quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Brasil pós Lula - Semeando ódio, mentiras e violência

A simbologia do respeito à morte dos parentes, amigos e heróis

De repente explicitou-se um lado brutal na nossa sociedade:

Ante a impossibilidade de negar a importância histórica de Lula, os conservadores passaram a combate-lo, coloca-lo num index de "pessoa não grata" e fazer tudo que for possível para destruí-lo, em todos os sentidos.

No ano passado, morreram meu irão e minha mãe. Ficamos em estado de choque, emocionados e tristes. Para os vivos, nunca se morre, mas a morte chegará a qualquer momento, causando surpresas e sofrimentos...

Imaginem como ficou Lula, vendo seu irmão mais velho partir, sem poder pegar na sua mão, ver seus olhos fechados, mas sua energia aberta e abrangente. Sem poder abraçar seus irmãos que ficaram e também sofreram como ele?

Porque Lula não pôde dar um adeus de despedida ao irmão morto?

Nas guerras, há tréguas para que as partes recolham seus mortos e os enterrem ou cremem com dignidade e envolvimento dos familiares.

Por que Lula não pôde ajudar no ritual de despedida de seu irmão mais velho?

Por que a imprensa escondeu o assunto, dando apenas notinha de rodapé na capa?

Por que o judiciário se comporta como crianças birrentas, abusando de suas atribuições e de sua responsabilidade de pacificação nacional?

Por que a Polícia Federal, cada vez mais se comporta como "caçadores e agressores das pessoas"? Já não vivemos na escravidão...

Não sei o que mais me deixou triste:

Se foi ver Lula perder o irmão mais velho, estando preso por perseguição;

ou se foi ver o comportamento dos "poderes institucionais" e da imprensa.

Triste Brasil, oh quanta semelhança... Já cantava Gregório de Matos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário