sexta-feira, 8 de maio de 2020

O Brasil em situação caótica... E aí Bolsonaro???

Confusão aumenta sofrimento com o Virus


O virus tem matado gente de todos os níveis sociais, de todas as religiões e de todas as etnias... É claro que, quantitativamente tem mais pobres e negros do que ricos e brancos. Mas o sofrimento é generalizado.


Vivemos uma profunda "crise de direção".

1 - As instituições não estão funcionando como desejado e necessário;

2 - O presidente do país mais desorganiza do que organiza, mais atrapalha do que acalma;

3 - Os governadores estão se dando conta das dificuldades materiais e também financeiras. Nunca imaginaram que pegariam um rabo de foguete desta envergadura. Os doentes, os mortos e seus familiares são expostos à situações jamais imaginadas...

4 - O judiciário acompanha a tragédia sem conseguir ter um papel relevante no que se refere à pandemia, o judiciário se mete mais na política do que no social;

5 - A Imprensa tem tido um papel fundamental, melhor até do que os governantes;

6 - As religiões poderiam estar ajudando mais;

7 - As Forças Armadas e as polícias estaduais poderiam ter um papel determinante na organização das comunidades e na logística;

8 - Os movimentos sociais estão adquirindo grande experiência, mas, sentem como se estivessem apagando incêndio sem água;

9 - Os empresários também estão ajudando, solidariamente, mas estão deixando a desejar quanto a influência na estruturação da solidariedade e da gestão participativa;

10 - Os profissionais de Saúde estão sendo verdadeiros heróis. Muitos já morreram salvando o povo em todo Brasil;


Jogo combinado complementa a destruição do equilíbrio social.

Enquanto o país está parado, com o dólar aumentando assustadoramente, as empresas ficando sem dinheiro para pagar salários e manter a capacidade produtiva, os mortos vão aumentando a cada dia.

Estamos chegando a 10.000 mortes...

E, enquanto as pessoas morrem, o Congresso Nacional continua aprovando leis que reduzem direitos e conquistas dos trabalhadores. Esta aparente contradição faz parte da história do Brasil. Os políticos se elegem dizendo que vão defender o povo, mas, quando eleitos, defendem os interesses dos patrões.,, E com esta dinâmica os empresários lavam as mãos dizendo que estão contribuindo com a luta contra o virus, mas continuam recomendando aos parlamentares para estes aprovarem leis contra o povo.

Sairemos desta tragédia todos mais pobres...

Com mais concentração de renda, menos escolaridade, menos emprego, menos saúde e vontade de continuar votando nestes políticos...

Bolsonaro, com seu "posto Ipiranga", simbolizava um compromisso onde o governo governaria para os empresários, inibindo e destruindo os mecanismos de defesa dos trabalhadores, destruindo o pouco que ainda restava do Estado de Bem Estar Social e implantando um neoliberalismo ultra radical e subordinado aos Estados Unidos.

Mas ninguém esperava que fosse aparecer o virus com sua capacidade destrutiva. E Bolsonaro surtou, o posto Ipiranga surtou, o governo surtou e a sociedade civil teve que auto organizar-se para sobreviver. Poderia estar bem pior, ainda bem.

É preciso fazer mais do que está sendo feito.

É preciso começar a pensar "no amanhã". O comércio não está aguentando mais ficar fechado, sem dinheiro e sem pagar as contas, o prejuízo com as indústrias é bem maior que o comércio. E o setor de serviços pode ser o proporcionalmente mais prejudicado.

Nosso presidente não tem autoridade nem sanidade mental para coordenar um Plano de Recuperação Nacional.

A sensação é que o Brasil está quebrando financeiramente, moralmente, socialmente e sendo incapaz de lidar com o respeito que o povo brasileiro merece.

Que cada pessoa e segmento social faça sua parte. Precisamos colocar as pessoas em primeiro lugar, juntamente com um projeto de inclusão social para contribuir para a recuperação do Brasil e do povo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário