quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Toma-lá-dá-cá: Quatro histórias esquisitas de venda de ações

Governo se desfaz de ações e de dinheiro.

Desde a derrubada do governo Dilma, os golpistas vem promovendo vendas de ativos, alegando que não é papel do governo ter negócios...

Na verdade, estas operações podem ser legais, mas, são, no mínimo, imorais... porque descapitalizam os Fundos de Pensão, e, a longo prazo diminui o poder do governo.

Vejam estes quatro casos:

1 - A Petros, fundo de pensão da Petrobras, tinha um lote significativo de ações da Holding do Itaú. Era uma quantidade significativa e correspondia a um ótimo investimento. Foi uma das primeiras grandes operações já no governo Temer.

2 - A Petrobras pôs à venda lotes ações de empresas como a DISTRIBUIDORA, que permitia abrir mão do controle e da gestão.

3 - A BRFood tinha como principais acionistas os fundos de pensão do BB, da Petrobras e da CEF, além de alguns grandes investidores privados. Abilio Diniz tentou comprar uma quantidade de ações que lhe possibilitasse assumir a gestão da empresa. Com a derrubada do governo Dilma, o governo mandou os fundos venderem partes das ações, possibilitando assim que o controle da empresa passasse a ser por uma nova composição e um novo presidente.

4 - Os jornais de ontem e de hoje noticiam que o BNDES vendeu o grande lote de ações da Vale. Logo após a Vale ter declarado que voltou a ter lucro. Como todo mundo sabe, o BNDES é do governo. Quem foram os compradores das ações da Vale? Logo, logo iremos saber... Por enquanto, há um silêncio cúmplice da imprensa.

Há uma pressão grande para que o governo se desfaça de empresas vinculadas ao BB e a CEF, vendendo-as aos amigos de quem ajudou a derrubar o governo Dilma.

Estas vendas de ações e de empresas que o governo Bolsonaro vem fazendo, mas a grande quantidade de leis contra os interesses dos trabalhadores e do Brasil que estão sendo aprovadas no Congresso Nacional, combinadas com a postura contra os trabalhadores também manifestadas pelo judiciário, faz com que, apesar de tudo de ruim que Bolsonaro tenha, este ainda é um grande negócios para os especuladores e apropriadores dos recursos dos governos. Isto é o tal do NEOLIBERALISMO.

Aos poucos vamos descobrir as maracutaias políticas do neoliberalismo tupiniquim. Estão vendendo o Brasil à preço de bananas, como fizeram com o Banespa e tantos outros bancos e empresas públicas.

Agora, querem destruir até as empresas de água e saneamento. Triste Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário