quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Brasil pós Lula - Semeando ódio, mentiras e violência

A simbologia do respeito à morte dos parentes, amigos e heróis

De repente explicitou-se um lado brutal na nossa sociedade:

Ante a impossibilidade de negar a importância histórica de Lula, os conservadores passaram a combate-lo, coloca-lo num index de "pessoa não grata" e fazer tudo que for possível para destruí-lo, em todos os sentidos.

No ano passado, morreram meu irão e minha mãe. Ficamos em estado de choque, emocionados e tristes. Para os vivos, nunca se morre, mas a morte chegará a qualquer momento, causando surpresas e sofrimentos...

Imaginem como ficou Lula, vendo seu irmão mais velho partir, sem poder pegar na sua mão, ver seus olhos fechados, mas sua energia aberta e abrangente. Sem poder abraçar seus irmãos que ficaram e também sofreram como ele?

Porque Lula não pôde dar um adeus de despedida ao irmão morto?

Nas guerras, há tréguas para que as partes recolham seus mortos e os enterrem ou cremem com dignidade e envolvimento dos familiares.

Por que Lula não pôde ajudar no ritual de despedida de seu irmão mais velho?

Por que a imprensa escondeu o assunto, dando apenas notinha de rodapé na capa?

Por que o judiciário se comporta como crianças birrentas, abusando de suas atribuições e de sua responsabilidade de pacificação nacional?

Por que a Polícia Federal, cada vez mais se comporta como "caçadores e agressores das pessoas"? Já não vivemos na escravidão...

Não sei o que mais me deixou triste:

Se foi ver Lula perder o irmão mais velho, estando preso por perseguição;

ou se foi ver o comportamento dos "poderes institucionais" e da imprensa.

Triste Brasil, oh quanta semelhança... Já cantava Gregório de Matos.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

SABESP pode ser vendida

A VENDA DA SABESP

O governo do Estado de São Paulo pode privatizar a água, tornando-a mais cara e prejudicando à população mais pobre.

Conforme matéria na capa do jornal Valor de hoje, 23 de janeiro, a venda de ações da Sabesp, com arrecadação estimada em 5 bilhões de reais, junto com o contingenciamento de mais 6 bilhões de reais em recursos do orçamento, ajudaria o Estado de São Paulo a cobrir 10 bilhões em receitas consideradas incertas.

A privatização da Sabesp traria uma arrecadação projetada em pelo menos 10 bilhões de reais...

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Noticias que afetam a economia e o povo

Previdência: só pensam em cobrar mais e oferecer menos?

Virou um samba de uma nota só... que o povo paga a conta.

A GM, montadora americana, ameaçou fechar as fábricas no Brasil e Meirelles, ex-ministro da Fazenda, já avisou que "acena com benefício fiscal para a GM".

Sindicatos preparam ato na FORD em São Bernardo do Campo... A aliança global entre Ford e Volkswagen, anunciada na semana passada, em DETROIT, já começa a provocar preocupação na base sindical da Ford.

A Operação Carne Fraca já dura dois anos... quase conseguiram quebrar a megaempresa...

A China teve o ritmo de crescimentos mais lento desde 1990. Apenas 6,6%. O que está acontecendo com a China???

APARECE NOVA COMPRADORA PARA A "ABRIL" - Pelos menos três grupos de investidores negociam a COMPRA DA DÍVIDA BANCÁRIA DA ABRIL.

O desemprego aumenta, o clima de crise econômica continua e o povo sofre o custo de vida que desorganiza a vida das pessoas.

É preciso estar atento e forte...

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

GM ameaça fechar fábricas no Brasil e na Argentina

O medo do desemprego aumenta e as empresas demitem

Mesmo estando em férias durante quase um mês, volto com tristes notícias sobre a nova realidade brasileira.

Mesmo querendo só falar de flores, de música, de família, paz, amore e solidariedade, é difícil ficar quieto com os amigos e parentes sendo demitidos.

Vejam esta nota assinada pelos sindicalistas metalúrgicos...GM AMEAÇA FECHAR AS FÁBRICAS NO BRASIL

São Paulo, 21 de janeiro de 2019


NOTA OFICIAL



Na última sexta-feira (18) a General Motors (GM) enviou um comunicado aos seus funcionários, assinado pelo presidente da empresa no Mercosul, Carlos Zarlenga, onde coloca que a situação da empresa “é crítica” e que eles estudam a possibilidade de sair do Brasil e da América do Sul.

Logicamente isto leva apreensão aos trabalhadores. No entanto ela se contradiz com a realidade, visto que a GM anunciou um lucro global superior a 2,5 bilhões de dólares, o equivalente a R$ 10 bilhões, no último trimestre, e é líder de vendas na região.

Acontece que a empresa aproveita o momento para fazer uma forte reestruturação, com demissões e fechamento de plantas, como algumas que já foram anunciadas nos EUA e Canadá. Os trabalhadores não podem mais uma vez “pagar o pato”.

Repudiamos esta possibilidade de paralisação da produção no Brasil e na América Latina, e também que nos seja exigido mais sacrifícios, como diz o comunicado da empresa , já que foram feitas várias concessões à GM e a empresa sempre querendo mais.

Não aceitamos que a situação seja utilizada para reduzir mais direitos, nem demissões ou o fechamento de fábricas. Defendemos os empregos e queremos estabilidade!

Os sindicatos que têm representação na GM no Brasil manifestam sua oposição a esta reestruturação global que a GM vem promovendo, pois ataca os empregos com o fechamento de plantas e a retirada de direitos.

Participaremos na terça-feira (22), de uma reunião com representantes da empresa e defenderemos juntos os empregos e os direitos dos trabalhadores.


Miguel Torres
Presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM/Força)

Paulo Cayres
Presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM/CUT)

Atnágoras Lopes
Membro da Executiva Nacional da CSP/Conlutas

Wagner Santana (Wagnão)
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

Aparecido Inácio da Silva (Cidão)
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul

Weller Pereira Gonçalves
Presidente Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos