domingo, 22 de novembro de 2020

Estão escondendo as pesquisas?

Algo está errado nas pesquisas Com o segundo turno muito curto, seria de bom senso ter muitas pesquisas. Tivemos a pesquisa para o dia 15, depois tivemos uma para o segundo turno. Neste final de semana as empresas e institutos não apresentaram novas pesquisas. Porque? Para se ter uma tendência clara do eleitorado, precisamos ter no mínimo três pesquisas no segundo turno. Uma pesquisa para saber o ponto de partida do segundo turno; Uma segunda pesquisa para saber qual foi o primeiro movimento do eleitorado; E uma terceira pesquisa na reta de chegada, isto é, no próximo sábado. Sendo que a eleição é no domingo. Com as três pesquisas podemos afirmar que a segunda pesquisa define uma reta e a terceira define uma tendência para cima ou para baixo. Só é permitido publicar pesquisas registradas no TSE. Mas, onde há candidato há pesquisa contratada. O Datafolha e o Ibope estão subordinados à Folha e a Rede Globo, E os demais institutos e partidos? A impressão que fica é que o clima eleitoral está melhorando para os candidatos da oposição... Paes já liquidou a fatura no Rio de Janeiro. Marília Arraes vem crescendo em Recife. E São Paulo? E Porto Alegre? E as grandes cidades? O que eu ouço de São Paulo é que Boulos e Erundina estão crescendo. A dúvida é se o crescimento será numa velocidade que dê para ganhar no próximo domingo. Existe uma tensão entre os apoiadores de Bruno Covas. É a síndrome do "Cavalo Paraguaio". Bom de partida e ruim de chegada... Erundina virou sobre Maluf em apenas uma semana. Mas era outro tempo onde o antimalufismo era muito grande. Agora, há um terço do eleitorado que tende a não votar. Quem conseguir atrair mais votos desta "maioria silenciosa" tenderá a vencer as eleições. Bruno Covas serviu para derrotar os bolsonaristas - base malufista e janista. Boulos serviu para derrotar o PT, mas a Folha não acreditava que ele tivesse chance de vencer. Acontece que a dupla Boulos - Erundina está animando o eleitorado e nos bairros já ouvimos as pessoas dizerem que vão votar em Boulos e Erundina. Como uma onda no mar, tudo pode acontecer até dia 29, próximo domingo. Lembram do voto silencioso? Tem eleição que o povo não abre o voto, não diz em quem vai votar. E quando abrem as urnas, os votos contrariam as pesquisas. Nada do que foi será

Nenhum comentário:

Postar um comentário