domingo, 3 de maio de 2020

O governo inverteu os números e Moro ainda não mostrou as provas contra Bolsonaro

Brasil: Passamos de 100 mil infectados e de 7.000 mortes

E Moro vai contar para os brasileiros o que ele contou neste sábado ao pessoal da policia federal - PF - contra Bolsonaro?


1 - Como hoje é domingo e as instituições públicas não funcionam, o governo federal resolveu arredondar os números dando mais 1 destaques aos infectados e ao total de mortes em detrimento ao mortos nas últimas 24 horas.

Como se sinalizasse que gostaria de NÃO chegar às 10.000 mortes no próximo domingo - DIA DAS MÃES - dia 10 de maio, o governo baixou o total de mortes nas últimas 24 horas, ficando com 275 mortes, o que totaliza 7.025 mortes acumuladas e 101.147 infectados.

Então, ficou fácil bolar os títulos, ou as manchetes:

Brasil passa de 7 mil mortes e de 100 mil infectados

No ritmo que vai, o Brasil pode ficar atrás apenas dos Estados Unidos.Isto o Bolsonaro gosta: Ficar atrás dos Estados Unidos!


2 - E aí??? Moro vai contar tudo para todo mundo, ou vai ficar calado, falando só para os homens???

Diz que Moro ficou mais de oito horas conversando com os homens lá na polícia federal. Todo mundo quer saber o que ele mostrou, o que ele contou e o que ele tinha gravado.

Eu nunca tinha visto um ministro grampear um presidente amigo e do mesmo time de governo. Isto ambos se dizendo "mui amigos".

Eu já tinha visto ministros e PF grampear presidente. No caso da Dilma, já tinha virado arroz de festa, Moro grampeava Dilma, a PF grampeava Dilma, STF grampeava Dilma. Gravaram até piadas entre outras coisas. Mas, quando é um time contra outra time, pode.

Mas, agora é diferente. Agora estão rasgando as bandeiras do Brasil!!!! Agora são chamados de traidores! De mentirosos!

E enquanto eles não se entendem, o povo vai morrendo cada vez mais e vão acabando os leitos nos hospitais públicos...

Deus, oh Deus, ajudai este povo, já que ele não pode contar com o governo.



Agora, o povo todo achava que Moro só pensava em moralidade e transparência; enquanto que Bolsonaro era o homem que falava grosso e ia modernizar o Brasil, acabando com a corrupção no governo, no Congresso Nacional e no Judiciário. E agora os dois estão brigando, um acusando o outro.

Quem mentiu? quem quer mandar mais do que o outro? Parece até briga de irmãos, como Pedro Collor e Fernando Collor. Ainda bem que neste caso não tem coisas de mulher no meio. Por enquanto...


Nenhum comentário:

Postar um comentário