segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Italianos, anarquistas, sindicalistas e brasileiros

Onde houvesse uma manifestação havia também vários italianos

1983 - Fundação da CUT, primeira central sindical brasileira, em São Bernardo. Quem foi eleito como presidente? O ítalo-brasileiro Jair Meneguelli.

1968 - Greves nas fábricas de Osasco, operários descentes de italianos e de nordestinos enfrentaram o AI-5 e os militares.

1951 - Criação do DIEESE. Quem foi seu primeiro presidente? Salvador Romano Lossacco, uma das últimas lideranças sindicais brasileira de formação anarquista.

1943 - Criação da CLT de inspiração fascista de Mussolini, no 1o. de Maio. Instrumento de regulamentação das relações capital e trabalho que também servia para dificultar a organização do sindicalismo livre no Brasil.

1930 - Vitória dos tenentistas contra o governo de café com leite, controlado por São Paulo e Minas Gerais. Getúlio Vargas assume a presidência. Os italianos já estão presentes na vida brasileira, tanto como patrões na industrialização paulista e nacional, como, principalmente mão-de-obra.

1924-1927 - A Coluna Prestes agitou o Brasil e criou um marco na política, na economia e no social.

1922 - Militares se rebelam no Rio de janeiro, o Brasil vai entrando na agitação internacional. De um lado tem a Semana de 22, com a contribuição dos italianos, de outro é fundado o Partido Comunista do Brasil, com os italianos tendo papel importante.

1917 - A Revolução Russa incendeia o mundo! E São Paulo vê sua Primeira Greve Geral massiva. Os italianos e anarquistas eram as lideranças.

1907 - Greve em São Paulo reivindicando jornada diária de 8 horas, principalmente para mulheres e crianças.

1905 - Criação de comitês por fábricas para organizar as lutas operárias.

Um século de lutas para que tanto os imigrantes, como os brasileiros tivessem direitos a se organizar, a criar suas cooperativas, seus sindicatos, seus partidos e suas igrejas.

Um século depois, a luta por direitos passa necessariamente pelas lutas das mulheres e dos negros.

Precisou chegar em 2010 para o Brasil ter pela primeira vez uma mulher eleita presidente da República. Mas, mesmo sendo mais de 50% da população, o Brasil ainda não elegeu um negro presidente do Brasil.

Já teve um rei negro, Rei Pelé, no futebol. Na política, ainda estamos organizando a luta para mudar a realidade.

Conquistar direitos é um luta permanente, não favor de ninguém. Direitos não caem do céu, conquista-se!

Cidadania, sinônimo de liberdade e de pluralidade. A gente não quer só comida...

Nenhum comentário:

Postar um comentário