sexta-feira, 20 de março de 2020

E o virus se espalhou pelo Brasil

O pequeno comércio está fechado. E agora?

Além de estar trabalhando no regime de home office, também preciso fazer pequenas compras no comércio do bairro.

Hoje, ao ir na padaria constatei um clima de velório e de poucos clientes.
Depois, ao ir à lavanderia, além de encontrar a porta fechada com grade, a atendente autorizou-me a entrar e fui informado que teria de deixar a roupa paga e que a mesma seria entregue  em nossa casa na próxima semana.

Saí da lavanderia fui até a loja de materiais de construção em geral e ela também estava fechada com um aviso colado. Estou tentando anexar foto do simpático aviso mas ainda não consegui.

Por último fui até o mercadinho e, além de encontrar vários velhinhos na porta, descobri ao ler um aviso de que só autorizam entrar cinco clientes de cada vez. E os velhinhos ficavam esperando para comprar suas verduras, seus pães e material de limpeza...

Aos poucos o Brasil vai se acostumando a esta nova rotina. Rádio e TV permanentemente ligados, dificuldades em repor material doméstico, principalmente papel higiênico, papel toalha e álcool gel ou não.

O mais triste e ver notícias entre os vizinhos e também na imprensa sobre as demissões ou liberações de trabalhadores de seus empregos e serviços...

Além da angústia de ver o povo morrendo na TV, temos a realidade de não poder mais comprar as pequenas coisas, nem pensar em comer fora, ainda temos que conviver com os pobres ficando sem dinheiro, sem emprego e sem perspectiva.

Os pobres sentem a escassez primeiro, mas os profissionais liberais também estão entrando em pânico, muito fechando os escritórios, interrompendo serviços em geral, vendo os clientes sairem de mansinho e ninguém sabendo até quando viveremos este desespero.

Desta vez, a libertação não virá apenas de uma pessoa, como foi no caso de Moisés no Egito, o mundo está tomando consciência de que é imprescindível um esforço conjunto, sem mercenarismo, sem golpismo, sem disputa sobre quem vai achar a vacina primeiro.

Da mesma forma que, durante a marcha do povo hebreu saindo do Egito, lá tinham os provocadores e os mentirosos, tanto no Brasil como nos outros países também há muitos mentirosos e provadores. Precisamos tomar muito cuidado para não se deixar levar pelos falsos profetas...

Todos devem contribuir para diminuir o risco e o sofrimento.
Ou salvamos a Terra e todos os seus povos, ou não sobreviveremos sozinhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário