quarta-feira, 29 de abril de 2020

Brasil aumenta a confusão entre os poderes

Todo mundo quer mandar e dar palpite

O STF empatou o jogo entre Bolsonaro e Moro.

Bolsonaro estava conseguindo trocar as pessoas no Ministério da Justiça e Moro estava ficando fragilizado, ou, como se dizia antigamente - com a brocha na mão.

As forças ocultas mais uma vez intervieram no processo e deram sinais para o ministro Moraes "acatar" um pedido de "suspeisão" sobre o candidato indicado por Bolsonaro.

É jogar na confusão.

O candidato é realmente amigo do filho do presidente que também é parte importante no processo. Bolsonaro forçou a mão, isto é, tentou impor o seu nome, aumentando a impressão que ele quer governar acima de todos e da lei...

Como diz José Simão: Também, com este nome! Ramagem, é isto?

Bolsonaro, o presidente, irritado diz que vai recorrer, mas já vai falando e hostilizando o ministro Moraes... Juiz calmo já é complicado, irritado é voto contra...

E vamos ficando com a sensação de viver num país onde todo mundo quer mandar, quer dar palpite...

Isto tudo é um aprendizado muito importante. Tem gente achando que Bolsonaro não sai, eu acho que "Está na mão de Deus",
se Bolsonaro se acalmar ele fica até o final do mandato, se continuar como anda atualmente, ele não acaba o mandato presidencial.

E aí vamos ter aguentar o Morão????

Vocês têm ideia de quem é o Mourão? Do que é conviver com ele todos os dias?

Estamos todos numa confusão só, o que é lamentável.

Eu toparia fazer um grande acordo nacional, com representantes de todos os setores da sociedade, e construiria um Plano de Pacificação Nacional, que priorize a defesa da Saúde, da Vida, da Educação e da infraestrutura de qualidade.

Falando sério, tanto o presidente, como o Congresso Nacional e o Judiciário estão jogando mais na confusão do que na pacificação do Brasil.

As Centrais Sindicais, neste primeiro de Maio estão fazendo uma grande manifestação on line conclamando a unidade nacional em defesa da Saúde, do Emprego e da retomada do crescimentos econômico.

Entrem nos sites das centrais sindicais, entrem no site da CUT, da Força, da UGT, da CTB, da Intersindical e vejam com seus próprios olhos.

Um outro Brasil é possível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário