quarta-feira, 18 de março de 2020

O virus, a paz ou a guerra?

Com as mortes, intensifica-se o pânico

Ontem, depois do comunicado oficial sobre a PRIMEIRA MORTE no Brasil - em São Paulo, e a possibilidade de várias outras mortes também serem associadas ao virus, você constata que a epidemia realmente é grave e requer muito cuidado da nossa parte.

Sem esportes, sem filmes, sem teatro e sem tantas coisas, as pessoas começam a sofrer de claustrofobia, medo de lugares fechados e o risco só aumenta...

Por mais que o governo federal e os estados digam que estão tomando todas as providências para conter o virus em São Paulo, ao ouvir as declarações dos governos na imprensa só aumenta nossa agonia...

Ao andar pela Vila Madalena no final da tarde de ontem, em todos os lugares a conversa era a mesma: O virus!

- as pessoas com mais de 60 anos estão ficando em casa...
- mas os pequenos comerciantes estão ficando em pânico, com o virus?

-  queiramos ou não, os reflexos do virus e seus desdobramentos obrigam todos os países e todas as instituições a tomarem providências preventivas.

- ainda mais triste fica a situação quando vemos as fotos de Trump.

- Ou ele aparecendo falando muito e acusando os outros, como dizer que os chineses espalharam o virus;

- ou representantes do governo chinês aparecem dizendo que foram os americanos, principalmente Trump que lançou informações dizendo que foram os chineses que começaram.

Em vez de governos falastrões, o povo precisa de gente que fale a verdade, trabalhe muito, seja transparente e que seja capaz de combinar o luta contra o virus, com a manutenção das politicas públicas, como escolas e hospitais servindo de espaços especiais de informações e orientações para o povo.

- Só nos resta rezar? 
- Não. Para as pessoas que têm fé, rezar é importante mais não é suficiente. Mas, o quê é imprescindível é a higiene, evitar concentrações de pessoas, e seguir as orientações médicas.



-

Nenhum comentário:

Postar um comentário