quinta-feira, 12 de novembro de 2020

Eleições no Brasil são feitas para enganar o eleitor

Cada eleição a regra muda Depois dizem que o eleitor é ingrato, que não sabe votar ou que é fisiológico. Vejam alguns exemplos que confundem os eleitores: 1 - O prefeito e candidato Covas procura EDIR MACEDO para herdar os votos de Russomano Esta notícia passa a ideia de que Covas é oportunista e quer que o religioso abandone Russomano. Russomano, por sua vez, demonstra que só é candidato porque trabalha para o religioso e obedece a ele. Já o religioso, que pela função de ser BISPO, deveria dedicar-se a aproximação do povo com Deus, na verdade, o religioso aproveita-se das eleições para barganhar interesses escusos, como canais de TVs, estações de Rádio, isenções tributárias e outras coisas pessoais. E a Imprensa, como a Folha, divulga tudo isto como se fosse a coisa mais natural do mundo... 2 - A campanha para prefeito de São Paulo trás uma dupla que a imprensa não consegue traduzir porque não quer, ou porque não conseguiu ainda entender a sua peculiaridade. Quem é mais conhecido na periferia Boldo ou Erundina? Eu ouso dizer que, com certeza é Erundina. Porque se divulga que Boulos é o candidato a prefeito e aparece tão pouco que Erundia é a vice na chapa de Boulos e que Erundina poderia ter sido a encabeçadora, tendo bem menos resistência do que Boulos? Há uma pressão muito grande para que os petistdas votem no primeiro turno em Boulos, sacrficando o candidato do PT, Jilmar Tatto. Fazer esta opção no primeiro turno é desprezar o significato dos dois turnos. Votar no segundo turno para Boulos/Erundina ou Tatto/Zaratini é a coisa mais política do mundo. Se não for para exercitar o aprendizado democrático, para que se faz eleições em dois turnos? 3 - Uma eleição que parece gravidez in vitro, acéptica. Não tem comícios por causa do virus. Não tem agitações em portas de empresas por causa do virus. As eleições vão ser um banho de água fria por causa do virus. Então, porque se manteve as eleições? Porque interessa aos conservadores? Porque achavam que o povo votaria em quem estivesse no governo? Talvez isto não aconteça. Vamos esperar segunda feira, dia 16 de novembrode 2020. Saudações democráticas

Nenhum comentário:

Postar um comentário