domingo, 12 de julho de 2020

Ringo Star e Ana Maria Bahiana: Muito além dos 80

Eu comecei a tocar bateria a sério quando trabalhava na fábrica.

E se eu tivesse ficado na fábrica?

As duas frases acima estão numa entrevista maravilhosa de RINGO STAR, baterista do Beatles, a igualmente icônica Ana Maria Bahiana, na Folha deste domingo, 12 de julho de 2020.

Ringo Star, mesmo os meninos de hoje sabem que é, mas, Ana Maria Bahiana, os meninos, com certeza não a conhece.

Para sentir um pouco o significado da importância de Ana Maria Bahiana no jornalismo cultural brasileiro é só ler a entrevista de Ringo Star de hoje. É uma aula de vida. Não conheço o fotógrafo Luiz Garrido, mas, o currículo dele é de mestre e as fotos publicadas demonstra isso.


PAZ, AMOR E ROCK AND ROLL

É o título da entrevista, EXCLUSIVA, via aplicativo, para comemorar os 80 anos de Ringo, no último dia 7 de julho, mesmo dia do aniversário da nossa secretária da CUT, Deise.

Ringo sempre foi "um caso a parte" nos Beatles. Gostava das coisas orientais, da Índia e de Ravi Shangar... Atualmente ele comemora seus aniversários promovendo festa com artistas e o dinheiro arrecadado é doado para instituições de defesa da qualidade de vida. Este ano o dinheiro arrecadado será doado pafa Black Lives Matdter Global Network, a Fundação David Lynch e as ONGs MusiCares e WaterAid.

Blues era tudo para mim.

Tudo de música que eu mais amava vinha dos Estados Unidos. Tudo de música que NÓS QUATRO amávamos vinha dos Estados Unidos.

Todos os nossos herois, nossos ídolos, eram americanos e quase todos era PRETOS (afrodescendentes). Chuck Berry, Little Richard, Ray Cjarles, Stevie Wonder...

Ao falr da morte de George FLOYD, Ringo se anima:

O que mais me empolga é que 75% desse pessoal nas ruas tem entre 18 e 25 anos. São a próxima geração. Este é o momento de eles mudarem tudo para melhor.

Ao comparar as épocas, Ringo é objetivo: É MUITO MAIS DIFÍCIL AGORA. Muito mais. Mas a garotada continua ouvindo os Beatles.

Incrível, não é?

Depois de ter lido o artigo de Fernanda Torres, ler a grande entrevista de Ringo Star, com o jeito de fazer entrevista de Ana Maria Bahiana e de Luiz Garrido escolher as fotos, só mesmo elogiando a Folha. Por falar em Fernanda Torres e seu artigo na Folha. Só depois eu percebi que o artigo de Fernanda está na página B13, e a entrevista de Ringo nas páginas B14 e B5. São contínuas e podem ser lidas assim.

Como diz Ringo Star, não foi planejado pelo editor do Ilustrada, foi o clima, a energia, a alegria em perceber que

A VIDA VAI MUITO ALÉM DOS 80 anos. Que bem diga a mãe de Fernanda Torres, o nosso símbolo maior, Fernanda Montenegro.

Eu com meus 66 anos me renovo com estes artigos e estas entrevistas. A felicidade está nas pequenas coisas como estas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário