quarta-feira, 26 de agosto de 2020

E se fecharem os sindicatos, os partidos e as religiões?

A Folha e a UOL vão adorar...
mas isto é ditadura, não é democracia.

Porque estou dizendo isto? Porque depois do editorial contra Dilma, esta matéria da UOL comemorando com destaque a queda na sindicalização no Brasil, só falta propor fechar tudo, fica mais barato e da menos trabalho...

O Brasil tem seu lado Holanda e seu lado Índia.

Notícias ruins e notícias boas, quais você prefere?

Quer priorizar falar mal do Brasil?

1 – Já passamos de 115 mil mortes e o governo Bolsonaro continua não fazendo nada pelo povo.

2 – O Brasil tem metade da população procurando emprego e não acha.

3 – O salário no Brasil é um dos mais baixos do mundo e continua baixando com o governo Bolsonaro e Guedes.

4 – A qualidade do ensino no Brasil é tão ruim que muita gente está desistindo de ir para a escola. Temos 15 milhões de analfabetos, sem contar os funcionais...

5 – Os brasileiros, conforme pesquisa do IBGE, da Folha e da FGV, não confiam nos partidos, nos sindicatos e nas Igrejas. Ainda confiam nas Forças Armadas.

Agora voltemos a queda na sindicalização no Brasil

A UOL da Folha deu chamada, comemorando. E, no entanto, nunca foi fácil sindicalizar no Brasil, como nunca foi fácil fazer sindicalismo combativo.

Nos anos 80 e 90, a rotatividade na categoria bancaria chegava a 30% ao ano. Um absurdo que continua...

Para sindicalizar um bancário a mais por ano, o Sindicato dos Bancários tinha que filiar 15.001 bancários. Eram 1.250 novos sócios por mês! Já pensaram?

E, mesmo assim, a sindicalização na categoria bancária sempre foi uma das maiores do Brasil.

Antes nós tínhamos os bancos federais, mais os bancos estaduais e centenas de bancos privados. Hoje, praticamente não existem mais os bancos estaduais, os bancos federais ainda resistem e os privados praticamente acabaram, restando apenas o Bradesco, o Itaú e o Santander...

E os bancários de todo Brasil continuam combativos, atuantes e preservando seus direitos, apesar da pressão dos banqueiros...

Da mesma forma, podemos fazer uma longa lista das qualidades que o Brasil tem, mostrar qualidades dos brasileiros e brasileiras no Brasil e no mundo.

Em vez de priorizar o lado negativo,
porque não fazemos uma frente ampla
pelo Brasil e pelo povo brasileiro?

Devemos fazer um amplo debate sobre quais instituições precisamos e como podemos garantir a transparência, a ética e a legitimidade... Chega de maniqueísmos, queremos o Brasil para todos...

Vejam o início da matéria da UOL

Em 7 anos, sindicatos perdem 3,8 milhões de filiados, diz IBGE

Thâmara Kaoru Do UOL, em São Paulo 26/08/2020 10h00

De 2012 para 2019, os sindicatos perderam 3,8 milhões de filiados no Brasil, segundo dados da Pnad Contínua, divulgados nesta quarta-feira (26) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Em 2019, das 94,6 milhões de pessoas ocupadas no país, 11,2% ou 10,6 milhões de profissionais eram associados a sindicatos.

É a menor taxa de sindicalização desde o início da série histórica, em 2012. Naquele ano, 16,1% da população ocupada era sindicalizada ou 14,4 milhões de profissionais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário