quarta-feira, 2 de setembro de 2020

A verdade, onde está a verdade?

Para o New York Times, NYT, a verdade é essencial. A verdade é o que importa.

O que é a verdade?

O NYT continua... A vida está mudando..... e rápido.

Nós estamos num momento de incertezas e agitações no mundo.

Já a Xp, gestora de capitais para investimentos, ao enviar análises para seus clientes, inclui a observação de que "Quanto mais você se informa, melhor você decide. E quando as informações vêm de um lugar sério e com boa curadoria, valiosas elas são."

Vemos um jornal, entre os maiores e melhores jornais do mundo, dizer que a verdade é essencial.

Vemos também que a mais arrojada empresa de investimento no Brasil, a Xp, destaca a importância de se decidir estando "bem informado".

Para os cristãos, a verdade tem uma importância divina. E segundo João, evangelista, 14:6, Jesus disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida".

Lendo o artigo do matemático, Marcelo Viana, publicado na Folha de hoje, ele reproduz declaração de David Hilbert:

"A convicção de que todo problema matemático pode ser resolvido é um poderoso incentivo para o pesquisador. BUSQUE A SOLUÇÃO. Você pode encontrá-la pela razão pura, pois em matemática não existe "não sei".

Com o fim do bloco soviético, houve um crescimento muito grande das religiões. Principalmente das religiões evangélicas pentecostais.

Os Estados Unidos sempre destacaram sua base religiosa, protestante herdada da Inglaterra. Os russos voltaram-se para a Igreja Ortodoxa que cresceu e passou a ter mais peso social que os partidos políticos. A China não ficou para trás, abandonou o marxismo e passou a priorizar conquistar mercados para seus produtos. A China trocou Marx por Confúcio e aí, passou a ter uma "religião para chamar de sua".

Neste quadro de enfraquecimento dos partidos políticos e fortalecimento das religiões, que são constituídas a partir de dogmas e valores sociais, podemos afirmar que, para democratizar um país e mantê-lo democrático, lúcido, transparente, onde se combine o crescimento econômico como crescimento social e político, é preciso reconhecer que não existe uma verdade absoluta e estática.

Quem está com a Verdade, não tem medo "das verdades dos outros".
Quem está com a verdade, não tem medo de apresentá-la nas escolas, nas igrejas, na imprensa, nas empresas e nos governos.

Quem não tem convicção da "sua verdade", para não perder suas disputas, defende proibir a divulgação das verdades e defende que exista somente uma verdade. E, de preferência que a verdade seja a sua. Abrindo portas para ditaduras e sociedades fechadas e autoritárias.

Se temos convicção de que o plural é melhor do que o singular, isto é, que as sociedades devem ser abertas, plurais e que garantam o acesso ao diferente, mas também garanta o direito à liberdade, o direito ao ir e vir, o direito ao acesso à diversidade escolar e na vida.

Vivemos também num impasse: A insegurança e a incerteza são estimuladoras de redução da democracia. Em vez de se fazer guerras para se impor um tipo de democracia, que o mundo se abra para uma série de encontros coordenados pela ONU e por instituições idôneas e reconhecidas pela sociedade para construir um mundo democrático, participativo e mais feliz.

A história da humanidade está cheia de bons exemplos positivos e negativos. O que não temos direito é de ficar passivos, parados, esperando que os outros façam em nosso nome.

Quem não aprende no amor, aprende na dor. Seja na dor individual ou na dor coletiva.

Juntos somos muitos. unidos somos fortes.

Que os pregadores sejam pregadores da luz e da vida. E assim vamos saber "onde está a verdade". Sem medo da ciência, sem medo das religiões, sem medo dos partidos e sem medo de ser feliz.

Um outro mundo é possível. A Terra é nossa Pátria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário