terça-feira, 4 de agosto de 2020

O pior momento econômico da história do Brasil

Aconteceu neste segundo trimestre de 2020

A afirmação acima é do vice-presidente do Itaú, Milton Maluhy. Mas, diz Maluhy, há sinais encorajadores de recuperação, o que deve trazer a rentabilidade para níveis melhores,

O vice-presidente disse que a expectativa do banco é que a carteira de crédito, no curto prazo, tenha expansão focada em um primeiro momento em grandes empresas.

Em relação às receitas, Maluhy disse que o crescimento trimestral de serviços e seguros deve vir em linha com a tendência de recuperação da atividade econômica e reabertura do mercado de capitais.

No lado das despesas, a gestão estratégica de custos estará baseada no contínuo investimento em tecnologia, NAS NOVAS FORMAS DE TRABALHO, na organização dos canais de distribuição, além dos projetos estruturais de eficiência que continuarão trazendo benefícios nos próximos trimestres.

As informações acima estão no jornal Valor de hoje, 04 de agosto de 2020.

Já a Folha, vem com algumas afirmações curiosas:

Itaú vê lucro cair pela metade

Este é o título da matéria, mas, logo abaixo o jornal afirma que o Itaú aponta melhora na economia...

Ainda na Folha, "O tombo veio um pouco acima do registrado pelos concorrentes: Santander e Bradesco tiveram queda de 41,2% e 40,01%, respectivamente. Enquanto a queda do Itau foi de 49,8%.

Mesmo com o tombo, o banco apontou que há sinais de retomada do consumo: apesar da performance do trimestre, os valores transacionados de emissão e adquirência no mês de junho de 2020 estavam em patamares próximos aos de meso período do ano anterior.


Na Folha de sexta-feira passada, dia 31 de julho, o destaque foi para os números do Bradesco, por ter elevado a reserva contra calote e o lucro ter caído 40,1%.

Curiosamente, o lucro líquido no segundo trimestre do Bradesco caiu para R$ 3,9 bilhões. Enquanto que o lucro do Itaú caiu para R$ 3,4 bilhões. Desde que o Itau incorporou o Unibanco, o lucro do Itaú tem sido maior que o do Bradesco. Vamos esperar o fechamento do ano para ver os novos números.

O resultado do Bradesco no acumulado do ano é um lucro de R$ 7,6 bilhões. O PIOR PARA O PERÍODO DESDE 2014, DURANTE A CRISE.

O novo tombo foi causado por mais um forte aumento das reservas para cobrir calores, consequência dos danos econômicos do coronavirus.

O presidente do Bradesco diz que "o cenário econômico ainda é difícil, mas dá para dizer que aparentemente o pior momento já passou." Já houve uma melhora da confiança, com o pagamento do auxilio emergencial.

Para o Bradesco, a pandemia também acelerou o processo de digitalização do banco, situação que deve ter reflexos tanto no número de agências como no crescimento do NEXT, banco digital da instituição. O Bradesco terminou o segundo trimestres com 4.167 agências físicas, o que significou uma redução de 9% em relação a igual período de 2019.

Com seu novo banco digital - NEXT - o objetivo é fazer com que a plataforma siga regulamentações mais leves impostas pelo Banco Central e equivalente a de seus concorrentes digitais...

Nenhum comentário:

Postar um comentário