações que aumentem a qualidade da educação, promovam a arte, a mobilidade e a longevidade. Trata-se do nono compromisso de práticas sustentáveis que o banco lança agora. Em mobilidade, por exemplo, a ideia é investir mais na bicicleta como meio de transporte urbano. Atualmente são 11 mil bikes do Itaú em São Paulo, Rio, Salvador, Porto Alegre, Recife e Olinda, além de Buenos Aires, na Argentina, e Santiago, no Chile. Só em São Paulo há 2.600 bicicletas distribuídas em 260 estações. Em longevidade, a intenção é promover segurança financeira e inclusão digital para melhorar a vida da população mais velha. Há ações concretas como a iniciada em julho de 2019, quando o banco colocou funcionários com mais de 50 anos em agências. A tentativa de empregar idosos teve eco em clientes da mesma geração. O número de clientes com mais de 50 anos que instalou o aplicativo do banco e aprendeu a usar o sistema digital cresceu 81% em um mês, com correntistas e funcionários falando a mesma língua. Promover a diversidade entre gerações é uma ação que continua em 2021 com vagas para consultores de mais de 50 anos trabalhando em home office diante da pandemia. Além disso, a intenção é entender como outros países incluíram idosos no trabalho. “Na Europa, a legislação permite à empresa que contrata idosos pagar menos impostos”, diz Luciana Nicola, superintendente de relações institucionais, sustentabilidade e negócios inclusivos do Itaú Unibanco. “Não temos nada disso no Brasil, o que dificulta a contratação pelas empresas”, diz ela. “Estudamos como influenciar políticas públicas.” Em 2019 foram lançados os “Compromissos Itaú de Impacto Positivo”. São eixos que dão rumo à tomada de decisão do banco, buscando entender os riscos e as oportunidades dos negócios. Em 2020, o banco destinou R$ 38, 6 bilhões para setores de impacto positivo. A meta é alcançar R$ 100 bilhões até 2025 em projetos de saneamento básico, educação e energia limpa, por exemplo. Os oito compromissos com práticas sustentáveis têm 40 metas e indicadores em sintonia com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis das Nações Unidas. “Em qualquer iniciativa do banco buscamos medir o impacto do que nos propusemos a fazer”, diz. Em “Inclusão e Empreendedorismo” o banco tem como meta, por exemplo, atingir R$ 9 bilhões de crédito até 2024 para pequenas e médias empresas lideradas por mulheres - já chegou a R$ 8,2 bilhões. Em “Cidadania Financeira” uma meta é aumentar em 35% a renegociação de clientes em atraso. “Já temos uma política de risco socioambiental e percebemos que não adianta colocar a régua lá em cima: se não estivermos ali para ajudar o cliente a fazer o processo de transição, ele deixa de ser cliente do Itaú e vai para outro banco, sem gerar mudança”, diz Luciana. O banco criou uma metodologia para distinguir dentro dos setores quais empresas já estão fazendo a transição para uma atuação mais sustentável e quais ainda não iniciaram. “A ação concreta é procurar oferecer produtos e serviços financeiros que ajudem o cliente a fazer a transição com taxas de juros diferenciadas, trazendo reconhecimento e ajuda. Além disso, puxar os outros para a transição.” Luciana diz que não se trata apenas de uma questão ambiental. “Tem a ver com negócios. Se ele não está pensando na transição, a probabilidade de ter impacto negativo e não ter capacidade de pagamento é uma realidade”. Com os compromissos, o banco responde à demanda de clientes e investidores. Mais de 45% dos investidores dizem escolher onde aplicar seguindo critérios ambientais, sociais e de governança

quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

Este Natal é diferente de todos

Este ano é um NATAL INTIMISTA. Este ano a saude vem acima de tudo. Este ano tambem é um NATAL para voce se lembrar de todos que voce gosta, e de longe mandar um abraço e lembrar que dias melhores virão. MORRO de saudade todos voces. Feliz Natal.

domingo, 20 de dezembro de 2020

Caetano Nizan e um Natal diferente

Caetano Veloso e o Natal de 2020 Nizan Guanaes conseguiu uma grande façanha: Motivar Caetano a cantar durante quase duas horas, em homenagem ao Natal de 2020. Mesmo em São Paulo, onde os conservadores que apoiaram Bruno Covas para prefeito de São Paulo e estavam brigando com Caetano por este ter apoiado Boulo, o candidato da oposição, os conservadores também não resistiram e pararam suas tarefas de sábado à noite para assistir ao show de Caetano. Nizan não esconde de ninguém que procurou apoio dos empresários para patrocinarem o evento. Temos que reconhecer que foi um grande sucesso. A música é um dos principais recursos que existe na aproximação das pessoas e dos povos. Temos que pensar em pacificar o Brasil. Além de garantir vacinas para toda a população, temos também que priorizar conseguir mais empregos e melhorar a renda da população. Paz na Terra às pessoas de boa vontade. Feliz Natal e muito obrigado Caetano, muito obrigado Nizan

sábado, 19 de dezembro de 2020

O século 21 pede passagem

Os sinais dos séculos... O século 21 está se definindo. No século 19, a Europa ainda dividia o mundo entre si e os Estados Unidos, comandada pelas monarquias... No século 20, a Alemanha se impunha como potência desde 1870 e aterrorizava o mundo. Os Estados Unidos botaram limites na Alemanha e na Rússia. O Reino Unido, como império onde o Sol não se punha, cedeu seu lugar aos americanos. As monarquias perderam sua importância... No século 21, Da mesma forma que as monarquias perderam importância, o tal do republicanismo, com três poderes - executivo, legislativo e judiciário - também já não serve mais. A democracia participativa vai substituindo a democracia representativa. As crises econômicas constantes estão exaurindo os países e os governos, as crises políticas estão desacreditando os governos e os partidos, as guerras ainda não tomaram as dimensões da primeira e da segunda guerras mundiais do século passado. Precisa ver se o mundo aguentará uma nova guerra mundial... Vejam alguns exemplos dos sinais do tempo neste século que começou: 1 - O mundo já não aceita mais a violência contra os negros, as mulheres e os imigrantes... 2 - A violência policial contra os negros nos Estados Unidos e a reação mundial contra os abusos racistas foi fundamental na vitória dos democratas... 3 - No Brasil, chegamos a um ponto em que a própria OAB - Ordem dos Advogados do Brasil aprovou a OBRIGATORIEDADE da paridade entre os sexos e a cota de 30% de negros nas direções em todas as instâncias da Ordem... O JUDICIARIO ESTÁ ULTRAPASSADO. 4 - Dos Estados Unidos vem o filme que vai marcar o século: "A VOZ SUPREMA DO BLUES". Tão forte quanto Luther King, estamos presenciando uma NOVA Revolução Cultural mundial. O artista como vanguarda transformadora... 5 - A Economia, que vinha sendo usada para enganar o povo e implantarem políticas neoliberais destruidoras, cria seu novo mensageiro do bem: PIKETY e a Economia Social. 6 - As religiões estão substituindo os partidos políticos. Invertendo os papéis e a relação com Deus e com o Povo. A briga entre pentecostais e católicos, ao contrário da briga entre católicos e protestantes na Reforma de Lutero, agora são os protestantes pentecostais que estão fazendo o papel conservador das Igrejas... 7 - O crescimento econômico, político e social da Ásia, volta ao passado e reduz a importância do Ocidente. Os muçulmanos, budistas e não-cristãos eurasianos está transformando os conceitos, os valores e os costumes. 8 - As Escolas eram formadoras de opinião, de valores e de costumes, agora as escolas estão sendo compradas pelos Fundos de Investimentos e são vendidas como pão nas padarias ou comida em supermercados. Os ricos não querem que o Ensino esteja à serviço da sociedade e do povo. Os ricos querem que as escolas ensinem a meritocracia de servirem aos seus patrões, mesmo que prejudiquem o povo, como agora na pandemia e com as vacinas. 9 - A imprensa vê-se na encruzilhada: Qual é o papel da imprensa na sociedade democrática participativa? A imprensa pode atuar partidariamente como as igrejas estão fazendo? 10 - A pandemia veio para obrigar o mundo a se reavaliar. A pandemia veio como uma advertência: A Natureza é tão ou mais importante que as pessoas... As pessoas em primeiro lugar. Para quê e para quem? Estamos apenas começando o século 21 mas suas mensagens já estão muito claras. Ou o mundo se organiza para sobreviver, ou sucumbiremos todos, inclusive o Planeta.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2020

Festa no Céu: Aniversário de Glória Abdo

Neste sábado vai ter festa no Céu: Aniversário de Gloria Abdo Este sábado, dia 19 de dezembro, é o primeiro aniversário que Gloria Abdo passa no Céu. Muitos amigos e parentes estão comentando que estão triste e com saudade de Glória... Bobagem! Este sábado devemos todos lembrar com alegria o tempo que convivemos com ela. A Vanessa e os filhos, o maridão e todos nós temos que comemorar o fato de termos convivido com Glória. Tivemos e temos muitas mulheres combativas na categoria bancária, Glória Abdo tinha um que muito especial, falava o que pensava e tinha uma vontade de transformar o Brasil que animava todos que conviviam com ela. Onde cada um de nós estiver, neste sábado, Gloria estará com agente em determinado momento. Vanessa, a filha, vai lembrar de muitas histórias. Ricardo Weber, o amigão de todas as horas, vai chorar de emoção ao lembrar do aniversário de Glória. Ivone, Juvândia, Aline, Raquel, Lucia Mathias e todas que conviveram com Glória vão sentir orgulho de terem aprendido algo com Glória. Eu particularmente, gosto mais de lembrar dos aniversários do que lembrar do dia da morte. Não me lembro o dia preciso que minha mãe faleceu aos 94 ou 95 anos, mas o dia do aniversário continua valendo: 9 de maio, dia das mães. Minha mãe nasceu em 1923, ano em que foi fundado o Sindicato dos Bancários de São Paulo. Glória Abdo é assim, faz a gente lembrar da importância da combatividade e da coragem, já minha mãe, entre muitas coisas, me faz lembrar sempre de Glória Abdo. Glória a Deus nas alturas e paz na Terra às pessoas de boa vontade. Glória Abdo, presente! No Céu e na Terra.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2020

Advogadas e negros advogados fazendo história

OAB nacional na vanguarda do Brasil Paridade entre homens e mulheres nas direções e cota de 30% de negros. Nem as centrais sindicais, nem os partidos políticos, nem os governos tiveram tanta coragem como a OAB nacional. Vejam o relato de Julio, nosso Dr. Julio, dirigente sindical dos Bancários de São Paulo e membro de várias comissões. Uma pessoa brilhante! OAB institui aos advogados negros, cota racial de 30%. Em sessão realizada nesta segunda feira (14/12), o Conselho Pleno da OAB Nacional aprovou a política institucional de cotas raciais para negros (pretos e pardos), com o percentual mínimo de 30%, e começa a vigorar nas próximas eleições (2021), com validade de 30 anos (10 eleições), período avaliado assertivo na valorização da igualdade de oportunidades. A proposta vencedora foi de autoria do conselheiro federal André Costa (CE), o qual é o único negro conselheiro na entidade. A política de discriminação positiva da OAB, são válidas na composição das chapas do Conselho Federal, seccionais, subseções e Caixas de Assistência, sendo uma decisão histórica, reconhecendo a diversidade, em um espaço que valoriza a democracia, e sendo referência para outras instituições, na implantação de políticas de diversidade étnico-racial. A decisão na visão dos coletivos de Igualdade Racial da OAB, é um avanço histórico e uma quebra de paradigma, em uma instituição composta por tantos profissionais negros, que também são impactados pelo racismo estrutural. O presidente nacional da OAB, destacou a relevância da inserção desta política. “Agradeço a todos pela votação histórica, está aprovada a cota, com 30% pelo período de 10 eleições. Faremos um grande censo da classe e parabenizo todos aqueles que lutaram durante muitos anos para que esse dia chegasse. Meu especial agradecimento à Dra. Silvia Cerqueira (Presidente da Comissão Nacional de Promoção da Igualdade) e ao Dr. André Costa (autor da proposição) a quem parabenizo pela liderança histórica nesse processo”, afirmou Santa Cruz. A única exceção, observando critérios específicos, foi proposta pelo conselheiro federal Siqueira Castro (RJ), as subseções, que não contemplem o percentual mínimo de 30%, não terão a exigibilidade de cumprimento da política inclusiva, visando proporcionar maior agilidade nos pleitos eleitorais. No entanto, na perspectiva de tornar a política efetiva, foi aprovada com ressalva, permitindo a cada comissão eleitoral, avaliar as demandas de forma individual. Na atual conjuntura, ações de combate ao racismo institucional, fortalecem a democracia, a qual é sabotada pelo racismo, o viés inconsciente da discriminação desperdiça inúmeros talentos, sendo um entrave ao desenvolvimento político, econômico e social, a cultura autoritária, fragiliza os espaços de construção de consensos, o uso da força e a ideologia, é estruturante do racismo. É fundamental que na seara do trabalho, atuemos na busca da igualdade de oportunidades, observando a intersecção de gênero, raça, orientação sexual e pessoas com deficiência, que são camadas de dor, agregadas aos corpos do cidadão, a decisão da OAB merece comemoração, e que possa nos servir como combustível para a luta da emancipação racial, principalmente nas relações de emprego. São Paulo, 15 de dezembro de 2020. Júlio César Silva Santos Dirigente do Sindicato dos Bancários de São, Paulo, Osasco e Região Membro da Comissão de Direito Sindical da OAB/SP Membro da Comissão da Advocacia Assalariada OAB/SP Mestre e Doutorando em Direito Político e Econômico (Mackenzie)

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

A destruição do Brasil e a passividade nacional

Brasil anda para trás na economia, na política, no social, na saúde e na soberania Quer mais? Leiam parte do artigo divulgado pelo jornal Valor de hoje: PIB per capita ruma para pior resultado em mais de um século FGV projeta retração de 0,6% entre 2011 e 2020; cenário era pessimista mesmo sem pandemia Valor - Por Alessandra Saraiva — Do Rio 15/12/2020 05h01 · Atualizado há 11 horas O Brasil deve registrar os piores resultados para uma década de crescimento econômico e de variação de PIB per capita dos últimos 120 anos ao fim de 2020 - um cenário que ocorreria mesmo sem a pandemia, de acordo com levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgado ao Valor. No estudo, a fundação usou como parâmetros estimativas de recuo anual no PIB de 4,4% em 2020, com retração de 5,1% no PIB per capita, originadas de projeções de mercado, do boletim Focus e do Fundo Monetário Internacional (FMI). Caso esses resultados se confirmem, a FGV projeta alta média de 0,2% na economia na década entre 2011 e 2020 - o desempenho mais fraco das últimas décadas, desde o início do século passado. No caso do PIB per capita, a projeção é pior: esse indicador deve finalizar com recuo de 0,6% médio entre 2011 e 2020, igual ao observado no período de 1981-1990, e também pior resultado desde 1901. Em uma lista de 14 das maiores economias do mundo, a variação de PIB per capita do Brasil na década encerrada em 2020, só não é pior do que o da Itália

segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

Nizan Guanaes, a N.Ideias e o Brasil

Nizan Guanaes, a N.Ideias e o Brasil Quanto custa um anúncio de duas páginas inteiras, primeiro caderno da Folha, no centro do caderno, páginas 8 e 9, espaço nobre do jornal? Nizan comunica no anúncio que “vendeu o Grupo ABC, completamente, começo uma carreira solo aos 62 anos... Montou uma empresa de ESTRATÉGIA. Com poucos clientes, para que ele trabalhe com profundidade, foco e total disponibilidade para eles (os clientes). Estes poucos clientes, são inspiradores que transformam, em suas áreas de atividades, a sociedade brasileira, como o Itaú, Magalu, Suzano, Marfrig, JHSF e Febraban... Uma empresa nova, que precisa ter sua MARCA CONSTRUIDA. A N.Ideias é uma empresa de estratégia. Ela NÃO trabalha com publicidade. Nizan ouve, esta e compreende a necessidade e os objetivos do cliente. A partir daí, ele desenha com o cliente uma estratégia de comunicação e marketing. Nizan também se propõe a participar da implementação desta NOVA ESTRATÉGIA. Em um pequeno escritório com apenas 57 m2, Nizan vai trabalhar com especialistas por projetos, onde as pessoas trabalham com Nizan, em vez de serem empregados de Nizan. Nizan conclui o anúncio dizendo que “além de cuidar profissionalmente de MARCAS, a N.Ideias cuida também de CAUSAS (???) (só que pro bono (sic). Causas como UNESCO, Casa Santa Teresinha, Gerando Falcões e a preservação do Quadrado de Trancoso. “Cuidar de todos é a melhor maneira de pensar em si.” Neste anúncio gigante, publicado na Folha em 14/12/20, com certeza a Folha também é parceira de Nizan. Uma live com CAETANO VELOSO é realmente um bom começo. Dia 19, às 21h, no canal de Caetano no YouTube. PS.: Vocês já ouviram falar em “intelectuais orgânicos”? Nizan tem tido esta função para uma parcela do empresariado brasileiro. Não acredito que Nizan seja “entreguista”, que ele concorde com a desnacionalização do empresariado nacional. Ele vendeu seu Grupo ABC, mas não vendeu a alma nem a dignidade. Ele está sentindo na carne e no bolso os efeitos da desnacionalização da nossa economia e da nossa soberania. Mas, algo ainda me faz acreditar em Nizan Guanaes... Talvez isto tenha a ver com o fato de sermos baianos. Na Bahia, até os extremos se entendem na hora de comemorar suas festas e suas belezas. O Brasil precisa voltar a ser o pais da Bossa Nova, do futebol, da beleza natural, da cordialidade que não se confunde com a imbecilidade. Enfim, ainda é possível contribuir para o Brasil voltar a ser plural, colorido, alegre e muito solidário. Com Caetano Veloso, qualquer Natal é mais feliz e menos triste. Um outro Brasil é possível. Sem medo de ser feliz. Abraços, Gilmar Carneiro

domingo, 13 de dezembro de 2020

A economia engana a política e o social

Custo de Vida, Inflação e Dólar "matam mais que bala de revolver" Cuidar da saúde ficou mais caro que cuidar da comida. Os preços dos remédios continuam subindo, o virus não morre e quem morre são são as pessoas... Fazer feira, padaria, supermercado e mercadinhos está deixando o povo envergonhado, sem dinheiro e sem saber o que fazer. Enquanto isto, tanto o governo como a imprensa, continuam insistindo na informação de que a inflação é de apenas 2 ou 3% AO ANO! Além dos preços subindo sem parar, o desemprego aumenta, os que estão desempregados não voltam para o mercado de trabalho, aumentando a angústia geral. Mesmo assim, a maioria da população, quando vai votar, ainda vota em políticos conservadores e subservientes às políticas econômicas. Vão deixar o governo Bolsonaro vender todas as estatais? Vão vender a soberania nacional? Por que os empresários também não reagem? Que os banqueiros concordem com a economia maluca de Guedes, ainda é compreensível, mas os demais setores como comércio e indústria estão perdendo dinheiro e qualidade de vida. Porque há uma separação da economia da política? Uma coisa é o que se está destruindo de economia e social no Brasil, outra coisa é a política implementada pelo Congresso Nacional e pelo governo. Até o judiciário tem interferido na economia. Qual é o limite disto tudo?

sábado, 12 de dezembro de 2020

O aniversário de Nelson Canesin deve ser comemorado

eu nem preciso de agenda para lembrar do aniversario de NELSON CANESIN Canesin é adorado por quem convive ou conviveu com ele. Portanto, quem gosta de Nelson tem direito de mandar um abraço no dia do seu aniversario, 11 de dezembro. Nelson disse no texto abaixo que não gosta de aniversario. Porque será que ele não gosta? Na nossa familia, o aniversario é o dia que todo mundo telefona e mata a saudade. Com Nelson, o aniversario é o momento de reforçar que nós adoramos o Nelson Canesin. Por mais coração selvagem que ele queira ser. Vejam o comentario de Nelson... " Eu nunca gostei de aniversário. Nunca fiz uma única festa de aniversário na vida. Tem gente que adora essa data, eu não. Quando estava trabalhando às vezes inventava uma agenda fora para fugir das felicitações. Comemorar aniversário em grupo então é terrível. Esses grupos com 400 pessoas ou mais, todo dia tem um aniversariante e todo dia é aquele montão de parabéns. E tem os que agradecem um por um. Ninguém sabia do meu aniversário mas o Gilmar Carneiro colocou nesse, e em outros grupos, e acabei recebendo um montão de parabenizações, justo no dia que estou engarrafando cervejas. Dito isso então cabe aqui agradecer aos companheiros e companheiras do grupo pelas mensagens. É isso. Obrigado. "

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

Armênia e Azerbaijão pareciam a Espanha de 1936

A ARMENIA acreditou na ONU, nos Estados Unidos e na Russia e foi humilhada pelo Azerbaijão O mundo fez de conta que nao viu. A ONU ficou preocupada mas nao fez nada para evitar a humilhacao. Trump estava cuidandobda eleicao e nao fez nada. A Russia estava mais preocupada com o petroleo do que com o vexame do governo armenio. uma tristeza. isto nao pode ficar assim... A Espanha pagou com 60 anos de ditadura militar matando o pais. A EURASIA continua sendo um barril de polvora.

terça-feira, 8 de dezembro de 2020

A destruição do Brasil

Para onde está indo o Brasil? Onde foram parar nossas fantasias, nossos sonhos e nossos desejos? Outro dia vi um artigo de NIzzan Guanaes na Folha onde ele abordava que as agências brasileiras de publicidade estão sendo compradas pelas concorrentes internacionais... Nizzan falava das grandes campanhas publicitárias com seus prêmios internacionais... Nizzan previa o fim das grandes empresas brasileiras. Ou nacionais... Qual setor econômico brasileiro ainda não foi vendido aos estrangeiros? Um país imenso que não tem nenhuma montadora de automóveis. Um país que destruiu todo seu parque industrial. Deixando de produzir no país para importar quase tudo. A única área que continua fechada é a imprensa. Todas as demais estão sendo compradas pelos estrangeiros. O que faz com que os canais de TVs, rádios, revistas e jornais continuem nas mãos de políticos, empresários e religiosos inescrupulosos? No caso de Nizzan, o feitiço virou contra o feiticeiro... Se os políticos e empresários corruptos e entreguistas já entregaram nossa economia, nossas escolas, nossos hospitais e convênios médicos, nossos transportes, nossos alimentos, nossas terras, nossos escritórios jurídicos, nossa publicidade, não adianta apenas dizer “Fora Bolsonaro”. Já que os pastores evangélicos se juntaram à estrutura entreguista em troca de fortalecer suas Igrejas às custas do erário público, o que vai sobrar para ser chamado de “nosso”? Esta aliança demoníaca está destruindo o Brasil.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Será que as flores sentem falta da gente?

Mudaremos nesta semana vou mostrando as flores que mais estao se destacando com as chuvas de novembro e dezembro. todas as flores sao belas, sejam elas grandes ou pequenas, brancas ou vermelhas... a variedade das flores e folhas é que fazem nosso jardim especial. um pequeno jardim... cada canto da casa tem um metro quadrado de jardim com sus flores e suas folhas. a nandina tem flores e frutas, mas, o mais bonito da nandina sao as folhas dourads ou quandi elas retem agua da chuva. as mariazinhas sao historicas, imbativeis... sao como as pessoas que voce sabe que sempre pode contar com elas. como voce veem, eu sinti muita falta das flores, hoje, ao voltar para casa e olhar para as flores veio-me a pergunta: sera que as flores sentem falta da gente?

domingo, 6 de dezembro de 2020

Depois de cinco dias, notícias da vida...

1 - Acompamhar a internação de KJELD até o seu falecimento foi uma decisão de milhares de pessoas. ontem, dia 5/12/2020, KJELD partiu. 2 - acompanhar as analises dos resultados eleitorais está sendo um sofrimento. Ainda não encontrei um texto redondo. Só remendos... 3 - sobreviver recluso em funcao do virus. Torturante. 4 - CUIDAR DA MUDANÇA. O pior de tudo.

A GLobo continua protegendo Moro. Porquê?

Fernando Morais avisa e adverte: O Globo erra quando se omite sobre Moro "É inacreditável o silêncio obsequioso e cúmplice da TV Globo, da Globo News e do jornal O Globo sobre o escândalo envolvendo Sérgio Moro e a consultoria Alvarez & Marçal (da qual o ex-juiz tornou-se sócio-diretor). Na falta de outro instrumento de denúncia, repito meu velho bordão: as Organizações Globo e a família Marinho são inimigas do Brasil e dos brasileiros e assim devem ser tratadas", escreveu Morais no Twitter.

terça-feira, 1 de dezembro de 2020

Um dia especial

ontem, dia 30 de novembro, meu irmão Gildemar, resolveu tornar publico que era meu aniversario. graças a esta iniciativa, passei o dia e a noite recebendo parabes. irmãos, amigos e colegas são imprescindiveis. obrigado a DEMA, Gildemar, e a todos que mandaram parabens. Hoje é o aniversário de Gilmar. 67 anos. Ele é o quinto filho, eu sou o sexto. Nós dois e minha irmã mais nova, Celia Maria, nascemos em Inhambupe e fomos morar em Serrinha em 1958. Eu sempre fui o mais mirradinho e Gilmar o mais desenvolvido dos sete. Ele era apenas um ano e 3 meses mais velho que eu, mas parecia ser bem mais. Isso me deixava em desvantagem. Eu morria de vontade de entrar na Filarmônica para aprender música, mas quando ele entrou, me disseram que eu era muito novinho ainda. Um ano depois, quando eu tinha a idade de quando ele entrou, continuaram me dizendo que eu ainda estava novinho. Por isso ele aprendeu clarineta na filarmônica, e eu flauta doce na bandinha do ginásio. Como éramos próximos em idade, brigávamos muito. Ele, mais forte, sempre ganhava. Sempre foi o mais comunicativo da família, conquistando todos que o conheciam. Uma vez pedi pra ele me levar pra rua, pra eu aprender a ser mais social, mas ele recusava. Eu era muito novinho. A gente tinha uma relação de amor e ódio. Ele era o mais desenvolto, hábil em tudo que fazia, e eu era o mais intelectual. Os ciúmes eram inevitáveis. Com uns 12 anos ele foi vender panela na feira, aos sábados, e eu fui com ele. Para mim, era um suplício. Depois ele foi trabalhar na venda de Fernando, na casa vermelha que ficava em frente ao mercado. Foi convidado, é claro. Em 1969 estava em São Paulo fazendo o colegial no Colégio Estadual Presidente Roosevelt, na Liberdade. Eu entrei em 1970. Os colegas dele só viviam lá em casa. Marcavam para estudar juntos, e frequentemente saíam para beber com os professores. Depois ele entrou na Fundação Getúlio Vargas, onde fez Administração de Empresas. Os colegas dele iam tudo de motorista particular, e lá ele fez amizade com o então professor Eduardo Suplicy. Os colegas ricos viviam lá em casa. A gente se cotizava para ajudar a pagar a escola cara. Gilmar trabalhava na compensação, de noite, pra fazer o curso de dia. Nós entramos no mesmo concurso do Banco do Estado da Guanabara (depois Berj, depois Banerj), mas sempre trabalhamos em agências diferentes. Logo, ele se engajou no sindicato, se juntou com Luiz Gushiken e outros, tiraram os pelegos e formaram um sindicato bem dinâmico. Tinha um trio elétrico que saía pelo centro de São Paulo avisando das assembleias ou denunciando os gerentes assediantes. Durante a ditadura militar, nem sei quantas vezes foi preso... Participou da fundação do PT e da CUT, foi presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, o mais rico do país, por vários anos, dirigiu as cooperativas de crédito da CUT pelo Brasil todo, viajou por tudo que é país, e hoje está aposentado. Segundo André Luís Rodrigues, colega dele na CUT, é querido por todas alas políticas, por sua posição sensata. Sempre teve uma presença muito marcante. Uma colega de trabalho minha, ao ver uma foto dele, ficou impressionada como é que eu podia ter um irmão tão bonito! Engraçado que sempre achei o contrário! Vivendo no Japão, minha filha achava que toda estátua de ocidentais me representava (pois não eram japoneses). Quando Gilmar esteve lá e pegou ela nos braços, ela não se cansava de olhar pra cara dele e pra minha, como se fosse muito complicado achar o que havia de diferente entre nós. Comparado com a diferença entre minha cara e a dos japoneses, era quase nada. Eu não gosto de ter amigos famosos. São inacessíveis. Prefiro os desconhecidos, como meus alunos que ainda não sendo pesquisadores renomados, têm tempo de sobra pra conversar besteiras comigo. Às vezes descubro que Gilmar passa dias aqui em Salvador e não me manda nem uma mensagem! Mas tenho a impressão de que ele me estima. Sempre fala bem de mim a todo mundo, e quando estive lá na casa dele, a última vez, me tratou na palma da mão. Até me chamou pra aula de Taichichuan que ele faz às 6 horas da manhã! E, como tudo que ele faz, jeitoso como é, faz Taichi muito bem! Feliz aniversário, Gilmar