segunda-feira, 19 de agosto de 2019

São Paulo refém de criminosos

A Cidade contra o crime e contra a impunidade

Diariamente vemos notícias de assaltos violentos, roubos e assassinatos em qualquer bairro de São Paulo.

Jovens morrem
ao demorar a entregar seus celulares ou suas bicicletas...

Idosos são agredidos
, arrastados violentamente como forma de intimidá-los e obrigá-los a entregar o que tem e o que não tem nas casas...

Filhos choram ao ver seus pais agredidos,
humilhados e roubados. Exigem justiça. JUSTIÇA?

Como impedir que a violência continue?


Como impedir que pessoas com mais de 80 anos de idade sejam roubadas, furtadas, assaltadas, agredidas fisicamente e ter seus bens afetivos serem quebrados ou levados por ladrões que não são punidos?

Além dos moradores da região da Vila Madalena, Pinheiros, Pompeia, Perdizes, etc, com todas as pessoas que contamos nossas histórias, constatamos que todo mundo tem, pelo menos, um caso para contar. Muitos foram roubados várias vezes...

Outro dia, uma vizinha foi dar um cafezinho ao vigia da rua e ambos foram rendidos por assaltantes, às 9:00h da manhã. É mole?

Outra vez, os dois filhos estavam no carro esperando a mãe para irem para casa, quando foram abordados por dois rapazes de moto, que exigiram os celulares, relógios, dentre outras coisas que os jovens tinham no carro. Sem contar os sequestros relâmpagos e os roubos de carros dos mais diversos tipos.

Roubam até das domésticas que chegam por volta das seis horas da manhã.

Os roubos são praticamente diários e de forma acintosa!


Se na Vila Madalena está assim, imaginem nos bairros distantes...

Tudo isto acontece no nosso bairro, quando simultaneamente debatemos se devemos pagar a guardinhas civis, empresas de seguranças, colocar filmadoras nos mais diversos pontos da casa e da rua, etc.

Aos poucos, vamos ficando reféns de criminosos e da impunidade. Aos poucos vamos ficando reféns de seguranças que não garantem a nossa segurança...

Aos poucos, os moradores que não são advogados nem criminalistas, vão aprendendo a diferença entre roubos, furtos, assaltos, se o crime foi à mão armada, ou com facas e chaves de fenda, com uniformes de empresas prestadoras de serviços como Sabesp, Correios, etc...

Enquanto isto, nossas crianças já não brincam nas ruas, como antigamente;

Nossos pais já não sentam nas cadeiras ao cair da tarde para falar da vida e das alegrias...

Nós, quando chegamos em casa, ficamos com medo de pessoas e de carros que estejam na nossa rua.

Do jeito que vai, logo, logo, vão mandar cortar as árvores, aumentar os muros e colocar portões blindados... Pronto, ficaremos presos em nossas casas, enquanto os bandidos tomam conta da nossa cidade e do nosso país.

Não gosto da ideia de armar o povo contra ladrões profissionais e violentos. Em vários países que passei, apenas a PM tem acesso às armas. E o fato de o governo ter o monopólio das armas, não significa impunidade, nem uso abusivo contra as pessoas comuns.

Só sei que, do jeito que vamos, vamos ficar reféns de criminosos e da impunidade.

Onde estamos errando???

Nenhum comentário:

Postar um comentário