domingo, 23 de fevereiro de 2020

Agora começa 2020 no Brasil

Tudo indica que será um ano difícil

A economia anda de lado,
O desemprego está virando informalidade,
A mentira está sendo assimilada como "verdade",

A violência está virando rotina,
O judiciário mais atrapalha que ajuda,
A imprensa continua fazendo alianças espúrias.

O povo brinca de carnaval e vai para o interior,
Os católicos preparam a quaresma e a Páscoa,
Os pentecostais estão preocupados com dinheiro.

Os políticos falam em composições partidárias e alianças,
O vale tudo vai voltando para as eleições municipais,
Os marqueteiros preparam pesquisas para  enganar o povo.

Mesmo sendo na Globo, a News,
no sábado foi mostrado um documentário sobre a Mangueira,
onde o centro dos depoimentos foi a grande Maria Bethânia.

Mesmo sendo na Globo,
o documentário foi maravilhoso.
Já na cinema, fomos ver "Parasita" e não gostei.

Passei o Carnaval lendo sobre a China e o Brasil.
Quer apenas um exemplo para meditar?

"A China avança rapidamente na conectividade urbana. As redes de metrô de Shangai e Beijing, somam hoje mais de 1.300 km; Já em São Paulo e Rio de Janeiro, os dois sistemas metroviários perfazem meros 159 km.

Aqui no Brasil, assistimos passivos à presença crescente de milícias, do crime organizado e de moradores de rua. Enquanto "patinamos na lama", na China, as cidades se ligam por trens de alta velocidade, cuja rede já passa de 29 mil quilômetros."

Os dois parágrafos acima fazem parte de um artigo publicado no caderno Eu&fim de semana, do jornal Valor, de 14 de fevereiro de 2020.

"O que o Brasil quer da China?" de autoria de Philip Yang.
Se quiserem ler a íntegra também em inglês,
é só procurar "What could Brazil want from China?

Uma das melhores leituras dos últimos anos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário