sábado, 9 de março de 2019

Além de falar de flores, eu gostaria...

de falar de muitas outras coisas. Por exemplo:

1 - Poder olhar os jornais pela manhã e sentir que eles se esforçam para mostrar as várias versões, em vez do pensamento único;

2 - Poder ir na padaria e ver o quanto as pessoas estão animadas com o dia que começa, em vez de reclamarem, reclamarem, reclamarem;

3 - Poder sentar para tomar um café da manhã e planejar o dia com a família sem se preocupar demais com dívidas, juros bancários, violência dos assaltantes e dos policiais;

4 - Poder ir trabalhar sem medo de ser atropelado pelos motoboys ou pelos motoristas nervosos;

5 - Poder acreditar nas boas intenções dos governos e dos políticos;

6 - Poder entender a diferença entre a inflação nominal de 3% ao ano e o custo de vida que deve estar em 25%;

7 - Poder falar em transparência e confiança e constatar que as pessoas estão praticando o respeito e as parcerias;

8 - Poder falar da vida e da morte, sem ter tanto medo do custo dos remédios, da resistência dos convênios médicos em "autorizar" que os hospitais tratem dos doentes sem os doentes terem que vender tudo que tem para poder pagar as despesas com hospitais, remédios e atividades complementares;

9 - Poder falar de amor afetivo entre familiares, colegas e amigos, onde prepondere o respeito e o incentivo ao crescimento enquanto pessoas;

10 - Poder falar de flores, de amor, de vida e de morte, transparência e confiança, custo de vida e inflação, acreditar de verdade, trabalhar sem medo, alimentar-se como um monge, aprender a conviver respeitando os acertos e os erros, reconhecendo as diversidades, as equidades e que todos morreremos. Mais felizes ou menos felizes...

Sentimos que vivemos momentos de retrocessos na vida, nos empregos, na saúde e na política. Estamos envelhecendo sentindo uma frustração muito grande. Mas, temos muitos anos pela frente e esta loucura ampla, geral e irrestrita vai passar. Já cantava Chico Buarque.

Lendo o caderno Fim de Semana, do jornal Valor, encontrei uma ótima matéria sobre a guerra no Iraque, as milhares de mortes e, ao mesmo tempo, a descoberta de milhares de sítios arqueológicos. O Iraque violentado é a Babilônia de antigamente, a verdadeira Babilônia do Império ASSÍRIO e de mais de 4 mil anos de histórias e estórias. Os assírios helenizaram os hebreus, que por sua vez, ajudaram a helenizar o Oriente Médio.

Se a vida continua, a luta para melhorar a qualidade de vida também continua.
Não vamos desistir, navegar é preciso...
Já dizia Fernando Pessoa e cantava Caetano Veloso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário