quinta-feira, 21 de maio de 2020

Passamos das 20.000 mortes e dos 300.000 casos

Logo, logo passaremos a Rússia e seremos o segundo

Como dizia Barrichello:

Não precisa ser campeão. Ficar apenas atrás dos Estados Unidos, para um país governado por Bolsonaro, está bom demais...

O duro é ler nos jornais que há cientistas prevendo que as mortes no Brasil podem passar de 100.000. É desesperador.

Mais duro ainda é saber que na quantidade de mortes do dia há o pai de nossa colega da executiva nacional da CUT, Graça.

A Graça é uma ótima dirigente sindical, veio de um sindicato dos trabalhadores municipais do interior do CEARá.

Seu pai passou mal, foi levado ao hospital, mas quando conseguiram uma vaga para interná-lo na UTI, ele faleceu.

Quantos milhares de casos como este devem estar acontecendo no Brasil?


E enquanto as pessoas vão morrendo, o governo Bolsonaro continua que nem uma barata tonta. Que triste realidade para um país tão importante como o Brasil.

Por falar em Ceará, vai um pedaço de uma musiquinha para lembrar dos amigos e das amigas...

"Calça nova de riscado, paletó de linho branco, que até o mês passado, lá no campo ainda era flor, sob o meu chapéu quebrado
o sorriso ingênuo e franco, de um rapaz novo e encantado, vinte anos de amor...

Aquela estrela é dela, Vida, vento, vela leva-me daqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário