quarta-feira, 15 de abril de 2020

Eu já estou de saco cheio deste virus...

Um mês dentro de casa com medo do virus é enlouquecedor...

Por mais que a imprensa queira passar uma imagem positiva, para nós que estamos há um pouco mais de um mês em casa, respeitando a quarentena, a vida cada vez mais vai ficando enlouquecedora.

Por ter mais de 60 anos e a esposa ser diabética, fui pressionado pela filha, que é médica, e pela esposa, para ficar em casa de quarentena. O primeiro passo foi liberar a empregada para evitar que ela tomasse ônibus e corresse risco de pegar o virus.

Aí fomos entrando na rotina: limpar banheiros, lavar roupa, lavar cozinha, passar roupa, tirar o lixo, levar o lixo ecológico, preparar o café-da-manhã, o almoço e a janta, lavar os pratos, enxugar e guardar... Quando chega a noite voc^está exausto e com sono. E no outro dia, começa tudo de novo...

E o virus?

Você liga a TV e o noticiário é só para saber a velocidade do crescimento das mortes. Dez por dia, 50 por di, 100 por dia e agora está em 200 mortes por dia, totalizando 1736 mortes até esta quarta-feira.

Como eu já estou de saco cheio deste virus e desta situação toda que ele nos colocou, vou dar um prazo até a semana que vem. Se a tal da curva vai baixar ou não, eu não sei. Mas a partir da outra semana eu volto a trabalhar mesmo que seja com a jornada menor. Nada de home-office, nada de quarentena. Vou evitar o transporte coletivo e o taxi, mas vou de carro, como em lugar com pouca gente, venho mais cedo para casa. E a vida vai normalizando... Com virus ou sem virjus.

Não bastasse a tensão com o virus, tem a tensão com a obsessão com limpeza, a dificuldade em conseguir comida boa, não tem futebol, não tem cinema, mesmo pagando caro, as TVs a cabo são um verdadeiro roubo, compram caro, só passam porcarias violentas. Mesmo com as pessoas a gente tamb[em vai se cansando...

E eu sumir, vocês já sabem: A culpa foi do virus!

2 comentários:

  1. Prezado Gilmar Carneiro, como vai? Pelo que vi, está no limite da paciência com a nova realidade imposta a nós (rsrs).

    Meu caro, ao longo da minha vida política, já convivi muito com a companheirada do movimento sindical, mas é interessante a gente nunca perder a capacidade de se surpreender com as opiniões e posições dos amigos e companheiros. Acho que estou sempre aprendendo, aprendendo alguma coisa, mesmo quando concordo ou discordo das posições das pessoas.

    Essa quarentena e essa nova situação do mundo me deixa cheio de dúvidas, mas acho que temos que respeitar a quarentena.

    É isso, quis comentar essa minha surpresa ao ler sua postagem. Eu acho que você deveria continuar respeitando a quarentena. Mas cada cabeça tem seu guia.

    Já estou passando um perrengue danado só por ver meu pai de 77 anos não respeitar nada e sair todo dia de casa, inventando o que fazer na rua só para ser do contra. Ele está colocando em risco a vida dele, da minha mãe e dos meus dois sobrinhos.

    Mas respeito sua opinião, camarada. Tome os cuidados necessários para o seu bem e de toda a sua família.

    Abraços, William Mendes

    ResponderExcluir
  2. Gilmar, a quarentena é mais um desafio na vida da gente. Você não pode desistir assim - até porque você é exemplo para muitos.
    O isolamento tem efeito estatístico. Não ajuda apenas você e seus próximos.
    Faça home office, sim. Você acaba se acostumando. Desligue o noticiário da TV e assista a mais filmes.
    Aproveite pra botar a leitura em dia. Peça comida para entrega em casa, é menos arriscado que sair.
    Promova encontros online com os amigos, para isso servem o whatsapp, o messenger, o skype.
    Abraço grande, à distância. Ainda vamos nos abraçar de perto!

    ResponderExcluir