sexta-feira, 28 de agosto de 2020

Para onde vai o Brasil?

Modelo Econômico, Social e Político

As eleições servem para legalizar quem está no poder. Seja o modelo presidencialista ou seja o parlamentarista.

Quem está no poder tem um projeto na cabeça ou no papel. Na medida que vai governando, explicitado ou não,o governante está fazendo aquilo que entende ser o melhor para o povo.

Trinta e cinco anos depois da redemocratização, o Brasil parece está mais confuso e pior do que estava. Esta insegurança estimula aventuras golpistas e autoritárias...

Para o povo, se houver emprego, saúde, boas escolas e segurança contra os assaltos e assassinatos, a questão política em relação aos governantes fica em segundo plano.

Mas, quando não há boa situação econômica, social e segurança contra os assaltos e assassinatos, como mudar?

No caso do Brasil, caminhamos para várias alternativas, predominando propostas conservadoras, autoritárias e de concentração de renda e de poder.

O modelo econômico praticado pelo governo Bolsonaro é o pior possível para o país a longo prazo. Privatização de tudo, perda da soberania nacional e perda de competitividade internacional.

Mesmo que seja mantida e respeitada a democracia, o Brasil vai precisar de muitos anos para recuperar sua capacidade e autonomia econômica. Dez a vinte anos pode ser pouco em relação a séculos ou milênios, mas, dependendo o estrago feito pelos governantes, a recuperação pode até não acontecer.

Somos 211 milhões de habitantes, morando em um país profundamente desigual geograficamente, e esta desigualdade refletindo na economia, no social e no politico.

1 - O Norte com 45% do território nacional e apenas 19 milhões de habitantes convive com a Floresta Amazônica sendo destruída e o padrão de vida dos mais baixos do Brasil.

2 - O Centro Oeste, com o pantanal e a maior produção de soja do Brasil, é a segunda região em território, 19%, e a menor população, apenas 17 milhões de habitantes.

3 - A região Sul, com apenas 8% do território nacional e 29 milhões de habitantes, é a região com a qualidade de vida média melhor do país.

4 - O Nordeste, com 58 milhões de pessoas, em 19% do território nacional, é onde a pobreza é mais presente...

5 - Já a região Sudeste, com seus 88 milhões de habitantes e 10% do território nacional, conta com a presença do estado de São Paulo, o mais rico e com maior população.

Como melhorar a qualidade de vida dos 211 milhões de pessoas, manter o equilíbrio econômico com geração de trabalho, renda e economia produtiva?

Como fazer tudo isto mantida a democracia e o respeito ao Estado de Direito?

Como recuperar a boa imagem internacional? Como respeitar as diferenças sem partir para a violência?

Um outro Brasil é possível e necessário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário