quarta-feira, 19 de junho de 2019

O Brasil dilacerado

A urgência de entender o Brasil

"Estava convencida de que o que, às vezes, parece muito íntimo, é também político.
Agora, é o inverso, o político é que é íntimo.

Perder um ente querido pode ser muito triste, DILACERANTE
,
mas estamos na iminência de perder a nação,
e aí a dor é infinita.

Estou lutando pela minha, pela nossa identidade."

Estas belas palavras acima são da cineasta Petra Costa, e estão no artigo do crítico de cinema Luiz Carlos Merten, no Estadão de hoje. Assim vocês entendem o porquê de eu manter assinaturas de jornais conservadores e golpistas... Os cadernos de cultura continuam bons.

O artigo fala sobre o lançamento do filme "Democracia em Vertigem"
, de Petra Costa. Um filme Netflix disponível a partir de hoje. Fui conferir e confirmei que já está disponível para assinantes da Netflix.

Petra já dirigiu filmes marcantes como "Elena" e "O Olmo e a Gaivota", mas, para nós, além de cineasta, Petra, é a filha de Marília Andrade, nossa amiga de muitos anos, dona da Juruês, editora da Gazeta de Pinheiros e dona da gráfica onde a gente rodava (imprimia)a Folha Bancária.

Uma vez, quando passava pela sala de casa, ouvi uma voz na TV que eu conhecia... era a voz de Marília ou de Petra, não lembro, mas parei para assistir e fiquei impressionado com o filme.

Outra vez, fui numa reunião no Instituto Lula e lá fui apresentado a uma menina de nome Petra. Quando falei que era amigo de sua mãe ela riu e disse que realmente a mãe era muito conhecida pelos mais velhos... Contei da viagem à França e ela voltou a dar um sorriso.

Hoje, ao dar uma folheada no Estadão para ver os artigos sobre o jogo Brasil e Venezuela, achei na última página do jornal e do Caderno2, o belo artigo de Merten sobre o novo filme de Petra.

Petra nos dá uma bela contribuição para a gente tentar entender e interagir com o que está acontecendo com o Brasil e com as pessoas.

Vocês já repararam quanta gente está doente, dilaceradas, sofridas e sem respostas???

Em diferentes países países, Petra ouviu gente lhe dizer que não havia feito um filme só sobre o Brasil,e que o filme dela captava um momento crítico da história do mundo, ajudava a entender os EUA sob Trump, a direitização de vários países da Europa. (Palavras de Petra e de Merten).

Daí a urgência de entender o Brasil...




Nenhum comentário:

Postar um comentário