quarta-feira, 1 de abril de 2020

Estados Unidos jogam sujo com a China?

Ingratidão ou Mau perdedor?
 1 - Nesta noite a CNN Brasil passou um programa especial com militares de altas patentes sendo entrevistados sobre o virus, as pesquisas já existentes nos Estados Unidos desde o EBOLA e o manual de procedimentos de propriedade do governo americano mas disponibilizados nas redes sociais. Muito boa a entrevista...
Além de mostrar que o estudo não foi utilizado por Trump, mostrava também que os Estados Unidos perderam a capacidade produtiva interna para garantir a saúde e a vida dos americanos.
Ao ser perguntado porque não se faziam os equipamentos nos Estados Unidos, um dos militares tristemente respondeu: Agora é tudo feito lá fora, principalmente na China.
E a entrevistadora repetia, mas antes eram os Estados Unidos que salvava o mundo... E agora dependemos da China?
2 – Hoje, na Folha, Mônica Bergamo informa:
“Quem pode, pode
A informação de que os USA estão enviando 23 AVIÕES para voltar com TONELADAS de equipamentos e produtos hospitalares da CHINA nesta semana acendeu a luz amarela em especialistas brasileiros que tentam comprar insumos de empresas do país asiático.”
3 – Já o Estadão, resolveu chutar o balde e entrar no jogo sujo dos Trumps e Bolsonaros da vida. Vejam que matéria provocativa o Estadão divulgou... Pode até ter uma parte de verdade, mas o jornal tem formas e formas de divulgar...
“China ocultou extensão do surto de coronavírus, diz a inteligência dos EUA
Informações públicas da China sobre casos e mortes decorrentes da covid-19 teriam sido disponibilizadas intencionalmente incompletas
Redação, O Estado de S.Paulo
01 de abril de 2020 | 12h56
Autoridades de inteligência dos Estados Unidos afirmaram à agência Bloomberg que a China ocultou a extensão do surto de coronavírus, subnotificando o total de casos e as mortes causadas pela doença. A conclusão é de um relatório enviado em segredo à Casa Branca. 

Os funcionários pediram para não serem identificados porque o relatório é confidencial. Eles também não detalharam o o conteúdo, mas afirmaram que as informações públicas da China sobre casos e mortes decorrentes da covid-19 sejam intencionalmente incompletas. Duas autoridades disseram ainda que o relatório conclui que os números da China são falsos. 

O surto da covid-19 começou em Wuhan, na província chinesa de Hubei, no final de 2019. Desde entao, o país relatou cerca de 82 mil casos e 3.300 mortes. Os EUA, o país mais atingido, declararam 189 mil casos e mais de 4 mil mortes.

A Bloomberg relata que havia ceticismo nos números chineses e que o governo daquele país revisou sua metodologia de contagem de casos. Durante semanas, os chineses excluíram as pessoas sem sintomas e somente na terça-feira, 31, adicionou mais de 1.500 casos assintomáticos ao total. 


O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, tem pedido que o país e outras nações sejam transparentes. Ele já acusou a China de encobrir a extensão do problema e de ser lenta em compartilhar informações.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário