domingo, 31 de maio de 2020

Basta! E daí?

70% dos brasileiros não concordam com Bolsonaro

700 juristas, advogados renomados e professores de direito assinaram um manifesto nacional em defesa da democracia, da liberdade e do Estado de direito.

Juridicamente é bem escrito, mas carece de propostas concretas que agilizem o fim do sofrimento nacional.

Sim, temos certeza de que os Poderes da República não se ausentarão. Cobraremos a responsabilidade de todos que concordam com o BASTA, na Forma da lei e do direito, sejam os meios de comunicação, financiadores, provedores de redes sociais...

Ideias e práticas contrárias ao Estado de Direito, à Democracia e à Liberdade não podem ser aceitas.

Quando o executivo ignora o legislativo e o judiciário, medidas jurídicas imediatas precisam entrar em ação, evitando abusos.

E quando as medidas jurídicas não forem suficientes, o Povo precisa entrar em ação. Afinal, a Democracia necessariamente é do Povo, para o Povo e COM O POVO.

No Brasil, a redemocratização ainda preserva mecanismos autoritários que facilitam os abusos por parte de executivos, legislativos e judiciários. A prática de eleições em que os candidatos prometem uma coisa e fazem outra, sejam eles executivos ou legislativos, combinada com a prática de juízes decidirem partidariamente ou até vendendo sentenças, desqualifica a nossa democracia.

Os Programas eleitorais precisam ter valor de lei, ficando os candidatos subordinado aos seus programas. O não respeito aos programas deve tornar o infrator passível de perda do mandato.

Para isto as eleições são em dois turnos. Para que o povo possa escolher o candidato ou os candidatos que vão cumprir o prometido em seus programas. As eleições são decididas em turno único quando o candidato obtém 50% mais um dos votos válidos. Em dois turnos quando nenhum candidato atinge os 50% mais um.

O segundo turno serve para que, com transparência pública se construa uma maioria com legitimidade para governar. Daí a necessidade de, no segundo turno, o vencedor ter os 50% mais um dos votos válidos.

O fato de ser eleito não significa ter carta branca para fazer o que quiser. Além das limitações constitucionais, há ou deve haver as limitações programáticas. Por exemplo, se no ou nos programas eleitos constar que o candidato é contra a privatização de uma empresa ou serviço público, esta posição não pode ser ignorada.

Num país como o Brasil, que existem 35 partidos políticos, precisamos elaborar mecanismos que impeçam as negociatas, a compra e venda de votos e o descompromisso com os programas. Se os políticos não tiverem PALAVRA, coerência, como o Povo vai se sentir obrigado a ser coerente?

O Brasil passa por um descontrole muito grande, combinado com uma série de provocações e desrespeito à Constituição por parte do presidente da República. Precisamos dar um BASTA ao presidente. Mas não podemos continuar a cada eleição parar o país para fazer mais um impeachment. Com as eleições vinculadas aos programas eleitorais a aplicação da lei deve ser mais simples e sem ser necessário parar o país.

Da mesma forma que o atual presidente não está governando com respeito às leis, temos governadores que foram eleitos no arrastão eleitoral mas que também não estão conseguindo fazer um mandato ético.

Este ano teremos eleições para prefeitos e vereadores, além de construir unidades programáticas, precisamos criar mecanismos de fortalecimento da Democracia Participativa ou Direta, isto é, uma democracia ágil, legítima e que o Povo seja ouvido e respeitado em todos os níveis.

Portanto, vamos unir os advogados de todo Brasil aos artistas, aos trabalhadores, aos estudantes, aos trabalhadores da Saúde, aos empresários, aos aposentados, aos desempregados e aos jovens.

Vamos, juntos, unir o BASTA a medidas imediatas que ajudem o Povo brasileiro a ter orgulho de seu país.

Pela Saúde, pela Vida, pela Democracia e pela Liberdade.

Ditadura nunca mais.

sábado, 30 de maio de 2020

Somos muitos, porém dispersos.

Eles são poucos, mas ocupam cargos

Temos certeza que as pessoas que defendem a vida, a liberdade a democracia são a ampla maioria da população.

Sabemos que os eleitos para mandatos públicos, na maioria das vezes, depois de eleitos ou nomeados fazem o que eles acham melhor para eles...

SOMOS MUITOS, formamos uma frente ampla e diversa, suprapartidária, que trabalha para que a sociedade construa um projeto comum de país.

Evoluímos quando nos mobilizamos pela DIRETAS JÁ, fomos às ruas e cantamos juntos com os artistas. Fizemos uma Nova Constituição, que ajudou a democratizar o Brasil. Conquistamos liberdade partidária, liberdade sindical, liberdade de imprensa e uma melhor distribuição de renda.

Mas ainda ficou faltando consolidar a democracia, a liberdade e os mecanismos participativos que possibilitem substituir as pessoas que vão para os cargos públicos mas não conseguem realizar as demandas necessárias. Sejam estas pessoas governantes, parlamentares, juízes ou funcionários públicos...

O maior exemplo desta limitação da democracia representativa em detrimento de Participativa é a relação que o governo federal está tendo no combate ao vírus. As pessoas estão morrendo aos milhares, o vírus espalha-se por todo território nacional. Já somos o quinto país em quantidade de mortes e não temos controle da situação nem sabemos quanto tempo ainda teremos que conviver com tanta tragédia...

O povo e as instituições estão fazendo grandes campanhas em DEFESA DA SAÚDE, defesa da vida, do emprego, da Democracia e da liberdade. Os governadores e prefeitos estão fazendo a sua parte. Infelizmente, aquele que tem maior obrigação em se colocar à serviço do povo, é quem menos faz.

COMO RESOLVER ESTE IMPASSE?

A quarentena é importante, mas, se por um lado evita a contaminação, por outro lado, impede que sejam realizadas grandes manifestações exigindo que o governo federal trabalhe à serviço do povo, em vez de ficar contra o povo.

É inconteste que o STF e a imprensa têm apoiado o clamor do povo. Mas o Congresso Nacional está aquém das suas responsabilidades.

Como reverter este marasmo, esta letargia do Congresso Nacional?


sexta-feira, 29 de maio de 2020

Brasil passou a Espanha em mortes. Já somos o quinto

Enquanto as mortes vão aumentando, o governo continua brigando

Pelo quarto dia consecutivo são registradas mais de mil mortes por dia. Hoje foram 1.124 mortes, totalizando 27.878.

Os Estados Unidos tem 102 mil mortes;

O Reino Unido/Inglaterra tem 38,2 mil mortes;

A Itália está com 33,2 mil morte e

A França está com 28,7 mil mortes.

O Brasil vem com 27.878 mortes.


E a cada dia é mais um amigo, colega de trabalho ou parente que morre. É muito triste ficar esperando pela ação mais efetiva do governo e sentir que o governo mais atrapalha que ajuda....

Poderia o povo ou alguém tomar coragem e demitir ou licenciar o presidente.

Quem não tem competência,não se estabelece.

quinta-feira, 28 de maio de 2020

No Brasil, quase todo mundo está brigando...

Mas tem gente fazendo a diferença...

Todo mundo quer mandar e ninguém quer obedecer, esta é a sensação que ficamos com o clima ruim que tomou conta do Brasil.

Vamos fazer uma análise sintética do comportamento das instituições:

1 - O presidente da República é um criador de casos e de confusões. Uma pessoa inapta para o cargo que foi eleito.

2 - Se o presidente da República é INAPTO, como substituí-lo?

3 - O presidente e seus apoiadores hostilizam o STF e o Congresso Nacional.

4 - O STF, por sua vez, vem demonstrando que não concorda nem gosta do presidente da República. Este, que adora uma confusão, reage hostilizando ainda às instituições. Aumentando ainda mais a crise e a incerteza.

5 - O CONGRESSO NACIONAL é a instância que tem mais responsabilidade com a governança do país. No entanto, o Congresso também não está ajudando a resolver os impasses entre o Executivo e o Judiciário.

6 - A Imprensa tem tido mais importância na fiscalização do mandato presidencial do que o Congresso Nacional.

7 - Enquanto o Executivo (Bolsonaro) briga com a Imprensa, o Congresso Nacional segue aprovando um conjunto de leis que prejudicam os trabalhadores, principalmente em relação à aposentadoria e aos direitos trabalhistas.

8 - O movimento sindical denuncia a retirada dos direitos tanto pelo governo Bolsonaro, como pelo Congresso Nacional, espaço onde atuam 35 partidos políticos... Os trabalhadores concordam com os dirigentes sindicais mas não vão para manifestações contra o governo. O desemprego, a recessão que come os salários e aumenta as dívidas, mais o desgaste dos políticos deixa os trabalhadores ressabiados e sem motivação para participar de manifestações.

9 - O movimento popular, com o perigo da pandemia do virus e o perigo de todo mundo se contaminar com o virus, correndo risco de vida, tem mais dificuldade de mobilizar a sociedade.

10 - As Igrejas, que antes tinham capacidade de mobilizar grandes manifestações, também estão com dificuldade de mobilizar suas comunidades.

11 - O movimento estudantil, que teve papel brilhante na luta contra a ditadura militar, também n ão está conseguindo mobilizar. O movimento dos jovens contra o reajuste de tarifas de ônibus foi o ponto de partida das manifestações de 2013. Em função da quarentena, os jovens estão sem aulas e sem mobilização.

12 - A OAB - Ordem dos Advogados do Brasil, que sempre teve papel de destaque na defesa da Democracia e da Liberdade, tem tido um bom desempenho na defesa da Democracia e da Liberdade, mas não está conseguindo ser um elo deligação entre os poderes constituídos e o povo.

13 - Os empresários, de qualquer tamanho, têm tido dificuldades em manter seus negócios vivos. Ante a quarentena e o fechamento temporários do comercio e de todos os setores empresariais, estão DEMITINDO, reduzindo os salários e deixando de pagar os credores, sejam eles fornecedores, bancos ou governos (tributos). Cada setor do empresariado sofre diferentemente. Sejam do Comércio, da Indústria, do setor de Serviços, profissionais liberais, agronegócio, pequenos produtores ou banqueiros.

14 - Neste quadro caótico, temos as Forças Armadas sendo evocadas, convidadas pelo presidente Bolsonaro e seus seguidores a dar mais um Golpe de Estado no Brasil, para acabar com a nossa frágil democracia.

15 - Ante a omissão e a incompetência do governo federal em combater o virus, o que tem ajudado a população tem sido o esforço dos governadores, que enfrentam a falta de dinheiro, a falta de infraestrutura hospital, e o boicote de governo federal na pessoa do seu presidente, Bolsonaro. Os governadores estão reduzindo os prejuízos e as mortes, que poderiam ser muito mais.

16 - Em menor proporção que os governadores, temos o bom trabalho desenvolvido pela maioria dos prefeitos em todo o país. Se os governadores têm poucos recursos, imaginem os prefeitos. No entanto, a proximidade entre os prefeitos e os moradores, os comerciantes, os servidores públicos e a integração com as cidades vizinhas, tudo isto, compensa a omissão do governo federal.

17 - Curiosamente, a integração entre os prefeitos, governadores, Congresso Nacional e governo federal deveria se dar a partir da ação dos Partidos Políticos. O Brasil tem 35 partidos políticos diferentes. Mas esta estrutura não funciona como deveria... Provocando uma imagem negativa perante a sociedade. Sendo que o povo vê os partidos como fonte de negociatas, corrupção e falta de transparência...

18 - Ao mesmo tempo que convivemos com tantas crise e com o virus, o governo Bolsonaro tem tido uma capacidade especial de destruir a boa imagem internacional que o Brasil tinha. No cenário internacional o pior desempenho do governo Bolsonaro tem sido em relação a destruição da Floresta Amazônica, da invasão das reservas indígenas e da matança dos índios e de lideranças rurais.

19 - O Brasil vem perdendo competitividade internacional. A política econômica do governo Bolsonaro está acabando com o pouco que nos resta da indústria nacional. As bravatas políticas contra a China prejudicam. as exportações brasileiras para o maior parceiro comercial.

20 - A nossa maior esperança por dias melhores, por incrível que pareça, vem das ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS nos Estados Unidos em novembro deste ano. A perspectiva de vitória do candidato democrata, Biden, contra o louco do republico e presidente atual, Trump, caso se confirme, como vem sinalizando as pesquisas, levará a uma melhora nas relações internacionais com o mundo todo e especialmente com o Brasil.

Podemos e devemos fazer a diferença...

Enfim, conforme demonstrado acima, temos 20 variações de trabalho social e político para melhorar o Brasil e o mundo. Ante a omissão do governo federal, diga-se Bolsonaro, as principais instituições nacionais e internacionais decidiram ignorar o governo federal e passaram a ajudar o povo brasileiro. Desde grandes empresas, até pessoas pobres em todo Brasil têm coletado dinheiro, cestas básicas, produzido máscaras descartáveis, etc.

Hoje, por exemplo, no jornal Folha, há duas páginas de PRESTAÇÃO DE CONTAS, do maior movimento de solidariedade em volume financeiro já acontecido no Brasil. No mesmo jornal, há uma foto de uma criança com uma máscara para evitar o virus, mas esta criança estava no meio de um lixão. Isto em Manaus, capital do Estado do Amazonas. Uma foto que simboliza o retrato do Brasil atual... Cada um pode contribuir para mudar este país, mudando a vida de cada uma de nossas crianças...

O Itaú Unibanco criou o TODOS PELA SAÚDE e vem a público prestar contas sobre as principais entregas do primeiro mês de atividades. Fizeram a campanha informativa sobre a importância e uso correto das máscaras, atingindo 150 milhões de pessoas; doaram 90 milhões de Equipamentos de Proteção Individual; 20 milhões de mascaras; criaram Gabinetes de Crise em todos os Estados, através de painel de monitoramento. ajudaram a dobrar a capacidade de testagem em todo o brasil, com o aumento de 25 mil testes por dia; estão criando Centros de Acolhimento de pessoas contaminadas e convidando as pessoas e as empresas a entrarem nesse movimento, para ser TODOS PELA SAÚDE.

Já ia esquecendo de mostrar de mostrar o quanto de dinheiro foi conseguido até agora: Foram UM BILHÃO de reais realizada pelo Banco Itaú Unibanco, 200 milhões de reais pela Itausa e famílias acionistas controladora do banco e pelas 848 doações realizadas por outras realizadas por outras empresas e pessoas físicas. Além de doações de produtos e de prestação de serviços.

Se podemos nos unir para combater o VIRUS,

também podemos nos unir para ajudar a restabelecer a paz, a alegria, o crescimento econômico, recuperar os empregos, os salários dignos, a Educação e a Saude para todos, e, principalmente, a Democracia, a Liberdade e o Estado de Direitos.

O Brasil merece nosso trabalho, nossa solidariedade e nosso respeito ã Natureza.

Juntos somos muitos, unidos somos capazes de construir uma grande Nação.

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Impressões da primeira guerra mundial

Quatro volumes de tragédias, que se repetem...

Ler os quatro volumes do livro "A História da Primeira Guerra Mundial", de autoria do historiador e professor David Stevenson é tomar um banho de informações, muitas delas que a gente está vendo pela primeira vez...

Como o clima no Brasil é de duas guerras simultâneas, uma contra o virus e os milhares de mortes, e a outra é a guerra declarada pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, contra o povo brasileiro, contra a imagem do Brasil a nivel internacional...

Por enquanto, estamos perdendo nas duas...

Hoje morreram mais de mil brasileiros, e ficamos sabendo de amigos e parentes que se contaminaram e outros que morreram... tudo em função da ausência do governo federal...

Hoje, além de poder ler os jornais sobre a concordata da LATAM, pudemos dar uma olhada nas notícias sobre o Rio de janeiro... 1 - a PF, a pedido dos amigos do presidente, está investigando a família do governador do Rio; 2 - ficando sabendo da notícia de que uma senhora foi assaltada num estacionamento de um supermercado; 3 - o presidente diz agora a PF começou a funcionar; 4 - os policiais do Rio mataram um jovem adolescente ao atirar indiscriminadamente numa casa...

Se estas guerras atuais que enfrentamos no Brasil são chocantes, imaginem como foi a primeira guerra mundial.

1 - Cada batalha morriam centenas de milhares de cada lado,
2 - jovens universitários, como voluntários, morriam com seus sonhos de liberdade e de defender sua pátria;
3 - conviveram com a gripe espanhola que matou tanto quanto a guerra;
4 - por demorar vários anos, muitos morreram por doenças e alimentação estragada;
5 - navios mercantes e navios de guerra eram bombardeados e seu tripulação morria aos milhares;
6 - os dois lados usaram bombas de gás contra as pessoas;
7 - a guerra começou, aparentemente, por birra, mas virou uma guerra mundial...

Alguns aspectos mais sutis, porém, tão importantes como os fatos:

1 - É vergonhoso quando lemos quais eram os objetivos de cada país para a guerra, breve vou relatar alguns exemplos...

2 - É muito curioso como os filmes e os livros são usados para reforçar imagens negativas de um povo ou de seus exércitos.

2.1 - "os italianos são ruins de guerra", mas ninguém registra que o império mais importante do mundo ocidental foi o Império Romano, que serviu de base para a cultura, o direito, as guerras, e língua falada. Além das massas, do povo bonito e alegre...

2.2 - O mesmo acontece em relação aos franceses. A imagem passada é que, sozinhos, eles perdem sempre, principalmente se a guerra for contra os alemães... Pouco se fala das Guerras Napoleônicas...

2.3 - Em relação aos alemães, sempre se passa a imagem de que eles são bárbaros, violentos por formação e só pensam em dominar o mundo...

2.4 - Quanto aos japoneses, a imagem é que são imperialistas por formação e oportunistas, negociando cada guerra conforme seus interesses, é como no futebol que se diz "vira casaca"... só querem levar vantagem...

2.5 - Os russos, ah, os russos, além de blefadores, Lênin é visto como oportunista, que só pensava em ficar no poder. Mas quem conhece a história da Rússia, sabe que eles tiveram mais vitórias que derrotas.


3 - Em relação ao resultado da guerra, a impressão que ficamos é que todos perderam, mas, houve alguns sucessos relevantes, por exemplo, foi o período final das monarquias imperiais e o crescimento das democracias parlamentar, com presidentes e primeiros ministros substituindo os reis. Como o processo foi mal resolvido, o principal resultado foi que, poucos anos depois, começou outra guerra mundial que repetiu tudo que aconteceu na primeira, de forma muito mais violenta e matando muito mais gente.


Conclusão:

A primeira guerra abriu caminho para a segunda guerra mundial, que deixou como resultado uma Guerra Fria, que deu lugar a uma "Guerra Invisível"...

Esta guerra invisível, que os governos dos países ricos preferem ditaduras servis à democracias autônomas, combinada com as pandemias e com a capacidade destrutiva das bombas atômicas, pode agilizar o nosso fim, como espécie. Ou o fim do Planeta Terra.

Alguns cientistas dizem que os humanos são metade racionais e metade irracionais. Que o homem continua a ser o lobo do homem.

Ainda temos muito o que aprender sobre a vida, sobre a individualidade e a coletividade, sobre o que é liberdade e o que é segurança. Precisamos refletir muito sobre as formas de governos e de sociedades. A ONU perdeu sua importância, mas devemos pensar em consolidar espaços coletivos de troca de experiências e de troca de conhecimento.

Só sei que, ao final de quatro volumes sobre a primeira guerra mundial, recluso na quarentena por causa do virus, não sei o que é mais difícil: enfrentar o virus ou enfrentar a violência humana...

terça-feira, 26 de maio de 2020

LATAM entrou em concordata...

Devolveram a EMBRAER, agora a TAM - Latam...

O governo alemão botou dinheiro na Lufthansa, empresa aérea alemã, em vez de deixar quebrar ou vender para os chineses ou árabes...

Você tem ideia quanta empresas aéreas a Alemanha tem?

Vou mostrar uma pequena lista:
1 - Luthansa, 2 - Eurowings, 3 - Condeor, 4 - TUI fly, 5 - SunExpress Deutschland, 6 - Deutsche Bahn R&F, 7 - Sundair, 8 - Lufthansa Cityline, 9 - Hahn Air Systems, 10 - Germanwings, 11 - Rhein-Neckar Air, 12 - Germania, 13 - airberlin, 14 - Lufthahrtgesellschjaft Walter, 15 - Deutsche Bahn AG, 16 - Small Planet Airlines, 17 - Hahn Air Lines.

Listei 17 empresas alemãs de aviação. E o governo alemão, em função da crise, vai comprar 20% do capital da maior empresa aérea da Alemanha, talvez da Europa, perdendo apenas para os Estados Unidos.

Enquanto isto, aqui no Brasil, um ministro da Fazenda/Economia, louco de pedra, diz em reunião de ministros que o maior banco público da América Latina, com duzentos anos de história ajudando o Brasil, o ministro diz que o governo tem que privatizar "esta porra"...

Há algo muito errado com nosso Brasil.

A TAM era brasileira, por uma série de interesses de composição de custos, de tributos e outras coisas mais, a TAM preferiu ser sócia minoritária da LATAM, empresa chilena. Agora a LATAM entra em concordata nos Estados Unidos e afeta diretamente a Latam no Brasil, onde é um grande mercado e onde a TAM cresceu e apareceu...

O mesmo debate vemos com a EMBRAER.

Os militares criaram a EMBRAER, o ITA - Instituto Tecnológico da Aeronáutica, com o apoio do BNDES, a EMBRAER cresceu, disputou o mercado internacional em seu segmento de aeronaves e, quando poderia crescer ainda mais, aparecem os predadores para "comprar" a empresa com preço especial.

O mesmo debate tivemos com as instituições de ENSINO. a rede privada de universidades está quase toda nas mãos de fundos de investimentos americanos e de, brasileiros laranjas...

O mesmo aconteceu com os laboratórios farmacêuticos...

O mesmo aconteceu com os Hospitais privados...

O mesmo aconteceu com o agro negócio, as usinas de álcool...

O mesmo aconteceu com os Supermercados. Nem Abílio Diniz suportou a pressão...

Assim o Brasil foi se descapitalizando, perdendo sua autonomia de negócios, assumindo ser um país de consumidores, deixando suas empresas industriais perderem competitividade internacional até serem vendidas ou fechadas...

O câmbio brasileiro é o maior estimulador da 'pirataria financeira", captar dinheiro barato no mercado internacional, aplicar no Brasil onde os juros estavam nas alturas, e assim, enriquecia o setor financeiro, em detrimento dos setores industriais e mesmo do agronegócio.

Uma política suicida como nação, como país livre e soberano.

Estou acabando de ler os quatro volumes do livro de David Stevenson, sobre a primeira guerra mundial e estava tão triste ao ler os objetivos estratégicos da Alemanha com a guerra, que até parei de ler um pouco para respirar e assistir os jogos de futebol do campeonato alemão na TV, sem público no estádio, mas com milhões de pessoas assistindo pelo mundo...

Ao ver a notícia da LUFTHANSA e depois a da LATAM. fiquei mais triste ainda.

O que a Angela Merkel tem que nós não temos?

Quando iremos adquirir autoestima como nação?

Quando vamos reconstruir uma indústria nacional?

Quando vamos reconstruir nossa indústria naval?

Tem hora que falar do Brasil dá uma tristeza...

E quando paro de trabalhar para tomar um cafezinho, quando olho para a embalagem o que vejo: Melita! Sabe de quem é a Melita? Dos alemães... Não estou falando de um mercedes, estou falando de um cafezinho, que, provavelmente o pó é brasileiro, mas a comercialização internacional é... alemã.

E ainda temos que pensar no virus, na quarentena, na falta de dinheiro, de emprego, de trabalho e temos que lembrar também que com esta crise toda do virus, ainda tem politico roubando nas compras....

Eu vou deixar de ler jornais... já cantava Bethânia nos anos 60...

Brasil passa os Estados Unidos em mortes?

A UOL diz que "em número de mortes diárias, sim."

Em outra reportagem, vi que o Brasil poderá chegar a 48,7 mil mortes até a curva começar a descer.

Mesmo contando com muitas projeções e hipóteses, como os Estados Unidos estão com 97,6 mil mortes e o Brasil com 23,4 mil mortes. Considerando que ambos continuarão a ter mortes, mesmo sendo em quantidades diferentes, não creio que o Brasil vá ultrapassar os Estados Unidos.

Nós somos o país de Barrichello, adoramos ser segundo lugar. Ainda mais quando os dois presidentes são Trump e Bolsonaro, dois aloprados.

Tem gente que acha que nós vamos vencer o virus pelo cansaço... Isto é, ele vai reproduzindo seu ciclo como se fosse uma gripe mais forte e, como a gripe vai o virus também vai. Também não creio nesta hipótese. Se fizermos pouco, o virus pode provocar centenas de milhares de mortes, pondo em risco a nossa sobrevivência...

O que mais me entristece é que, além de sentir as mortes dos amigos, parentes e do povo em geral, temos que sofrer pela incapacidade de administrar a crise em função do virus. O governo em vez de acalmar, irrita a população...

Além do caos dos governantes, acho que, mesmo considerando o apoio das entidades sociais, dos voluntários e das empresas, ainda assim, funcionamos de forma não integrada. São blocos de pessoas e/ou entidades que prestam trabalho voluntário.

Considero que, o mais produtivo, seria atuar em rede integrada e interligada tanto horizontal como verticalmente.

Por exemplo: A partir do mapeamento dos casos, identificamos os municípios, os bairros e a infraestrutura disponível. Estes dados são disponibilizados para o público em geral, contando com a rede pública, a imprensa e as instituições.

Estas informações e as demandas que cada comunidade apresente são integradas verticalmente com as administrações municipais, estaduais e federais - e até internacionais.

Percebemos que há dois pontos de estrangulamentos: um é a facilidade de contaminação. Enquanto não temos vacina, devemos tomar os remédios possíveis e sempre com orientação de médicos credenciados; devemos facilitar a identificação dos doentes ou de pessoas que se sintam doentes; um ponto grave, é quanto ao uso de MÁSCARAS em espaço público.

Independente de haver ou não lei determinando a quarentena, cada comunidade terá poderes para obrigar as pessoas a usarem máscaras nos espaços públicos. Pessoas que estiverem sem máscaras não poderão ter acesso a ônibus, trens e metrôs. Em contrapartida, os espaços públicos serão liberados, desde que seja garantida a distância entre as pessoas, que a fiscalização da comunidade seja ostensiva e que os responsáveis pelas instituições e empresas, informem às coordenações das comunidade. A pior quarentena é a que está na nossa cabeça, no nosso comportamento.

Não precisamos transformar o combate ao virus numa guerra em que uma pessoas agridam outras.

Não precisamos conviver com situações de comunidades terem excesso de doações e outras comunidades não gerem nada ou muito pouco.

Outra questão grave é emprego, trabalho, para quem não tem dinheiro, e também como ajudar as empresas e pessoas que estão sem dinheiro para pagar seus funcionários e seus compromissos. DEVEMOS ARTICULAR UMA MORATÓRIA GERAL.

A resposta é - integrando com as redes verticais e horizontais...

Quanto as dívidas, devemos constituir conselhos comunitários com poder de arbitragem, onde participam os devedores, os credores, os bancos, os governos e especialistas. A transparência, a segurança e o respeito devem ser condições indispensáveis.

Pelo andar da carruagem, tudo indica que iremos conviver até setembro com este mal-estar provocado pelo virus.

Ao mesmo tempo, precisaremos nos organizar para as eleições municipais mesmo que sejam adiadas para novembro ou dezembro. E, como em novembro teremos a eleição presidenciais dos Estados Unidos, e, se os democratas ganharem, o mundo tenderá a ficar mais calmo, mais solidário e mais construtivo.

O Brasil também pode fazer uma experiência de "reduzir o tensionamento, aumentar a solidariedade e aumentar o clima mais construtivo.

Alguém sempre me pergunta: Você já combinou com Bolsonaro?

Pressupondo que ele nunca vai ser favorável. Minha resposta tem sido: para fazer o bem, os governos não são indispensáveis, o ideal é que eles, pelo menos não atrapalhem...

Eu tenho certeza que, se a imprensa concordar em participar da rede, se os prefeitos e governadores toparem participar, se as entidades patronais e também dos trabalhadores toparem participar, se o judiciário concordar em ajudar, se as Forças Armadas e as polícias toparem ajudar e participar, se as Igrejas, os centros comunitários de cultura e esporte também toparem participar, vocês acham que Bolsonaro vai querer ficar fora? Ele só não pode querer ser o "dono da bola". Mas ele pode querer ser o presidente, mas não precisa ser "o dono da bola".

Creio que, se nós fizermos isto, se nós construirmos "UM BRASIL PARA TODOS", nós vamos comprovar que "o todo é mais do que a soma das partes", e, como dizia Betinho na "campanha contra a fome", se cada um fizer sua parte, nós derrotaremos o virus e fortaleceremos nossa democracia, nossa liberdade e nosso Brasil

E aí, se vamos ser o primeiro ou o segundo em relação aos Estados Unidos, é o que menos importa.

Pense nisto!

domingo, 24 de maio de 2020

Democracia de fachada no Brasil

Democracia urgente: Para quem?

Ontem, sábado, fui avisado que hoje sairia publicado na Folha um bom depoimento e apelo de Marcelo Freixo sobre a importância da formação de uma "Frente Democrática" contra "o projeto fascista do bolsonarismo". Há dias atrás tinha recebido cópia do texto, que estava sendo discutido por vários advogados e também por petistas...

Algumas pessoas usavam este texto para argumentar de que o PT já era passado e que os progressistas deveriam votar em pessoas como Freixo. Um dos argumentos para justificar o mal-estar em relação ao PT foi a escolha de Jilmar Tato para candidato a prefeito de São Paulo enquanto Freixo deve sair candidato a prefeito do Rio de Janeiro...

Ouvi as críticas em silêncio e respondi que "as coisas não são tão simples assim".

Hoje, ao procurar o artigo de Freixo na Folha, o encontrei no caderno Ilustríssima, página B15, ao lado de um grande artigo com o título, "A ESPADA SOBRE A LEI", de autoria de Jorge Zaverucha, professor titular do departamento de ciência política da Universidade Federal de Pernambuco e doutor em ciência política pela Universidade de Chicago (EUA).

O artigo do professor é o melhor que já li sobre a Democracia brasileira. E, curiosamente, complementa muito o artigo de Freixo. O professor alerta:

"A grande maioria dos cientistas políticos e da mídia (inter)nacional difundiu a ERRÔNEA ideia de que o Brasil é uma democracia consolidada. A situação atual em que nos encontramos é a melhor prova de quão equivocada é essa interpretação.

AS PRINCIPAIS INSTITUIÇÕES NÃO FUNCIONAM A CONTENTO.

Vide o Congresso Nacional - A despeito de ter aprovado boas medidas recentemente, conta com 1/3 de seus parlamentares respondendo a processos na Justiça. São 160 deputados e 38 senadores acusados de corrupção, lavagem de dinheiro, estelionato e improbidade administrativa.

O STF é uma corte com tintura partidária, que nem sempre zela pela Constituição.

Que dizer do decano da Suprema Corte declarando que Bolsonaro NÃO TEM ESTATURA para ser presidente da República, esqjuecendo de que sua função é tão somente julgar?

O propósito das Forças Armadas é defender a sociedade, não a definir.

Sem a existência de instituições sólidas e de respeito aos valores democráticos, crises de governo ameaçam se transformar em crises institucionais.

A DEMOCRACIA ESTÁ EM RISCO?

A resposta depende da concepção metodológica utilizada. Para alguns, basta haver competição eleitoral - livre e limpa - o que o Brasil possui desde 1990. Mas essa concepção de democracia põe em relevo a escolha de governantes, NÃO A FORMA COMO O PODER É EXERCIDO. Onde há eleições, existe democracia; onde não há, por conseguinte, instaura-se a não democracia.

É um mundo binário, de consequências perniciosas, pois reduz a democracia a um mero método. Não leva em conta a lição de Tocqueville segundo a qual a DEMOCRACIA se justifica quando favorece o bem-estar do MAIOR NUMERO DE PESSOAS.

E O BRASIL É UM BELO CASO DE IRRESPONSABILIDADE SOCIAL.

Eleição é um indicador, mas há vários outros, por exemplo, o autor cita a violência homicida e do controle civil sobre os militares federais e estaduais. Principalmente quando aparece discussão sobre golpes de Estado e a relação de governantes com as milícias...

O autor é enfático: O CONTROLE CIVIL SOBRE OS MILITARES NUNCA HOUVE, plenamente, desde a redemocratização em 1985. Os ritos de uma democracia eleitoral formal convivem com enclaves e prerrogativas militares.

Esse pacto informal resulta em um equilíbrio instável, e o grau de acomodação entre civis e militares varia com as circunstâncias políticas.

A novidade é que a presidência passou a ser exercida por um militar eleito pelo voto popular, mas que considera o Exército a "ancora do seu governo".

A declaração confere muito peso político aos militares. Creio ser algo inédito na história republicana brasileira e, quiçá, mundial.

Bolsonaro sabe que, em caso de um GOLPE CLÁSSICO, perderia seu emprego, pois capitão não manda em general em um regime castrense. A não ser que houvesse um monumental racha dentro das Forças Armadas."


Recomendo que todos leiam o artigo do professor Zaverucha por inteiro, peguei mais a parte final, mas a parte anterior é de uma riqueza ímpar.

Voltando ao título do artigo de Freixo: "Democracia urgente", realmente o Brasil está precisando voltar a priorizar a democracia, principalmente depois do novo golpe de Estado dado em 2016.

Somos a favor de uma Frente Ampla em defesa da Vida, da Democracia e do Emprego, que inclua um programa mínimo que unifique todos os participantes. Como por exemplo: Não há democracia sem livre organização tanto dos trabalhadores como dos empresários; liberdade de imprensa em todos os níveis; liberdade de mercado, com livre concorrência e restrição aos oligopólios; prioridade nas políticas públicas, principalmente Saúde, Educação e Qualidade de Vida.

E, apenas lembrando: Democracia, para ser Democracia, precisa ser DO POVO, COM O POVO E PARA O POVO.

Não queremos democracia do big stick, onde só tem eleições enquanto estamos ganhando, quando perdemos, derrubamos o governo...

O mundo moderno pressupõe conviver com a diversidade, com a equidade, valorizar o meio ambiente e os espaços individuais e coletivos. O Brasil não pode continuar com tantas favelas, tanta exclusão social e tanta violência policial contra as pessoas pobres e negras...

Um outro Brasil é possível e necessário.

E eu quero poder continuar a cuidar dos nossos jardins e das nossa flores...




O Brasil e a humilhante liderança mundial em mortes

A voz da autoridade no assunto

No artigo de hoje publicado na Folha, o médico e autoridade social, Drauzio Varella, chama de "O pesadelo", a crise com o virus.

Ele faz sua humilde autocrítica por ter subestimado o impacto do coronovirus. Nós, que gostamos muito do Dr. Dráuzio achamos que seu gesto é mais uma ratificação de suas virtudes...

Ele concordava com quase todos os especialistas que tenderia a ser uma epidemia como as outras que têm aparecido.

"Há muito soubemos que os coronavirus são agentes causadores de resfriados comuns. Apenas dois deles estão associados a doenças mais graves, como a Sars e a Mers, epidemias que emergiram na China em 2003 e na Arábia Saudita em 2012, respectivamente, para desaparecer misteriosamente depois de atingir alguns países.

Cientistas de renome e especialistas em saúde pública se enganaram como eu, entre os quais recipientes do Nobel de Medicina e o doutor Anthony Fauci, diretor do NIAID, dos Estados Unidos.

Na verdade, o mundo não foi capaz de avaliar o perigo. A Europa foi pega de surpresa. Os Estados Unidos assistiram à chegada do coronavirus em Nova York com hospitais cheios sem leitos suficientes nem máscaras cirúrgicas para atender à demanda dos profissionais de saúde.

Aqui no Brasil, desde fevereiro ficou claro que o virus já andava longe demais para ser contido.

Embora pelos menos 80% dos infectados tenham evolução benigna, aqueles com apresentações mais agressivas que exigem internação em leitos hospitalares e UTIs, provocaram um estresse no sistema, que nem o SUS nem os planos de saúde estavam preparados para suportar.

O desafio de impedir que o Brasil assuma a humilhante liderança mundial na contagem do número de óbitos, tragédia considerada POSSÍVEL, e até PROVÁVEL, por epidemiologistas respeitados.

No auge da maior crise sanitária dos últimos cem anos, assistimos à inacreditável nega;cão da realidade por parte das autoridades federais.""

Minha observação é que, se o Brasil está com 21.048 mortes, quando os Estados Unidos está com 96.062, para que o Brasil passasse na frente seria necessário desacelerar nos Estados Unidos e acelerar ainda mais no Brasil. Confesso que acho muito difícil acontecer isto.

Afinal, concordando com nosso mestre Dr. Drauzio, "A situação em que estamos, não poderia ser imaginada nem sequer no mais terrível pesadelo."

Pois é, nós que dedicamos a vida na luta pela redemocratização do Brasil e no fortalecimento das instituições democráticas, JAMAIS imaginamos que veria o Brasil com um presidente da República como o atual. Além das humilhações pelas mortes, temos a humilhação pela imagem negativa do Brasil no exterior e as ameaças de golpes e armar o povo para aumentar ainda mais a violência e as mortes.

Precisamos nos unir para ficar livres dos dois virus, o coronavirus e o Jair Bolsonaro.

Democracia só se aprende praticando-a...

Aquele abraço carinhoso para nosso escritor, médico, voluntário maravilhoso e comunicólogo...

O Brasil precisa muito de pessoas assim. Sem medo de errar e sem medo de ser feliz.


sábado, 23 de maio de 2020

USA, pesquisa aumenta vantagem democrata - Fora Trump

O virus pode derrotar Trump

Em condições normais, disputas presidenciais nos Estados Unidos têm amplas implicações nos demais países...

Pior do que a crise econômica, a crise com as mortes motivadas pelos virus e a displicência inicial de Trump no enfrentamento do virus, pode levar Trump a uma grande derrota nas eleições em novembro nos Estados Unidos.

De repente, todo esforço que Trump tinha feito para conseguir aumentar a oferta de emprego nos Estados Unidos, foi por água a baixo, com a multiplicação das mortes em todo o país.

Até ontem, dia 22/05/20, foram 96.062 mortes e 5.166.557 pessoas infectadas.

Como Bolsonaro, parece que Trump também não gosta de cuidar de doentes...

Em vez de defender a UNIÃO contra a pandemia, Trump dobrou a aposta na guerra CONTRA OS DEMOCRATAS, Sobretudo OS GOVERNADORES.

Como o louco daqui, Trump sugeriu injetar desinfetante ara tratar o virus... Resultado: sua popularidade está em queda desde abril. Até nisto os dois se parecem - Trump lá e Bolsonaro aqui.

A Rede de TV FOX, que apoia Trump, fez uma pesquisa e levou um susto:

- O número de pessoas que dizem aprovar a atuação de Trump DESCEU 10 pontos...

- Entre mulheres, a cifra BAIXOU 25 pontos.

- Entre os eleitores independentes, CAIU 26 pontos.

- Entre os homens, o oposto, uma subida de 8 pontos.


- Em abril, Biden (democrata) e Trump (republicano) estavam empatados em 42%; agora, o DEMOCRATA LIDERA com 48% contra 40% de Trump (republicano);

- Em Michigan, onde Trump derrotou Hillary Clinton por uma margem de 0,2 pontos, o democrata abriu uma vantagem de 5 pontos. Na Pensilvânia, onde a diferença foi de 0,7 pontos em 2016, Biden lidera com 9 pontos...

- A REJEIÇÃO A TRUMP ESTÁ CONTAMINANDO OUTRAS CANDIDATURAS...


Os dados acima eu peguei no jornal Folha, no artigo de Roberto Simon, "Joe Biden tem motivos para se animar"...

NÓS TAMBÉM TEMOS MUITOS MOTIVOS PARA MOS ANIMAR COM AS ELEIÇÕES AMERICANAS.

Fora Trump!

Fora Bolsonaro!

sexta-feira, 22 de maio de 2020

Passamos a Rússia, agora só tem os Estados Unidos na frente

Trump e Bolsonaro disputando onde vai morrer mais

Aqui ou lá?

Triste Brasil...

A pandemia continua nos empurrando para números desastrosos, a população sofre, os comerciantes sofrem, os assalariados sofrem, os prestadores de serviço sofrem, os estudantes sofrem por falta de aula, enfim... estamos sofrendo muito.

À noite, quando podíamos ligar a TV e assistir a bons programas e bons filmes, aparecem os noticiários com a tragédia da pandemia, e a

Tragédia do governo Bolsonaro...

Que vergonha, que falta de respeito com o Brasil e com os brasileiros...

Ministro que falta ao respeito com o STF...

Outro que defende prender governadores e prefeitos...

O posto Ipiranga, com cursos nos Estados Unidos só sabe falar em vender, privatizar, cortar custos... Quanto ele está ganhando para fazer tanta destruição?

Privatizar a porra do Banco do Brasil?
Imaginem um ministro da Fazenda usando um palavreado deste numa reunião plena de Ministros?

O mundo inteiro vai ter cópias desta reunião.
Quem vai levar este país a sério?

Dá uma tristeza imensa... Lutamos para restabelecer a democracia no Brasil para isto?

É preciso fazer alguma coisa para acabar com esta desmoralização...

Não foi e não pode ter sido em vão.

É um constrangimento geral.
Como se sentem os ministros?
Imaginem se os juízes do STF falassem o que realmente acham deste governo????

Imaginem os embaixadores?

quinta-feira, 21 de maio de 2020

Passamos das 20.000 mortes e dos 300.000 casos

Logo, logo passaremos a Rússia e seremos o segundo

Como dizia Barrichello:

Não precisa ser campeão. Ficar apenas atrás dos Estados Unidos, para um país governado por Bolsonaro, está bom demais...

O duro é ler nos jornais que há cientistas prevendo que as mortes no Brasil podem passar de 100.000. É desesperador.

Mais duro ainda é saber que na quantidade de mortes do dia há o pai de nossa colega da executiva nacional da CUT, Graça.

A Graça é uma ótima dirigente sindical, veio de um sindicato dos trabalhadores municipais do interior do CEARá.

Seu pai passou mal, foi levado ao hospital, mas quando conseguiram uma vaga para interná-lo na UTI, ele faleceu.

Quantos milhares de casos como este devem estar acontecendo no Brasil?


E enquanto as pessoas vão morrendo, o governo Bolsonaro continua que nem uma barata tonta. Que triste realidade para um país tão importante como o Brasil.

Por falar em Ceará, vai um pedaço de uma musiquinha para lembrar dos amigos e das amigas...

"Calça nova de riscado, paletó de linho branco, que até o mês passado, lá no campo ainda era flor, sob o meu chapéu quebrado
o sorriso ingênuo e franco, de um rapaz novo e encantado, vinte anos de amor...

Aquela estrela é dela, Vida, vento, vela leva-me daqui.

A pandemia atual, a Gripe Espanhola e as guerras

O que leva as pessoas a erguer e destruir coisas belas?

Meu irmão que é físico, graduação e mestrado na USP e doutorado em Nagoya - Japão, costuma dizer que as pessoas "não inventam, as pessoas descobrem". Por exemplo, a lei da gravidade foi descoberta ao se observar uma maçã cair... ou que, quando entramos numa banheira cheia d'água, o nível da água sobe proporcional ao volume do nosso corpo...

Os homens descobriram as guerras, que começara pela sobrevivência e depois se generalizou para a disputa de poder, de dominação e de irracionalidade...

Vivemos momentos terríveis enfrentando uma pandemia que paralisou o mundo. Coisa que nenhuma pessoa tinha conseguido até agora... Os cientistas ainda não descobriram a vacina e os remédios necessários para combater a coronavirus...

Tivemos duas grandes guerras que "quase pararam o mundo ou destruiram o planeta Terra..."

Como castigo, por ainda não ter impedido o crescimento do virus, somos obrigados a ficar em quarentena. Estou desde o dia 05 de março em casa, saindo somente para ir até a esquina no mercadinho ou na farmácia da rua de baixo. Entre todas as tarefas diárias, leio todos os jornais, dou umas olhadas nos noticiários e escrevo "o resumo do dia"...

Uma das tarefas mais importantes, além de cuidar do jardim e das flores, é LER LIVROS... além de todas as outras leituras. O livro é uma das coisas sagradas, divinas, que a humanidade "inventou" ou "descobriu".

Por exemplo, estou trabalhando no quarto da nossa filha, que, mesmo já sendo casada e tendo sua própria casa, para nós, o quarto continua sendo dela. Mesmo porque ainda tem roupas, calçados... e livros. Entre tantos livros da nossa filha, deparei-me com um livro que é uma das maravilhas da humanidade: ODISSEIA Homero. Uma edição lindíssima da Cosac Naify.

Mas o livro, ou os livros que resolvi priorizar nestas férias compulsória e claustrofóbica é a coletânea de quatro volumes, A HISTÓRIA DA PRIMEIRA GUERRA MJUNDIAL, escrita por David Stevenson, professor inglês de grande sabedoria... Talvez influenciado pelo hábito atual de ler jornais de trás para frente, porque nos jornais, o fim é onde tem cultura e lazer, enquanto que o começo tem política medíocre, li o quarto volume "O LEGADO", que é muito bom e atual...

Hoje acabei o terceiro volume, e, que trata da guerra ou das guerras nos anos 17 e 18, isto é, 1917 e 1918... Devorei o livro, dia e noite lendo, lendo e lendo, tentando entender a lógica daquelas guerras e de seu poder de destruição...

Louco para saber como seria o final, como os vencedores comemoraram, como foram as festas, etc. Quando cheguei ao fim, levei um susto imenso.

Vou reproduzir uma boa parte das considerações finais do autor do livro, proféticas...

"Às 11h00 do dia 11 de novembro (de 1918), quando os canhões ao longo da Frente Ocidental por fim silenciaram. Foi um momento excepcional, embora celebrado com menos entusiasmo pelos soldados dos Aliados em campo, que pelas multidões febris em PARIS e LONDRES.

Contudo, no final de outubro, a PANDEMIA DA GRIPE ESPANHOLA matava 7 mil pessoas por semana na Grã-Bretanha, e no total, DIZIMOU 500 MIL VIDAS AMERICANAS, excedendo as mortes dos Estados Unidos em batalha nas duas guerras mundiais, na Coreia e no Vietnã, CONSIDERADAS COMO UM TODO.

No mundo todo o número de fatalidades EXCEDEU as mortes na guerra e pode ter atingido 30 milhões.

NÃO HAVIA DEFESA MÉDICA PARA A DOENÇA.

Suas vítimas morriam em meio a dores e amiúde à imundície.

Sua incidência não estava diretamente ligada ao conflito ou à má nutrição causada pela pela guerra.

Sua DISSEMINAÇÃO foi facilitada pela proximidade forçada de centenas de milhares de homens em serviço de trincheiras, hospitais, trens e navios de passageiros.

Contudo, a pandemia foi eclipsada pela guerra na época, pois ela talvez fosse uma calamidade natural, e não produzida pelos homens.

NOVEMBRO DE 1918, foi uma época estranha, triste, outro momento de HISTERIA em massa, mas muito diferente daquela de julho de 1914.

A matança agora cessaria, e isso parecia razão suficiente para celebrar... fazendo surgir esperanças não mais vistas desde 1848 e novamente até 1989.

Nenhum relato do impacto e do significado do conflito pode estar completo sem a abordagem do que se seguiu a ele e de seu legado ENVENENADO.""


Um livro tão impressionante, tão importante, e, a última palavra escrita é ENVENENADO.

Os Estados Unidos foram imprescindíveis para derrotar os alemães tanto na primeira como na segunda guerra mundial, a recompensa por tão importante missão foi tornar-se o mais importante país no século XX.

Nova pandemia tomou conta do mundo e o país mais afetado é exatamente os Estados Unidos. E o seu presidente não é nenhum líder histórico como muitos, o presidente que convive com tantas mortes nos Estados Unidos é um louco que está destruindo a boa imagem que os americanos construíram de seu país.

E este louco, chamado Trump, com medo de perder as eleições presidenciais, fica provocando a China e o mundo, querendo inventar novas guerras...

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Estamos chegando nas 20.000 mortes e 300.000 casos...

A imagem do Brasil no mundo, afunda...

As pesquisas vão mostrando que estamos ficando sem presidente da República, sem governo, sem dinheiro, sem emprego e sem poder sair de casa.

Tudo bem que a quarentena é necessária, mas é enlouquecedora. Não tenha dúvida...

Usamos máscaras, luvas, ficamos em casa e tudo que for necessário para evitar ser contaminado ou contaminar alguém, FAZEMOS NOSSA PARTE...

O diabo é ter que conviver com o desespero do virus, e, ao mesmo tempo constatar a incompetência do presidente Bolsonaro e sua equipe.

E, além da fazer uma confusão dos infernos, ainda aparecem uns malucos falando em Golpe de Estado, Estado de Sítio e outras maluquices...

Se respeitando a democracia este governo de malucos não consegue vencer o virus, imaginem numa ditadura. Vão fazer o quê, dizer que não existe virus, que é tudo invenção da imprensa???

Até sábado chegaremos a 20.000 mortes e 300.000 casos de contaminação. É muita tragédia!

Imaginem a frase eloquente:

Brasil está atrás apenas dos Estados Unidos e da Rússia!!!!!


Ainda bem que teremos eleições presidenciais nos Estados Unidos ainda neste ano, em novembro...

Trump deve perder as eleições, vai voltar para casa para cuidar de seus negócios e parar de perturbar a China e outros países importantes...

Saindo Trump, se Bolsonaro não tiver saído até lá, contaremos com a contribuição do novo presidente dos Estados Unidos para acalmar o mundo, cuidar efetivamente dos doentes e de seus familiares

Outra coisa triste é constatar a tragédia em São Paulo.

O estado mais rico, mais importante, mais bem organizado, de repente, não mais que de repente, morrem 5.363 pessoas e 69.859 são infectadas. POR ENQUANTO...

E pensar que na primeira guerra mundial - 1914 a 1918 - os americanos tiveram mais de 50.000 mortes pela gripe espanhola, além dos milhares que morreram nos campos de batalha ajudando a derrotar os alemães...

Como cantava Chico Buarque na juventude...

"Tem certos dias que eu penso em minha gente...
e sinto assim todo o meu peito se apertar,

porque parece que acontece de repente
feito um desejo de eu viver sem me notar...

igual a como quando eu passo no subúrbio,
eu muito bem vindo de trem de algum lugar...

E aí me dá como uma inveja dessa gente
que vai em frente... SEM NEM TER COM QUEM CONTAR.

terça-feira, 19 de maio de 2020

1.179 mortes num dia. Deus nos abandonou?

Não, nós que abandonamos Deus...

Um povo que vive o drama que os brasileiros estão vivendo, com as mortes chegando de baciadas, aumentando a cada semana, e um governo central trabalhando contra os médicos, contra os cientistas, contra a imprensa, contra o judiciário e contra o congresso nacional, este povo não pode deixar este governo deixando seu eleitorado, seus pais e seus filhos morrerem por incompetência e por omissão.

Os números são terríveis!

em 24 horas morreram mais 1.179 pessoas;

somando todas as mortes, chegamos a 17.971 pessoas;

a quantidade de pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus subiu para 271.628;


Ceará passou o Rio de Janeiro

Pará ultrapassou o Amazonas em número de mortes.

São Paulo continua na frente com 65.995 casos, o Ceará com 28.112; o Rio de Janeiro com 27.805, Amazonas com 22.132 e Pernambuco com 21.242.

Só no Estado de São Paulo já morreram 5.147 pessoas, seguido de 3.079 no Rio, 1.856 no Ceará, 1.741 em Pernambuco e 1.519 no Pará.


Como cantava CASTRO ALVES, ante a escravidão no Brasil, "Deus oh Deus, onde estás que não respondes, em que mar, em que céu tu te escondes?"

Deus nunca se escondeu dos homens.

Os brasileiros é que demoraram a reagir contra a escravidão, demoram a reagir contra a pobreza e a manutenção da discriminação aos negros.

Os brasileiros estão perplexos com o noticiário diário, angustiados com a postura do presidente Jair Bolsonaro e seu ministério de aloprados...

Outro dia me perguntaram se os banqueiros e os grandes empresários estão favoráveis a deixar Bolsonaro permanecer no governo, apesar da incompetência comprovada. Eu tenho respondido que, com certeza a maioria dos banqueiros e dos grandes empresários é contra Bolsonaro permanecer como presidente da República.

Me perguntaram o porque de eles silenciarem ante tantas mortes?
Eu respondi que os empresários ainda não falam para a imprensa mas já estão discutindo alternativas...
O próprio artigo do vice-presidente, general Mourão, já foi uma tentativa de diminuir a pressão.

Lembrei também que a Rede Globo e a Folha estão sendo verdadeiros faróis de informações valiosas para motivar o povo a por limite na insanidade do presidente do Brasil.

Mostrei ontem que a imprensa internacional está estarrecida com o que está acontecendo com o Brasil.


Afinal, o que está faltando para tirar Bolsonaro da presidência???

Será que Edir Macedo poderia conversar com ele e pedir para ele renunciar ou licenciar-se?

Será que Malafaia também poderia conversar com Bolsonaro e recomendar que ele saia?

Será que ele tem mãe viva? Se tiver, será que já conversou com a mãe?


Será que os generais das Forças Armadas já conversaram com ele? Explicaram que não é nada pessoal...?

Alguém poderia conversar com Trump, o presidente americano e modelo para Bolsonaro. Tenho certeza que até Trump vai recomendar uma licença-saúde... com um tratamento nos Estados Unidos, levando os filhos juntos.

Nós só queremos paz, trabalho e, principalmente, impedir que nossos pais, irmãos, filhos e amigos continuem morrendo por omissão do presidente da República.

Nem nomear um MINISTRO DA SAÚDE ele consegue?

Já pensou ter que trocar o médico no meio da cirurgia? Trocar o pneu com o carro andando?

Confesso que, de tão assustado e tão triste com o que está acontecendo, eu ando com a frase de Gonzaguinha na cabeça, repetindo o dia todo...

"Não dá mais para segurar...""

SAIA BOLSONARO!


Senhor, escutai as nossas preces!

Aleluia irmãos, vamos rezar juntos para salvar o povo brasileiro!@

Vamos continua a ajudar as pessoas necessitadas...

Vamos continuar distribuindo alimentos e máscaras...

Mais o governo não pode continuar a fazer gol contra, como diz Juca Kfouri.


Que Deus não nos abandone...

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Bolsonaro fracassa como presidente

A imprensa internacional já se convenceu

Bolsonaro fracassa como gerente de crise, diz jornal alemão Handelsblatt.

Brasil caminha para o caos, dizem os argentinos.

Até a rede de TV conservadora dos Estados Unidos diz: Bolsonaro é visto FORA DE CONTROLE.

No New York Times “Bolsonaro tira foto com crianças em manifestação que contraria orientação de Saúde “


A imprensa brasileira também já está convencida: FORA BOLSONARO

domingo, 17 de maio de 2020

Brasil, duas epidemias e um bom artigo na Folha

Efeito Bolsonaro sobre a imprensa

Podemos dividir o Brasil e a imprensa entre antes do governo Bolsonaro e pós posse de Bolsonaro como presidente.

Até a posse de Bolsonaro, o prazer de muitos jornalistas que não gostam de ser chamados de neoliberais ou conservadores, era bater no PT e falar mal de Lula. Esta postura serviu para fomentar um ódio de parcela da população contra o PT e contra Lula, ao mesmo tempo que foi liberando um lado conservador, violento, chegando ao fascismo e ao nazismo, como nunca se vira antes...

Este divisor de água também serviu para levar a política para os extremos, isto é, ou se é reacionário e defensor do vale-tudo contra os trabalhadores e suas instituições, ou se é de esquerda, sectário e defensor do quanto pior melhor... O centro largo, centro-esquerda e centro-direita ficaram bloqueados, envergonhados, assustados...

Agora, precisamos restabelecer a unidade nacional em defesa da democracia, da liberdade, do Estado de direitos e da melhor qualidade de vida para todo o povo brasileiro. Ao mesmo tempo, e talvez como prioridade, devemos derrotar o virus e derrotar a recessão e o desemprego...

Como fazer isto?

Este dilema está presente no dia a dia da Folha, o principal jornal do país. A Folha faz questão de declarar-se o jornal mais plural do Brasil, mas, ao mesmo tempo, não vacila em apoiar golpes de Estado em defesa de suas posições. Apoiou o golpe de 1964 mas foi fundamental na Campanha das Diretas, e pelo fim da ditadura; Apoiou novamente o golpe de Estado contra Dilma e o PT, em 2016, mas vive o dilema de como enquadrar ou derrubar Bolsonaro sem precisar fortalecer o PT e Lula.

Este dilema, por enquanto, não é só da Folha, é da maioria das instituições não de esquerda no Brasil. Todas elas apoiaram Bolsonaro como o único que se viabilizou eleitoralmente, mas, digamos que 90%, já estão indignados com as loucuras do presidente.

Como democrata, libertário e cristão, sou favorável a se "perdoar 70 vezes 7", mas devemos também aprender com a história. Viver é aprender com os erros e com os acertos. Quem não enfrenta desafios não cresce, não evolui, não enriquece...

Nesta fase de combater abertamente as loucuras de Bolsonaro, a Folha tem tido o melhor desemprenho, como tem sido a melhor cobertura da crise do virus.

"Cresceu também como crítico qualificado, o jornalista Vinicius Torres Freire.

Hoje ele apresenta um artigo muito bom com o título "Brasil, duas epidemias e um Bolsonaro", na página A21. Eu acho importante dar mais destaque no conteúdo e vou fazer uma síntese pegando dados que todo o Brasil deve estudar e usar no dia a dia...

1 - Em 6 estados ocorreram 83% das mortes,

São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Pernambuco, Amazonas e Pará

2 - É importante destacar que o Brasil tem 26 Estados mais o Distrito Federal, totalizando 27 unidades federativas...

3 - 83% dos brasileiros correspondem a 95 milhões de pessoas,

4 - Os 17% que não estão nos seis estados, e sim nos 21, corresponde a 115 milhões de brasileiros...

5 - Em termos de mortes, a pandemia quase que não existe na Região Sul - Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul; nem no Centro Oeste.

6 - A tragédia em grande escala está em apenas seis estados, correspondendo 95 milhões de pessoas.

7 - O quê faz com que a BAHIA, por exemplo, tem 19 mortes por milhão de habitantes, enquanto que Pernambuco e Ceará, ambos no Nordeste, têm 162 e 145 respectivamente?

8 - O que faz com que no Sudeste, MINAS GERAIS tenha 7 mortes por milhão de habitantes, enquanto o Rio de Janeiro tenha 141 e São Paulo tenha 98 mortes por milhão de habitantes?

9 - Por que deixaram o caos tomar conta da Amazônia e se expandir para o Pará, ambos os Estados representando 80% da floresta Amazônica?

10 - As mortes estão concentradas nas regiões metropolitanas, portanto, o grande cuidado têm que se concentrar nestas regiões e as medidas preventivas devem levar em conta estas diversidades...

11 - São Paulo, o maior afetado do Brasil, começa a dar sinais de desaceleração das mortes;

12 - O Nordeste e o Norte ainda vivemos com a explosão do virus e suas consequências...

13 - O Rio de Janeiro pode também ter crescimento e mais caos...


O BRASIL VAI SE TORNANDO UMA ABERRAÇÃO

O desgoverno, ou, o governo da morte, da tentativa de autogolpe, além da perversidade lunática e a cafajestada facinorosa pode fazer o Brasil piorar...

Quanto mais avacalhas as medidas de contenção, mais o morticínio vai durar. Quanto mais durar, maior deverá ser a propensão individual a abandonar o distanciamento, por desespero material ou psicológico.

Quanto pior ficar em função do virus, pior irá ficar em função da ECONOMIA.

Ainda temos chance de evitar essa aberração brasileira que seria a longa duração da primeira fase da pandemia:

chance de achatar a curva e de segurar o virus.

No entanto, JAIR BOLSONARO ESTÁ SOLTO."


Todos estes assuntos relatados acima estão no bom artigo de Vinicius, volto a insistir quanto a necessidade de se estudar todos eles em todo o Brasil e achar respostas e soluções.

E a melhor forma de se libertar de golpes e contragolpes, é unir a sociedade em torno da democracia, da liberdade, do respeito às diversidades e aos erros e acertos.

Não acho que devemos prender Bolsonaro, basta impedir que ele continue destruindo o Brasil. Basta tirar a caneta presidencial da mão dele. Ele não tem sanidade mental para usar tão nobre instrumento de trabalho e de representação.

Como cantava Gonzaguinha: "Não dá mais prá segurar...""

FORA BOLSONARO

sábado, 16 de maio de 2020

Sábado passado com 10 mil e neste sábado 15.000 mortes

No total de infectados já somos o 4o. lugar

Só estamos atrás dos Estados Unidos, Rússia e Reino Unido...

Como diz Regina Duarte: Prá frente Brasil!!!! Salve o Mito omisso...

Cada dia que passa é mais um conhecido que morre... ""

Realmente se parece com as guerras...

Antigamente as batalhas eram em espaços longe das concentrações urbanas, na primeira guerra mundial os alemães começaram a bombardear Londres, matando mais de 1.500 civis... as cidades alemães não foram bombardeadas; na segunda guerra mundial, os alemães aumentaram os bombardeios sobre Londres, causando muito mais mortes, mas sem vencerem as batalhas. Os ingleses heroicamente resistiram e impediram o desembarque dos alemães...

Nesta guerra contra o virus, nenhuma cidade está isenta de ser invadida pelo virus...

Começam pelos aeroportos, os portos, as rodoviários, os parentes e os profissionais de Saúde... todos vulneráveis...

O Brasil, com sua mania de grandeza, não quer ficar pequeno nem nas mortes e nem nas infecções, já é o quarto colocado nos casos de infecções e no total de mortes também já está entre os primeiros.
:56h.
Enquanto o povo morre, os políticos continuam desunidos, brigando publicamente, gastando muito dinheiro, alguns aproveitando para roubar um pouquinho mais e la nave vá... como dizia Fellini.

E o pessoal ainda vem com a história de autogolpe, golpe e meiogolpe. Golpe aqui não é contra o virus, é golpe de Estado mesmo. Já que não conseguem derrotar o virus, querem derrotar a democracia e a liberdade. É mole?

Como não podemos sair para ver os amigos, tenho uma reunião via videoconferência às 21:00h e já são 20:56h.

Tchao!!!!

sexta-feira, 15 de maio de 2020

O Brasil em CALAMIDADE PÚBLICA

O presidente do Brasil é uma temeridade

Insano, desagregador, grosseiro, inábil...

Enquanto o presidente Bolsonaro continua com suas loucuras, as pessoas continuam morrendo. Já passamos de 14 mil mortes...

O ministro da Saúde pediu demissão ou foi demitido. Não sabemos, mas, com certeza estamos sem ministro da Saúde.

As pessoas estão com medo de reprogramar férias e viagens, porque estão com medo de não serem aceitos nos hotéis ou sequer passarem nas alfândegas...

Casamentos estão sendo adiados, festas reprogramadas, tudo isto por medo do virus?
Não, é por medo da dispersão e das loucuras do presidente do Brasil...

Quando eu era criança, lá em Serrinha - Bahia, tinha um serviço de alto-falante que dava a hora e o locutor dizia uma frase. Uma dessas frases que me marcou era quando o locutor, todo sisudo dizia:

- Quando um cego guia outro cego, ambos caem no buraco. Urubixaba Música.

Hoje, li na Folha que o vice-presidente do Brasil, general Mourão, publicou artigo no Estadão de ontem e causou mais alvoroço e confusão no já complicado Brasil. Parece que Mourão tentou justificar qualquer tentativa de auto-golpe de Estado em defesa de Bolsonaro e dele próprio.

O engraçado é que já vinha se discutindo a possibilidade de Bolsonaro sair e assumir o Vice, seguindo a Constituição.

Outra alternativa seria o vice não substituir o presidente e assim o presidente do Congresso Nacional assumiria, ou ainda alguém do judiciário...

Tanto o pessoal da oposição quanto da situação vinha analisando variáveis de livrar o Brasil desta CALAMIDADE PÚBLICA.

O pessoal tem me perguntado o que acham os empresários e porque eles estão calados... Minha resposta é, do ponto de vista da destruição dos direitos dos trabalhadores, este governo ainda está servindo para os patrões. O Congresso Nacional tem aprovado tudo que o governo vem propondo que seja contra os direitos históricos dos trabalhadores.

Lembram que Mourão propôs acabar com o 13o. salário?

Como achar que Bolsonaro seja pior do que Mourão?

Não gosto destas políticas casuísticas...
Eleições são rituais sagrados para se estabilizar um país, uma instituição e até um projeto de vida.

Tudo leva a crer que Trump vai perder as eleições americanas. Ele terminará os quatro anos que teve direito e voltará a cuidar de seus negócios empresariais...

Bolsonaro é tão louco quanto Trump, embora Tramp tenha muito mais poder e capacidade...

Mas, eu prefiro que haja prioridade nacional na defesa da SAÚDE e da VIDA, se garanta as eleições municipais, e que os governadores continuem como contraponto às loucuras do presidente, devendo contar com as atribuições constitucionais do Judiciário e o bom trabalho atual da imprensa.

O mesmo deve se esperar do empresariado, dos trabalhadores, dos artistas, da OAB e de todos os brasileiros.

Eu prefiro um louco monitorado a um vice que não foi eleito pelo povo, não teve um programa próprio e não tem grandes simpatias pela Democracia.

Mas o que eu acho que seria ideal seria ELEIÇÕES GERAIS e CONSTITUINTE.

quinta-feira, 14 de maio de 2020

O Brasil, o virus, Bolsonaro e as guerras

Bolsonaro voltou a dizer em público que "estamos em guerra"

Só que as guerras de Bolsonaro são diferentes da nossa.

Bolsonaro, como um desvairado, ignora sua responsabilidade com'a dimensão do sofrimento que o virus está causando ao Brasil e ao mundo.

As pessoas estão morrendo aos milhares... Já morreram:

84.136 mortes nos Estados Unidos; 33.264 mortes no Reino Unido; 31.100 mortes na Itália; 27.104 na Espanha e 13.993 mortes no Brasil...

Hoje foram mais 844 mortes, e já chegamos a 202.918 casos de infectados... Cada dia que passa evoluímos para o topo da lista ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Enquanto as pessoas estão morrendo, os governadores vão ficando sem dinheiro para pagar as despesas do combate ao virus, Bolsonaro faz palestras sobre a guerra contra os governadores...

O Brasil enfrenta uma guerra contra um inimigo invisível - o virus - e, ao mesmo tempo o Brasil vai enfrentando outra guerra, tão destrutiva quanto a primeira - a guerra das loucuras de Bolsonaro.

Na verdade, o Brasil não pode lidar como se existe somente uma opção: Ou cuida do virus, ou cuida das empresas. As pessoas não existem sem as empresas e, ao mesmo tempo, as empresas não existem sem as pessoas.

A guerra contra o virus inclui o combate ao desemprego e a recessão, por que , caso não se resolva nem uma nem outra, o Brasil caminhará para UM LEVANTE SOCIAL SEM PRECEDENTES NO BRASIL...

É importante destacar que existe um clima de pânico com medo do virus, como existe o desemprego, a falta de dinheiro e o medo que isto demore a ser resolvido.

O Posto Ipiranga não está funcionando...

Bolsonaro se elegeu dizendo que tudo seria resolvido com facilidade, alegando que tinha o apoio dos empresários e dos evangélicos, combinando o dinheiro dos empresários, com os pobres das Igrejas Pentecostais e assim, além de derrotar o PT, daria um basta aos abusos do Congresso Nacional e do STF...

Está dando tudo errado para Bolsonaro... A crise econômica é a maior desde 1929, o desemprego é imenso, os empresários estão apavorados com a recessão e o virus só aumenta sua destruição.

Para salvar o Brasil, é preciso conter Bolsonaro. Conter aqui significa fazer com que Bolsonaro "governe para o Povo, com o Povo e respeitando o povo". O Brasil evitar o caos social, econômico e político.

Ou agimos logo e colocamos a saúde do povo como prioridade, ao mesmo tempo que coletivamente encontremos propostas para retomar o crescimento econômico, ou será tarde demais...

O Judiciário e o Congresso Nacional, contando com o importante apoio da imprensa e dos movimentos sociais podem aproveitar os processos que estão em curso e agilizar o afastamento do presidente Bolsonaro.

Vamos resolver logo esta situação
ou vamos esperar ficar igual ao número de mortes dos Estados Unidos????

Não dá mais para segurar... FORA BOLSONARO!



quarta-feira, 13 de maio de 2020

O Brasil na guerra contra o virus invisível

O Brasil não tem tradição em guerras

O Brasil tem tradição de violência social

Por exemplo, hoje é 13 de maio, teoricamente o dia da "libertação dos escravos", como nos ensinavam nas escolas. Mudou a forma de exploração e de dominação, mas exclusão dos negros ainda continua...

Guerras externas, o Brasil tem duas experiências, mesmo assim, frágeis...

1 - A mais conhecida é a guerra contra o Paraguai, uma correlação totalmente injusta e o Brasil teve que levar também negros para completar seu contingente... Até hoje esta guerra paira mas como uma vergonha para o Brasil do que um orgulho nacional.

2 - A segunda experiência internacional é a participação do Brasil no final da segunda guerra mundial. Foi mais simbólica que efetiva. Embora tenha sido muito importante.

Querem ter ideia do que seja uma participação de um povo não morador na Europa e que teve grande participação? A Índia na primeira guerra mundial teve 55 mil mortes.... A Austrália sempre teve participação brilhante nas guerras que participou.

Ao aproveitar o tempo retido pela quarentena, deparei-me com várias reportagens sobre o aniversário da segunda guerra mundial e, para entender melhor, fui ler A História da Primeira Guerra Mundial, de David Stevenson, professor de história na Inglaterra.

Esta guerra proporcionou horríveis e novas experiências aos combatentes, forçando uma mobilização sem precedentes em seus respectivos fronts nacionais.

Além de ser um desastre por si só, tornou-se a precondição para novos desastres, inclusive a Segunda Guerra Mundial... Em muitas regiões seus legados provocam derramamento de sangue até hoje.

SUAS VÍTIMAS NÃO MORRERAM DE UM VIRUS INVISÍVEL, nem de falha mecânica ou de um erro humano individual.

O mundo parou para cuidar da primeira guerra mundial, o mundo parou e sentiu a segunda guerra mundial ter realmente um caráter mundial, tendo batalhas em todos os continentes.

Pela primeira vez no mundo globalizado, um virus obrigou todos os países a parar para se defender do virus que mata milhões de pessoas. O mundo entrou numa guerra biológica, um bicho aparentemente sem dono e sem ninguém saber como se multiplicou tanto...

O governo Bolsonaro subestimou os sinais que os países afetados passaram... O governo brasileiro seguiu o governo americano e ambos estão desmoralizados internacionalmente.

Os resultados são terríveis: Mais de 70 mil mortes nos Estados Unidos e mais de 13 mil mortes no Brasil.

A essência da guerra está na ferida e no sofrimento, na captura, na mutilação e na matança de seres humanos.

No Brasil, estamos vivendo duas guerras ao mesmo tempo.

- A guerra contra o virus, em função do seu poder destruidor. As pessoas ficam feridas, sofrem muito e são jogadas ao leito pelo ataque impiedoso do virus. Muitos morrem e os que sobrevivem ainda não sabemos quais serão as sequelas.

- A outra guerra que vivemos no Brasil atual é decorrente do descompasso entre o governo federal e a guerra contra o virus, o descompasso entre o presidente da república e os governadores, a imprensa, os movimentos sociais e o mundo cultural.

Somos quase todos os brasileiros contra Bolsonaro e seu governo relapso.

A primeira guerra mundial serviu de preparação para a segunda guerra mundial que serviu para criar as condições para o surgimento desta PANDEMIA e que ainda não sabemos o que virá depois...

O Brasil beneficiou-se tanto da primeira como da segunda guerra mundial.

O Brasil não soube se preparar para enfrentar a guerra contra o virus.

O Brasil tem um presidente que não está preparado para ser presidente do Brasil.

Os brasileiros e as brasileiras precisam se unir para derrotar o virus, e, se para derrotar o virus for necessário destituir o presidente Bolsonaro, o povo terá que convocar a sociedade e dar um basta!

Os brasileiros em primeiro lugar.

Fora Bolsonaro!

terça-feira, 12 de maio de 2020

Brasil caminha para 1.000 mortes por dia

É a mão de Deus ou a incompetência dos homens?

Da mesma forma que o presidente da República é o Chefe Supremo das Forças Armadas, o presidente da República é o líder, o condutor, o comandante do seu povo, do país e da nação.

Os brasileiros estão jogados à própria sorte. Não tem um presidente "para chamar de seu". O que nos tem salvado é a solidariedade tanto das pessoas como das empresas. O que nos tem salvado é a dedicação quase suicida dos profissionais da Saúde e seu apoio logístico.

Deus não quer ver milhões de pessoas morrendo em todos os países. Deus sinaliza, mas não nos impede de cometer nossos erros e nossos acertos.

Hoje, o próprio governo informa que nas últimas 24 horas foram 881 mortes. Estamos chegando às 1.000 mortes por dia... que em um mês serão 30.000 mortes por mês e 365.000 mil mortes por ano.

Deus nos pergunta:

Vai deixar morrer tanta gente, ou vai trabalhar mais para impedir tantas mortes???

Não basta ter deixado chegar a 10.000 no dia das Mães????

Lembrem-se de Moisés e as pragas no Egito. Até o filho do faraó morreu... Bolsonaro também tem família, filhos e netos... A dor da morte não é brincadeira, é coisa muito séria...

O Brasil não pode ficar refém de Bolsonaro.

Vamos salvar o povo brasileiro! Vamos salvar o Brasil!

segunda-feira, 11 de maio de 2020

Bolsonaro quer ganhar no cansaço , O Brasil aguenta?

Sobreviver a Bolsonaro. É possível?

Errar é humano. Repetir o erro, é burrice...

Ter votado em Bolsonaro como forma de impedir que o PT ganhasse as eleições presidenciais é da regra do jogo, porém, constatar a arrogância de Bolsonaro ao dizer que ele pretende deixar o governo só no final do segundo mandato, é achar que os brasileiros são tão malucos quanto ele...

O problema é como conviver com um presidente inadministrável, impetuoso, teimoso, agressivo e desorganizador????

E, além de tudo, INCOMPETENTE!

A impressão que tenho em relação a postura de Bolsonaro em relação aos infectados com o virus é que Bolsonaro está "empurrando com a barriga", isto é, deixando o pessoal da Saúde cuidar dos doentes, com o tempo as 'mortes vão diminuindo e Bolsonaro vai priorizando a Economia, independente do ministro da Fazenda participar ou não no processo.

Há uma cumplicidade entre os empresários, o Congresso Nacional e Bolsonaro. Gudes, ministro da Fazenda, negocia os projetos e desejos dos empresários, transforma-os em projetos de leis, o Congresso Nacional aprova com pequenas modificações e assim os trabalhadores vão perdendo direitos e vão ficando mais pobres....

Este jogo de esconde-esconde, será percebido com o passar do tempo, quando os trabalhadores sentirem no bolso, na carne e na família, além da velhice é claro.

Mas em 2020 teremos eleições para prefeitos e vereadores. Como votará o povo? Vão derrotar esta quadrilha que tomou conta de Brasilia? Ou vão deixar a vida rolar para ver como ficará????

Além do Virus, estão destruindo o Brasil o desemprego, o arrocho salarial, o câmbio criminoso, com o dólar chegando a 5,80 reais e um custo de vida infinitamente maior do que a inflação declarada.

Até quando aguentaremos conviver com tudo isto???

domingo, 10 de maio de 2020

A guerra continua bem vívida...

Qual guerra?

A guerra contra o virus;
A guerra contra a fome;
A guerra contra o desemprego;
A guerra contra o racismo;
A guerra religiosa;
A guerra contra a imprensa livre;
A guerra contra os abusos da Justiça;

O título de hoje "A guerra continua bem vívida" é o fim de um parágrafo de um dos livros sobre a primeira guerra mundial, escrito por David Stevenson, historiador inglês, este é "O legado", volume 4, da História da Primeira Guerra Mundial, primeiro capítulo, o titulo é A PAZ.

"A PAZ

A primeira guerra mundial foi o maior evento de sua época, não apenas pelo que aconteceu durante ela, mas também por seu impacto subsequente. Suas repercussões globais estenderam-se até 1945, e provavelmente até o colapso do comunismo soviético e o fim da Guerra Fria, para não mencionar o que ainda veio depois.

Para os combatentes individuais e suas famílias, a guerra não os deixou em novembro e 1918.

Mais da metade dos soldados do exército britânico na Frente Ocidental em 1918 TINHA MENOS DE 19 ANOS DE IDADE.

Em 2003, 37 veteranos da BEF ainda estavam vivos. Para muitos deles, a guerra continuava bem vívida."

Ontem, dia 09 de maio, os países europeus estavam comemorando o fim da segunda guerra mundial e bons artigos foram publicados na imprensa. São 75 anos de comemorações. O que aprendemos? Pouco, muito pouco... O Oriente Médio continua em chamas, A África continua sendo rateada por empresas multinacionais e seus governos, os Estados Unidos ainda se acham o xerife do mundo, e a América Latina passa por profundo retrocesso político, econômico e social. Isto vale também para o Brasil.

Talvez em função do aniversário do final da segunda guerra mundial, o filme Dr. Jivago foi passado na televisão várias vezes...

Talvez em função de o Brasil estar perdendo a briga com o virus destruidor e invisível, de ontem para hoje tivemos a visita de 60 vezes de alguém do TURCOMENISTÃO. Um país da Eurásia, importante e no meio do furacão das disputas globais... Fico contente, e, ao mesmo tempo assustado. O que será que faz eu ter mais leitores em outros países do que no Brasil? O que faz com que o blog seja mais lido em Hong Kong do que no Chile?

As guerras nunca pararam. Nunca houve um período da humanidade sem guerras...
Elas fazem parte do pulsar da Terra, do baixar e subir as marés, das mudanças de importância de países e continentes..

O que virá depois do virus atual? Como ficará a Economia Mundial? Quais mudanças acontecerão na disputa de hegemonia?

Quando daremos mais importância ao voto do que ao fuzil ou a bomba química?

Quando conseguiremos parar tudo para atuar juntos na descoberta das vacinas, da cura do câncer e dos suicídios?

Ontem o Brasil chegou a 730 mortes em 24 horas, totalizando 10.627 mortes e 155.939 casos infectados... Os Estados Unidos já passaram de 70.000 mortes. É mole?

Como podemos ver, "a guerra continua realmente bem vívida"... E, para saber superar este espírito belicoso do ser humano, somos obrigados a dizer: A LUTA CONTINUA...

E viva o dia das mães!

sexta-feira, 8 de maio de 2020

Com 9.897 mortes, Brasil chegará a 10.000 mortes neste sábado

Feliz Dia das Mães?

Sem abraçar, sem almoçar juntos, só telefonando, mandando presentinho via delivery... Isto é vida?

Hoje foram mais 491 mortes! Na tabela da Globo, do Ministério da Saúde, 19:00h, hoje foi 751. Repetindo 751 mortes.

Hoje chegou a 9.637 mortes no total! Na tabela da Globo, do Ministério da Saúde chegou a 9.897 mortes, praticamente 10.000.

Hoje chegamos a 141.088 casos de pessoas infectadas! Na tabela da Globo, do Ministério da Saúde, mais tarde, são 145.328 casos.

Que tristeza!

Nossas homenagens a todas as mães que têm trabalhado dentro dos hospitais ajudando a salvar vidas, salvar pessoas...

Nota: À tarde, a Globo deu os números coletados nos Estados, às 19:00h o Ministério da Saúde deu os números oficiais do governo.

O Brasil em situação caótica... E aí Bolsonaro???

Confusão aumenta sofrimento com o Virus


O virus tem matado gente de todos os níveis sociais, de todas as religiões e de todas as etnias... É claro que, quantitativamente tem mais pobres e negros do que ricos e brancos. Mas o sofrimento é generalizado.


Vivemos uma profunda "crise de direção".

1 - As instituições não estão funcionando como desejado e necessário;

2 - O presidente do país mais desorganiza do que organiza, mais atrapalha do que acalma;

3 - Os governadores estão se dando conta das dificuldades materiais e também financeiras. Nunca imaginaram que pegariam um rabo de foguete desta envergadura. Os doentes, os mortos e seus familiares são expostos à situações jamais imaginadas...

4 - O judiciário acompanha a tragédia sem conseguir ter um papel relevante no que se refere à pandemia, o judiciário se mete mais na política do que no social;

5 - A Imprensa tem tido um papel fundamental, melhor até do que os governantes;

6 - As religiões poderiam estar ajudando mais;

7 - As Forças Armadas e as polícias estaduais poderiam ter um papel determinante na organização das comunidades e na logística;

8 - Os movimentos sociais estão adquirindo grande experiência, mas, sentem como se estivessem apagando incêndio sem água;

9 - Os empresários também estão ajudando, solidariamente, mas estão deixando a desejar quanto a influência na estruturação da solidariedade e da gestão participativa;

10 - Os profissionais de Saúde estão sendo verdadeiros heróis. Muitos já morreram salvando o povo em todo Brasil;


Jogo combinado complementa a destruição do equilíbrio social.

Enquanto o país está parado, com o dólar aumentando assustadoramente, as empresas ficando sem dinheiro para pagar salários e manter a capacidade produtiva, os mortos vão aumentando a cada dia.

Estamos chegando a 10.000 mortes...

E, enquanto as pessoas morrem, o Congresso Nacional continua aprovando leis que reduzem direitos e conquistas dos trabalhadores. Esta aparente contradição faz parte da história do Brasil. Os políticos se elegem dizendo que vão defender o povo, mas, quando eleitos, defendem os interesses dos patrões.,, E com esta dinâmica os empresários lavam as mãos dizendo que estão contribuindo com a luta contra o virus, mas continuam recomendando aos parlamentares para estes aprovarem leis contra o povo.

Sairemos desta tragédia todos mais pobres...

Com mais concentração de renda, menos escolaridade, menos emprego, menos saúde e vontade de continuar votando nestes políticos...

Bolsonaro, com seu "posto Ipiranga", simbolizava um compromisso onde o governo governaria para os empresários, inibindo e destruindo os mecanismos de defesa dos trabalhadores, destruindo o pouco que ainda restava do Estado de Bem Estar Social e implantando um neoliberalismo ultra radical e subordinado aos Estados Unidos.

Mas ninguém esperava que fosse aparecer o virus com sua capacidade destrutiva. E Bolsonaro surtou, o posto Ipiranga surtou, o governo surtou e a sociedade civil teve que auto organizar-se para sobreviver. Poderia estar bem pior, ainda bem.

É preciso fazer mais do que está sendo feito.

É preciso começar a pensar "no amanhã". O comércio não está aguentando mais ficar fechado, sem dinheiro e sem pagar as contas, o prejuízo com as indústrias é bem maior que o comércio. E o setor de serviços pode ser o proporcionalmente mais prejudicado.

Nosso presidente não tem autoridade nem sanidade mental para coordenar um Plano de Recuperação Nacional.

A sensação é que o Brasil está quebrando financeiramente, moralmente, socialmente e sendo incapaz de lidar com o respeito que o povo brasileiro merece.

Que cada pessoa e segmento social faça sua parte. Precisamos colocar as pessoas em primeiro lugar, juntamente com um projeto de inclusão social para contribuir para a recuperação do Brasil e do povo.

quinta-feira, 7 de maio de 2020

Mais 610 mortes hoje. Faltam apenas 854 para chegar a 10.000 mortes

No ritmo que vai, chegaremos a 10.000 mortes, no sábado

Como dizia o velho Adoniran: "Que tristeza, que nóis sentia, cada telha que caia, doía no coração..."

O Brasil chegou a 135.106 casos do novo coronavirus. O Brasilest á em 8o. lugar, hoje passamos a Turquia...


Como consolo, podemos nos comparar com os Estados Unidos.

Já são 73.297 mortes e 1.219.066 casos confirmados.

Nova York, como São Paulo, são os Estados mais atingidos, nos respectivos países.


Este deve ser o Dia das Mães mais triste de nossa vida.

Mais de 10.000 mortes causadas pelo virus.

Haja coração!!!!

Virus leva ao desespero os patrões e os empregados

Com várias empregadas grávidas, comerciante pede ajuda

Da mesma forma que mortos tem nome, endereço, CPF e família,

As empresas - pequenas, médias e grandes - também tem nome, endereço, CPF/CNPJ e famílias...

Vejam este apelo dramático de Vitor, nosso amigos do Café Latte, que, junto com seus funcionários, pedem nossa ajuda.

O que podemos fazer para ajudar?

Meu nome é Vitor. Sou proprietário do Caffè Latte, uma cafeteria no centro de São Paulo, estabelecida há quinze anos, com relativo sucesso.

Temos uma equipe de dez funcionários, seis deles com mais de dez anos de casa (Roseli, Felix, Vanessa, Cléia, Daniela e Carla). A Cleci e a Ju estão na iminência de dar a luz aos seus primeiros bebês. E ainda a Adriele e a Débora! Há dois anos abrimos uma unidade perto da avenida Paulista com quatro funcionários (Alan, Edilene, Robervania e Sheila, que também vai ter neném em breve).

Com o advento do pandemia,

Tivemos que fechar as portas, desde o dia 20/03. No nosso caso, como da maioria dos negócios da região, o delivery e o take-away não funcionam.

Colocamos todos os funcionários no programa de suspensão do contrato de trabalho, iniciativa do governo, que garantiu o emprego de milhões de pessoas, pelo menos neste primeiro período da crise.

Mas os nossos compromissos financeiros não são somente estes. Pagamos o Simples de Fevereiro em 20/03. Pagamos a folha de março integralmente em 05/04. Pagamos IPTUs, q não foram postergados.

Continuamos a pagar o plano de saúde da equipe. Pagamos todos os nossos fornecedores que as faturas e boletos já estava emitidos, inclusive energia e água( q continuam emitindo contas pela média de consumo!).

Conseguimos negociar os fornecedores de serviços: aluguel de maquinas de café, serviços de dedetização, nutricionista, etc. etc. Negociamos parcialmente o aluguel.

Mas isso tudo não foi suficiente.

O capital de giro, quase todo concentrado nos recebíveis de cãrtoes e tickets, se esgotou.

Sempre trabalhamos com uma reserva financeira, para imprevistos. Mas depois de anos de recessão, parecia que desta vez a economia ia retomar. Decidimos inovar e crescer o negócio, e abrir um nova unidade, o Caffe Latte Piccolo( dois funcionarios, Beto e Jessé) que contribuiu para o esgotamento das reservas financeiras.

Nunca precisamos de crédito bancário nestes quinze anos de atuação. Mas neste momento, não tivemos opção.

Nos voltamos em busca de crédito junto ao banco q trabalhamos já há muitos anos, o Santander. O único crédito disponível, a custo baixo, foi o financiamento da Folha no programa do BNDES.

Como utilizamos a MP 936 para colocar a equipe em suspensão, este crédito não se aplica ao Caffe Latte no momento. O próximo crédito disponível, o capital de giro do BNDES, captado a 3,75%a.a, o banco cobra um juros de 12%a.a , e ainda exige garantias reais (uma aplicação financeira, ou imóvel).

Esse texto não é somente sobre o Caffe Latte, mas sobre todos os negócios afetados pela pandemia. Não é tampouco sobre o Santander, mas sobre todos os bancos, inclusive os bancos públicos, que não estão cumprindo a sua função de girar a economia, no seu momento de maior crise.

Não adianta fazer propaganda bonita na televisão. Não basa fazer doações emergências. Responsabilidade Social é antes de tudo cumprir o seu papel na sociedade.

Sr. Presidente, Sr. Paulo Guedes, Sr Maia, Sr. Alcolumbre,

façam alguma coisa para salvar os negócios, os empregos e a economia. Precisamos de crédito a juros baixos, com carência, a prazos longos, lastreados por um fundo garantidor do governo.

Ainda digo mais,
acho q as perdas deveriam ser compartilhadas pelo governo.

Façam isso logo, antes que seja tarde!
Imprimam dinheiro, mas não deixem milhões de negócios quebrarem!

Se você tem um pequeno negócio.
Ou se conhece alguém que tem um.
Ou se conhece alguém que trabalha num pequeno negócio.
Ou se frequenta uma cafeteria, um restaurante, uma loja de rua ou shopping, etc., etc.,

por favor copie e cole este texto, e divulgue para o maior numero de pessoas possíveis. Vamos utilizar a pressão das “redes sociais”, provavelmente o único instrumento que ainda faz com que o governo e os políticos façam algo.

Que a pandemia passe logo, e que sobrevivamos todos, literalmente...

Terça, 600 mortes. Ontem, mais 615. Hoje??? E aí Bolsonaro? Quantas mortes?

Faltam apenas 1.464 mortes para chegar em 10.000.

Domingo é DIA DAS MÃES... Domingo é dia 10 de Maio...

Já pensou o Dia das Mães ser o dia em que o Brasil terá 10.000 (dez mil) mortes causadas pelo Virus????

Será que Bolsonaro desistiu de cuidar das pessoas doentes? Será que Bolsonaro "jogou a toalha"? Amarelou? Cadê a valentia toda?

Será que Bolsonaro está mais preocupado com a economia do que com a vida dos brasileiros?

Vejam os números assustadores...

Como faltam 1.464 mortes para o Brasil chegar a 10.000 mortes,o governo Bolsonaro pode fazer com que chegue aos dez mil já no sábado e não no domingo...

1.464 dividido por 4 dias (quinta, sexta, sábado e domingo) = precisa de 366 mortes por dia... bem menos que 600...

OU, se pegar 1.464 dividirmos por três dias (quinta, sexta e sábado), se o governo mantiver, por exemplo, 600 mortes para hoje (quinta), 600 mortes na sexta, no sábado, serão necessários apenas 264 para chegar às 10.000 mortes.

ANTES MESMO DO DIA DAS MÃES.

Será que este tem Coração?

quarta-feira, 6 de maio de 2020

E o virus matou o pai de Tati

A dor da morte de um ente querido é jogo duro...

É claro que ficamos tristes quando uma personalidade morre, como foi o caso de Aldir Blanc e tantos outros...

Mas, quando um dos 600 que morreram ontem pode ser o pai de Tati, aí sofremos muito mais.

Por um lado pelo fato de o governo ter coragem de apresentar uma lista de 600 mortes...

Por outro, é saber que o pai de Tati faleceu, vítima do virus invisível, internado numa hospital de campanha instalado no Anhembi..

Tati, trabalhou muitos anos na CUT, primeiro na CUT-SP, depois foi o Sindicato dos Bancários de São Paulo e depois veio para a CUT nacional. Jornalista brilhante, foi uma das responsáveis pelo Blog "os amigos de Lula" onde escrevia reportagens e textos maravilhosos...

Tati, além de jornalista, é jovem, casada e uma pessoa agradabilíssima, apesar de sonhar que vai resolver os problemas do mundo, mas está aprendendo que o pouco que ela faz é muito perto do que a maioria faz, ou deixa de fazer...

O duro é que o virus pegou o pai de Tati, mas também pegou a mãe e o irmão... Isto em São Paulo. O irmão e a mãe voltaram para casa... já o pai, foi para o Céu juntamente com os milhares de brasileiros e de todos os países.

A CUT está fechada em Quarentena, os amigos e parentes não podem ir ao velório nem ao enterro do pai de Taiti. Apenas nos falamos por telefone ou por mensagens...

A guerra é assim, quantos milhares de combatentes são enterrados em países distantes, ou jogados ao mar, se estiverem em navios ou barcos...

Que merda! Falar da morte é sempre muito triste...

Tati bem que merece um grande abraço, o apoio de todos os amigos e colegas... Mas, isto vai passar... e poderemos nos encontrar pessoalmente, para comemorar os aniversários, dar abra;os de lutos e de solidariedade, para mostrar a todos que pessoas como Tati não sofrem em vão. Elas fazem parte da nova vida e estão no nosso coração.

Como dizia "João Ferrador", o mascote dos metalúrgicos de São Bernardo: "Hoje eu não tou bom..."

terça-feira, 5 de maio de 2020

Bolsonaro errou! Cala a boca já morreu, já dizia a ministra Carmen Lúcia

Bolsonaro, como sempre, jogou na confusão

Um dia são seus apoiadores batendo, agredindo jornalistas. Apanhou politicamente da imprensa e de todas as entidades democráticas nacionais e internacionais.

Outro dia é mais uma vez agredindo verbalmente os jornalistas quando os manda calar a boca!

Enquanto o presidente que foi eleito, tomou posse mas não consegue governar, o Brasil vê seu povo morrendo nos hospitais precários, são mortes que aumentam todos os dias, são pessoas infectadas que já passam de 100 mil...

Que fazer com este presidente maluco???

Quando qualquer profissional fica doente e não consegue produzir o quê a função lhe demanda, o que acontece??? O referido profissional doente "tira licença saúde, afasta-se da função para poder recuperar sua saúde e para não prejudicar o seu trabalho, seu empregador, os clientes, etc.

Quando o doente é o presidente da República, ao licenciar-se assume o vice-presidente... se o período de licença for muito longo, a Constituição define como proceder. Se efetiva o vice como presidente ou se convoca novas eleições.

A loucura do presidente é que ele desorganiza o Brasil, desestabiliza as instituições, interfere na gestão dos poderes em busca de proteger seu filho e os amigos de seu filho, interfere negativamente nas exportações brasileiras quando fala mal da China, responsável por 60% das nossas exportações...


Por falar em gente que se meteu onde não devia, em função de um ministro do STF ter suspendido a nomeação na polícia federal, outras autoridades que deveriam falar, não falaram, e as Forças Armadas tiveram que falar e disseram algo parecido com:

"Cada macaco no seu galho e aí não tem confusão", isto é, os três poderes, executivo, legislativo e judiciário, precisam atuar articuladamente e interativamente, priorizando o Bem do Brasil, a lei, a ordem e a DEMOCRACIA.

Para botar fogo no circo, até o ex-ministro de Bolsonaro, Sérgio Moro, autorizou a PF a divulgar a integra do seu depoimento sobre a tentativa de possível uso indevido da PF pelo presidente da República

Mais uma vez o Jornal Nacional terá assunto para falar mal do presidente por mais de meia hora. Ora porque o presidente mandou os jornalistas "calarem a boca" e ora são as dez páginas de depoimento de Moro contra Bolsonaro...

Assim a Globo não vai precisar fazer novas novelas, basta repercutir a novela do que é a presidência da República do Brasil.


Enquanto isto, o povo vai ficando tão doido quanto o presidente.

Se se ouve o noticiário de política, é só notícia ruim; se se ouve o noticiário da pandemia com o viru invisível, é uma tragédia atrás da outra.


E como no próximo dia 10 de maio é o DIAS DAS MÃES,

eu vou avisando: Eu quero minha mãe!

segunda-feira, 4 de maio de 2020

Bolsonaro, o virus e a busca do "bode expiatório"

Vamos continuar acusando uns aos outros,
ou vamos resolver os problemas?

As coisas estão ficando cada vez mais difíceis...

1 - as pessoas estão ficando sem dinheiro;

2 - as pessoas estão ficando desempregadas;

3 - as pessoas estão ficando cada vez mais doentes, com virus e tudo;

4 - a quarentena é imprescindível mas as pessoas estão ficando exauridas...


Ao mesmo tempo, no Brasil vemos...

1 - brigas políticas serem mais importante do que o sofrimento das pessoas;

2 - a economia só piora;

3 - muita gente ajudando os mais necessitados - nunca vimos tanta ajuda de empresas e empresários;

4 - as ONG's e as Igrejas são as que mais ajudam...

5 - a imprensa tem ajudado muito com a cobertura 24 horas, sem parar...


A imagem do Brasil é que o governo perdeu controle da situação em relação ao combate ao virus...

Nossos amigos e parentes começam a ser contaminados pelo virus, vários já morreram...

Médicos, enfermeiros e profissionais em geral têm morridos ajudando a salvar muitas vidas...


Vai aumentando a impressão de que algo mais urgente precisa ser feito.

A iniciativa de Sebastião Salgado, na defesa dos Índios e da Amazônia, foi extraordinária...

Os bancos fazerem empréstimos com juros mais baixos e com prazo mais longo também foi muito importante...


Continuamos achando que tudo isto é imprescindível, mas que é preciso fazer algo mais abrangente, mais impactante, algo que unifique o Brasil no combate ao virus, na defesa da Vida, da Saúde e do Brasil.

Da mesma forma que Sebastião Salgado unificou o mundo na defesa dos Índios e da Amazônia, precisamos ter alguém, sejam pessoas ou instituições, que consiga unificar o Brasil...

Este alguém não pode pregar o ódio nem o ressentimento;

Este alguém não pode estimular simpatizante a bater, nem em jornalistas nem em qualquer pessoa;

Este alguém precisa conclamar o Brasil a construir um documento base que sirva como "Os Dez Mandamentos Pela Saúde, pela Vida e pelo Brasil".

Este documento deve servir como credenciamento para participar do movimento e, desde que assine um termo de concordância e compromisso de praticar o que ali está combinado, todos poderão participar.

No próximo domingo, dia 10 de maio, teremos o DIA DAS MÀES,
porque não aproveitamos a oportunidade
e lançamos um movimento com estes desafios?

Se unificar quase todo mundo na defesa da democracia, da saúde, da Vida e do crescimento econômico foi possível no primeiro de maio comemorado na última sexta-feria, poderemos fazer o lançamento e chamar a todos representantes da sociedade para participar, organizar e libertar o Brasil desta crise toda.

O Brasil merece este gesto! Nossas mães merecem este gesto!