segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

Um ano para não ser esquecido

Ou se ficou de um lado ou de outro

Não teve indiferença...

Todos saíram do armário.

Foi uma grande derrota para a esquerda em geral;
Foi um derrota para os de centro-esquerda;
Foi uma vitória para os de centro-direita;

e uma estrondosa vitória para os neoliberais,
extrema direita, fascistas e enganadores em geral.

Até então, os conservadores que não se assumiam como tal sentiram-se à vontade para criticar a política social e progressista do PT. Os conservadores contaram com a combinação entre a predisposição de parcela da população em aceitar qualquer argumento que justificasse as pessoas votarem na direita contra a esquerda.

A emoção se sobrepôs à economia e ao racional.

Embora inconsciente, a economia e o desejo de melhorar de vida sempre se sobrepuseram à racionalidade, muitas se aliando com o retrocesso social, político e econômico.

Como sempre disse no movimento sindical: quem quer fazer política, precisa aprender economia, psicologia e comunicação. Além de bons programas combinados com muita coerência.

A verdade nos libertará?...

quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Vida cara e Natal caro

Inflação na Argentina chegou a 50%

Dizem que a inflação brasileira é de 2,5%.

Ou há exagero na Argentina e no Brasil o governo está mentindo e contando com cumplicidade da imprensa.

O custo de vida no Brasil está um roubo. Os preços no Natal estão escandalosos. O que o povo fez? ENDIVIDOU-SE.

Quando chegar fevereiro e março os títulos protestados aumentarão e o endividamento levará a mais retração...

Aproveitando o clima do Natal onde há mais tolerância e compreensão, devemos ouvir mais as pessoas e também recomendar mais cautela.

Precisamos construir soluções solidárias tanto no Brasil como na Argentina. O governo argentino é mais flexível que o atual governo brasileiro.

Nos próximos dias, superando as emoções das festas de Ano Novo, recomenda-se que se reserve uma tarde para anotar todas as despesas e todas as receitas. Identificar as mais fáceis de renegociar, alongando os prazos de pagamentos e negociar, negociar e negociar.

Vivemos momentos de negociações com respeito às regras ou renegociando às regras além de formular novas regras para recompor as dívidas.

Jesus mandava perdoar setenta vezes sete, mas, quando envolve dinheiro e dívidas, recomenda-respeito mútuo e mais respeito...

Com os erros, também se aprende.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

Natal de Paz e Esperança?

A Paz passa pela autocritica?

O Brasil está se desagregando,
e, em fez de se falar em emprego e renda,
querem falar de autocrítica???


As Igrejas inventaram o "perdão"
, com ou sem indulgências. Isto é, com pagamento em espécie ou apenas com oração e práticas saudáveis;

As Esquerdas inventaram a "autocrítica"
, verdadeira ou apenas aparente. Mas, o fato de ter que assinar em baixo, sempre marcou os que fizeram a tal da autocrítica.

A direita, mais pragmática,
faz a autocrítica, perdoa, negocia qualquer coisa para conseguir manter-se no poder. Mesmo que seja entregar seu país e suas riquezas a algozes estrangeiros, sejam gentis ou grosseiros.

Nos períodos de guerras explícitas as três varáveis acima estão bem explicitadas. Imaginem enquanto os países eram ocupados pelos nazistas, como eram as "concessões" da direita, da esquerda ou dos religiosos. Houve todo tipo de concessão...

Além das ocupações nazistas, teve também a ocupação comunista, mas também teve a ocupação americana.

Os aliados mataram muitos gregos em nome da defesa do ocidente e do capitalismo; os comunistas mataram muitos "delatores e burgueses" por traição à Pátria.

No caso do Brasil atual,

quem deveria fazer autocrítica?


Os vencedores do golpe do impeachment e os que apoiam "reformas contra os trabalhadores", os que defendem governos-fortes e autoritários, principalmente se forem governos de direita, enfim, todos que apoiaram e apoiam Bolsonaro, deveria fazer autocrítica?

Todos não. A direita golpista, corrupta e violenta sempre deixou claro que são contra a democracia participativa. Estes não precisam fazer autocritica...

Mas, todos aqueles que se dizem democratas, como é o caso do PSDB, do PSB e PDT, e mesmo alguns do PSOL, estes deveriam e devem fazer autocrítica. direta ou indiretamente apoiaram o golpe de Estado, o impeachment e apoiam este governo entreguista e autoritário.

A Folha quer que o PT faça autocrítica.

Os petistas querem que a Folha e a Rede Globo, também façam autocrítica.

A Folha e a Rede Globo estimularam a derrubada do governo democrática de Dilma.


Já os petistas, insistiram num segundo mandato de Dilma,

ignorando seu autoritarismo e sua rejeição.

O povo quer que
, tanto o PT como a Folha e a Rede Globo, façam autocrítica.
O povo quer que, tanto a direita, quanto a esquerda, tanto a imprensa como o judiciário também façam autocrítica e que, muito mais do que apenas fazer autocrítica, TODOS DISCUTAM UM ACORDO NACIONAL.

Isto é possível?


Sim, é possível se fazer um grande
"Acordo Nacional pela inclusão social e pela democracia"


Sim, é possível mudar o Brasil,

deixando de priorizar o ódio e priorizar a Paz e a Esperança.

Independente de nossa religião, vamos dar os braços e cantar...

"Com fé, esperança e amor
eu confio em Nosso Senhor..."

O senhor da Paz e da Esperança.

- Viva o Natal!





domingo, 22 de dezembro de 2019

"F" de Flamengo e "F" de Firmino

Ainda bem que foi no futebol

O campeonato interclubes é um sucesso de público, de TVs ligadas no mundo todo e de muito dinheiro.

Mas, que é estranho, o que poderia ser visto como uma disputa de dois países, ser apenas disputa de jogadores e técnicos. Ontem, enquanto o coração batia fortemente, brasileiros jogavam nos dois times.

O goleiro do Liverpool é o goleiro da nossa seleção
e premiado como o melhor do mundo em 2019.

O goleador do Liverpool é FIRMINO, Roberto Firmino,
brasileiro e muito simpático.Pois, estes dois brasileiros foram decisivos na vitória do Liverpool.

Viva a integração mundial, também conhecida como Globalização.

Foi um jogão e Mané, não sei de qual país ele veio, mas o "negão" deu a maior canseira no Flamengo e o técnico não conseguiu neutralizá-lo. Além de simpático, foi decisivo.

O Flamengo jogou com dignidade, sem medo de ser feliz
e mostrando que podemos voltar ao topo do futebol mundial.

A torcida do Flamengo, aqui lembrada por Gilton, meu irmão, Joel Bueno, no Rio de Janeiro e Uliana, o torcedor mais fanático e barulhento na internet.

Ao Flamengo, faltou apenas um pouco mais de tranquilidade e teria ganhado o jogo. Todos estamos de parabéns!

Ainda bem que esta disputa foi no futebol, caso contrário poderia aparecer um louco querendo agredir o Firmino por "traição", por ter feito gol que desclassificou o time do Brasil.

Estamos sob um governo fascista, mas estes loucos ainda não chegara a este ponto de matar por vingança...

Vamos aprender juntos para errar menos. Tem hora que perder também é ganhar.

Viva o Flamengo e Viva Jesus, o técnico português que restabeleceu a alegria aos brasileiros.

E Vamos comemorar o NATAL.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

Hoje começa o grande feriado - Natal e Ano Novo

As pessoas comemoram o Natal

Mais austero, mais tímido, com olhares de torcida desconfiada,
as pessoas a partir de hoje só voltar a trabalhar depois do dia primeiro de janeiro...

Quantas lembrança, quantos desejos, quantos pedidos...

Para alguns, o mais importante é a saúde,
para outros, o mais importante é a família,
outros vão dizer que é o emprego ou trabalho,

os mais jovens vão dizer que são as férias,
os mais "duros" vão dizer que é um pouco mais de dinheiro,
os mais carentes vão dizer que é o namoro, a ficada...

Para se ter um bom final de ano...

- seria bom que não houvesse noticiário político;
- que não tivesse tantos acidentes de carros;
- que as pessoas não bebessem tanto,

- que possamos dar as mãos, dar abraços
verdadeiramente amorosos e sinceros,
- que as flores continuem nascendo,
- que as fotos sirvam para aproximar as pessoas.

Para se ter um grande Natal,

- que nos lembremos de Vinícius de Morais,
- que ouçamos mais uma vez o povo cantar
- que possamos olhar para os estranhos

e poder desejar UM FELIZ NATAL!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Um Natal cheio de incertezas. Faça a diferença.

Um ano de VACAS MAGRAS mas cheio de vontade

Coincidindo com o final de ano, a imprensa destaca o aumento do desemprego, o aumento da violência, a perda de qualidade de vida e, principalmente, um Natal sem muita alegria, sem muita esperança e sem acreditar nos governos.

Teremos mais Natal de Vacas Magras,
do que Natal de fartura de comida e de presentes...


Como nos casamentos na Igreja, o Natal é o momento de avaliação, de conciliação e de compromissos. É o momento de lembrar que devemos estar juntos, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença. O Natal é a festa mais bonita do cristianismo.

Jesus nasceu num estábulo, entre os animais e pessoas. A pobreza material foi compensada pela riqueza espiritual. A mãe de Jesus viveu muitos anos onde hoje é a Turquia, como gesto de aproximação entre o Ocidente e o Oriente.

É possível e necessário que saibamos respeitar as diferenças religiosas, políticas e étnicas. O mundo precisa de Paz e Prosperidade. O mundo precisa de mais solidariedade e menos violência. O mundo precisa de mais equidade e menos concentração de renda e de poderes.

A solução para a economia não é o endividamento das pessoas e dos governos.
A solução da economia passa pelos setores estratégicos e imprescindíveis para produzir aquilo que absorva mais mão de obra, gerando mais empregos e mais trabalho.

A solução da economia passa pela ampla participação da população na definição das políticas púbicas, como educação, saúde e infraestrutura.

Para saber que existem vacas gordas e vacas magras é necessário que uma pessoa possa ser comparada com a outra e procurar saber os fatores que fazem com que tenham histórias e resultados diferentes...

Como José fez no Egito ao interpretar os sonhos do Faraó, precisamos aprender a planejar e a implementar o planejamento de forma coletiva e desenvolvimentista.

Das vacas magras podemos construir um mundo melhor e um Brasil melhor. Da convivência com os políticos destrutivos e mercenários, podemos aprender a eleger pessoas verdadeiramente honestas, que cumpram os compromissos assumidos e que acatem as decisões da maioria.

Um ano diferente: 2020!

Sejamos diferentes.
Vamos fazer um novo compromisso,

vamos começar um novo ano contribuindo
na construção de um ano melhor para todos e todas.

É preciso amar e ser solidário.
Com a Família, no trabalho e na vida.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Flamengo brinca com a DERROTA

Torcedor de futebol é só emoção...

Como todo time que tem torcida grande, o Flamengo, que é a maior torcida do Brasil, tem seus 80% de torcedores pobres e negros, como tem também seus 20% de torcedores brancos, ricos e fanáticos...

A campanha do Flamengo em 2019 já entrou para a história
como a mais bonita dos últimos 50 anos.


No entanto, o mais importante, que é o título de campeão mundial, derrotando o Liverpool, não está garantido. E não me venham com a história de que ser vice já está bom. Chega de conformismo! Chega de cultura do pobre que chegou lá porque alguns jogadores fizeram a diferença. Futebol É TIME, é coletivo, é planejamento estratégico e muita vontade de ganhar. Principalmente quando a vitória traz também fama e muito dinheiro no bolso...

Para quem não sabe, no hino do Flamengo tem o refrão:

VENCER, VENCER, VENCER...

UMA VEZ FLAMENGO,


FLAMENGO ATÉ MORRER.

O Brasil torce para o Flamengo.


O toque de bola e as belas corridas com a bola no pé, faz o time do Flamengo deste ano lembrar times como o Santos de Pelé, o Cruzeiro de Tostão, o Corinthians de Rivelino.

No próximo jogo,


chega de nervosismo,
chega de complexo de vira-lata,
chega de parecer político brasileiro.

A HORA É AGORA!


Vencer, vencer, vencer...

terça-feira, 17 de dezembro de 2019

Trabalho, Segurança, Paz e Liberdade

Nada está garantido

Por mais que a imprensa tente vender uma imagem de que as economias nos países da América Latina estão melhorando, o desemprego e o arrocho salarial são visíveis em qualquer cidade do Brasil. O desemprego também está ameaçador sobre todos os países do mundo.

Sem Trabalho não há renda, sem renda não há investimento, sem investimento não há nem emprego, nem produtividade, nem crescimento econômico. A economia precisa ser mais levada a sério em função dos compromissos financeiros já assumidos pelo consumidores e trabalhadores.

Sem Trabalho, cresce a violência.


Seja a violência da fome, da falta de dinheiro para o transporte, da compra de roupas para procurar emprego, Sem trabalho não há dinheiro para pagar escola particular, obrigando os pais a transferirem seus filhos para as escolas públicas ou as escolas mais baratas, porém com menos qualidade.

Sem trabalho, cresce a violência e os assaltos, roubos e furtos...

Violência atrai violência.

O povo começa a pagar para a formação das MILÍCIAS, armadas e organizadas por policiais... Aumentam os assaltos e as invasões de pontos comerciais, invasões de residência, e se passa a matar por qualquer motivo.

Como restabelecer a paz social?


A paz que possibilite o jovem estudante ir andando para a escola e não ter medo de ter seus tênis ou seu celular roubados; a paz que possibilite uma menina na adolescência poder pegar um ônibus ou vir da escola e não ser molestada ou violenta.

Ao se recuperar a PAZ, a qualidade das escolas melhora, as ruas voltam a ser frequentadas pelos jovens e idosos, sem medo de serem roubados e agredidos; a paz estimula a vida solidária e fraterna; a paz possibilita que as pessoas voltem a praticar esportes e atividades culturais.

A PAZ é imprescindível como condição de vida coletiva.

SEM PAZ NÃO HÁ LIBERDADE.


Sem liberdade nos tornamos animais irracionais.

Se Mandela fosse mais jovem, poderia coordenar uma grande manifestação mundial pela PAZ, pelo TRABALHO, pela SEGURANÇA e pela LIBERDADE. Atualmente, a melhor pessoa para coordenar uma atividade desta é o Papa Francisco.

Os religiosos, ao se reunirem para rezar, sempre pedem "pelo perdão de seus erros", pedem saúde, pedem paz, trabalho e liberdade. Os políticos e as empresas mandam mensagens desejando festas maravilhosas, mesmo que tudo mais esteja ruim.

Neste Natal e neste Ano Novo, faça um gesto pela Paz:


- Ajude um desempregado a conseguir novo emprego.

- Ajude as pessoas a se proteger da violência e da desconfiança generalizadas.

- Ajude as pessoas a sorrir e a dar um abraço fraterno.

- Ajude as pessoas a ter saúde e liberdade.

domingo, 15 de dezembro de 2019

Fim de ano melancólico

No Brasil e no mundo

Falta de perspectiva, falta de segurança, falta de emprego, falta de crescimento econômico, falta de ações estimuladoras...

Ao mesmo tempo,


O mundo nunca foi tão integrado, tão globalizado como está sendo neste período de avanço tecnológico, onde as pessoas falam umas com as outras em qualquer lugar do planeta, o turismo ganhou uma dimensão incomum como se a Terra tivesse ficado pequena.

Os aviões substituíram os navios, o telefone multifuncional substitui o correio tradicional. Os esportes têm atletas de todos os continentes e os povos se confraternizam como se fosse reunião familiar.

A Terra passou a ser nossa pátria.


Mesmo com todos os conflitos e com todos os problemas, migrando ou não, a TV e a internet nos mostram tudo instantaneamente.

Se tudo está tão mais fácil,
porquê tanta violência e tanta melancolia?


Porque estamos vivendo uma fase de transição intensiva. Vivemos como os navegantes de antigamente que saiam nos seus barcos e demoravam anos para voltar.

Porque estamos vivendo a mudança do papel dos Estados Unidos. Da mesma forma que o Reino Unido perdeu seu papel moderador sobre o mundo, os Estados Unidos já não consegue se impor como fazia durante o século passado. Vivemos sem moderadores, sem governantes legítimos, sem políticas públicas que dê conta das necessidades criadas pelas novas tecnologias...

Como colocar "as pessoas em primeiro lugar"

se os governos não conseguem administrar bem seus orçamentos?

Esta sociedade de consumo, onde todos poderiam ter seus carros, suas casas, seus diplomas, suas viagens, suas casas de praia e casas de campo, este tipo de consumo levado ao extremo nunca foi possível para todos... O modelo de sociedade de consumo na Europa e nos Estados Unidos é impraticável numa China de mais de um bilhão de habitantes. O mesmo vale para a Índia e para o Brasil.

O final de ano pode ser melancólico, mas o início de um novo ano pode nos convocar a pensar, analisar, planejar coletivamente formas de incluir as pessoas num modelo equilibrado de consumo e de participação produtiva e social.

Para se incluir a totalidade das pessoas, das cidades, dos estados e dos países, é preciso ter claro que as políticas públicas precisam ser moderadas e participativas. Fora disto é a morte por guerras de todos os tipos.

O amor cristão no início também era melancólico. O amor da vida moderna é quase que individualizado, do salve-se quem puder, mas este tipo de amor não é o verdadeiro amor familiar e comunitário. A esquerda também precisa incluir o amor em suas análises.

Como dizia São Paulo em suas epístolas: É PRECISO AMAR.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

O direito, a direita, o Estado, a repressão e a Constituição

O Judiciário e a Justiça
O Parlamento e a falta de legitimidade
A imprensa e a partidarização

A diversidade e a liberdade...

Com o fim da segunda guerra mundial, os países tentaram criar instituições que servissem como mediadoras de conflitos, diminuindo assim o risco de guerras e a morte de milhões de inocentes, crianças e velhos.

A ONU teve seu período de autoridade e de arbitragem...

Os pactos militares, como OTAN e pacto de Varsóvia, tentaram proteger seus filiados contra ameaça externas.

O FMI tentou se impor como árbitro dos empresários e governos fortes contra os empresários e governos FRACOS.

O Vaticano voltou a ter força política-religiosa, mas, com o crescimento do protestantismo e dos pentecostais, além do fato de a Igreja fazer acordo com os governos conservadores contra o crescimento da esquerda no mundo, dando a impressão de que as Igrejas e as Religiões não são muito pluralistas, nem muito progressistas, isto é, em nome de cada "Deus único", se proíbe o "Deus do outro". E as guerras religiosas compram armas, matam muita gente e cria novas ditaduras...

Com o fracasso dos governos, sejam eles de direita ou de esquerda, em manterem crescimento econômico com qualidade de vida, pluralidade e liberdade, a direita, representando cada vez mais os empresários conservadores e seus aliados ou subordinados conservadores, faz com que, os mais conservadores se sobreponham aos centristas e desenvolvimentistas.

As democracias estão promovendo ou servindo de meio de legitimação dos neoliberais e ultra conservadores, através do voto e de manifestações de rua.

Há um clamor por governos fortes,
que coloquem os interesses do povo acima dos interesses corporativos, sejam eles patronais ou de jovens libertários.

Há também um clamor por governos progressistas que tenham capacidade de por em prática o fortalecimento da economia, do mercado e do poder de compra de todos os cidadãos, mas, que também mantenha o Estado de Direito, transforme a Constituição em algo simples e prático de ser implementado, garantindo o trabalho e a liberdade com controle social e diversidade nas instituições.

Vivemos sem ONU, sem FMI, sem Pactos Militares. VIVEMOS SEM DEMOCRACIA E SEM LIBERDADE
e ainda enfrentamos a besta do apocalipse representada pelo neoliberalismo e pelo fim dos direitos e dos pactos militares e sociais.

Os loucos, os cínicos e os fascistas usam o poder do Estado para enfraquecer o povo e os trabalhadores e fortalecer as grandes empresas. Sem democracia e sem liberdade, as empresas só conseguem se manter vivas com o uso da força, do fascismo e das ditaduras.

Nas guerras, a maioria dos empresários deixam de ser maioria e são substituídos por novos empresários.
Nas guerras, na maioria das vezes, quem estava por cima, mesmo derrotando seus adversários, também acabam por baixo.


Enquanto isto não se resolve,


a Inglaterra não sabe se sai ou se fica...
a Espanha não sabe como lidar com a Barcelona e com os Bascos,,,
o mundo não sabe como suportar pessoas e governos como o de Israel...

e o Brasil, a América Latina e os Estados Unidos, não sabem como lidar com seus loucos líderes loucos...

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

O mundo interativo e a Argentina FALIDOS?

As pragas de Moisés caíram sobre a Argentina

O mundo está se desmanchando em crises econômicas, políticas, sociais...

Comitê Olímpico suspende Rússia de Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Quem matar a Rússia???

Argentina tem pior cenário econômico desde 2000...

Os filmes de violência institucional contra as pessoas também aumentam em todos os continentes. Até os vulcões voltaram a funcionar.

Preocupados, os governos, os empresários, os partidos políticos, e até as Igrejas aumentam suas pesquisas e estudos sobre como superar o impasse que o mundo passa.

Vivemos o início da terceira guerra mundial,

ou estamos vivendo ainda os reflexos da segunda guerra mundial???

Temos sidos visitados no blog por vários países que nos chamam atenção. Por exemplo:

- Honk Kong, China, USA, Brasil, Reino Unido, Alemanha, França, AÚSTRIA e MÉXICO.


O quê todos querem saber e a imprensa não é capaz de mostrar?


A imprensa não sabe mostrar, ou a imprensa não quer mostrar?

Macri, o presidente da Argentina que também dirigiu time de futebol, fez tudo que a direita neoliberal mandou fazer e o clima piorou. O que anda errado???

"Um país com uma enorme d´vida de curto prazo, SEM ACESSO AO MERCADO DE CRÉDITO, e sem reservas internacionais para pagar as contas." Esta é a Argentina...

"Em recessão há dois anos, com uma inflação de 55% ao ano e 41% da população vivendo abaixo do nível da pobreza, a economia argentina será o maior desafio do novo presidente.

"O primeiro desafio do novo presidente, Fernandez, é reestruturar essa dívida.

"A ARGENTINA JÁ NÃO TEM MAIS NENHUMA CREDIBILIDADE",

diz, Andrés Borenstein, economista do BTG na Argentina.

Enquanto os neoliberais choram a derrota eleitoral na Argentina, nós prestamos nossa solidariedade e nos colocamos à disposição deste combativo e bonito país.


sábado, 7 de dezembro de 2019

A França manda seu recado: É preciso ouvir os trabalhadores

Jovens, Aposentados, Sindicatos, ONG's, Partidos e Igrejas

TODOS ESTES SÃO IMPRESCINDÍVEIS.


Não se governa sozinho.

Esta é uma lição básica para quem quer entender as manifestações atuais, os riscos de guerras locais e generalizadas. As greves, como as manifestações e as guerras, todos sabemos como começam, mas nunca sabemos como acabam. Só quando acabam ficando sabendo mais sobre cada manifestação acontecida.

Os reis e rainhas perderam seus tronos e suas mordomias; imperadores e ditadores também vivem caindo e sendo objeto de manifestações e críticas públicas; Os governantes, os parlamentares, e mesmo os sindicalistas são surpreendidos por protestos e muitas vezes são destituídos.

Sentimos que há algo acontecendo no mundo.


Sentimos que o povo já não suporta esta acomodação que mantém parcelas cada vez maiores fora do sistema e mesmo da sociedade. A maior contribuição que a França deu para a história da humanidade foi sua Revolução Libertária de 1789. A Europa reagiu com as guerras de restauração das monarquias e das repressões... Tivemos o século XIX, com os impérios dividindo a Africa, a Asia e as Américas... Foi o auge do imperialismo colonial direto.

Com a entrada da Alemanha e da Itália nas disputas coloniais, as guerras tomaram outra dimensão levando o mundo a conhecer o poder de destruição dos homens. A nova hegemonia europeia foi migrando para a Alemanha e a Rússia, deixando os demais países como coadjuvantes... principalmente a FRANÇA.

Militarmente, a França foi ficando cada vez mais dependente dos Estados Unidos. Economicamente foi ficando secundarizada pela força da Alemanha e culturalmente, o inglês foi substituindo o francês.

Nas relações sociais, os produtores rurais perdem competitividade, na indústria, perde espaço para a China, e a Classe Trabalhadora francesa também vai perdendo seu protagonismo libertário.

Se os formadores de opinião ainda querem evitar que o mundo entre em novo processo de guerras como foi a primeira metade do século vinte, ainda é imprescindível ouvir a opinião dos franceses, de seus sindicatos e de sua intelectualidade. Hoje, o jornal conservador brasileiro, O Estadão, publica um bom artigo de seu correspondente internacional na França, Guilles Lapouge. IMPERDÍVEL!

Leiam a íntegra do bom artigo de Guilles Lapouge, no Estadão de hoje.


Na França, sindicatos tentam retomar brilho

Após ‘coletes amarelos’, sindicalistas levam às ruas seu know-how de 150 anos de lutas


Gilles Lapouge*, O Estado de S.Paulo
07 de dezembro de 2019 | 09h00

Na terça-feira, as ruas se encherão novamente de “idosos” furiosos de que suas pensões, segundo acreditam, estejam ameaçadas. O governo diz que fará algumas concessões. Mas ele não dirá nada até a próxima semana, na melhor das hipóteses, quando terá uma ideia mais clara do campo de batalha e da força deste enorme exército de descontentes que inclui bombeiros e enfermeiras, hospitais, universidades, velhos e jovens, mulheres, homens.

O Eliseu entendeu que o alvo desse velho ritual caro à França, renovado como está, é realmente a pessoa de Macron. A mágica se desvaneceu e o jovem príncipe encantado se transformou depois de 18 meses de poder absoluto. Ele governa a França como todos aqueles que substituiu, com truques, promessas, pactos secretos, meias-verdades, discursos brilhantes e diabolicamente didáticos. “O ouro se transformou em reles chumbo."

Conseguirá ele recuperar a graça perdida? Nada é impossível, pois o homem é talentoso. Mas nada é tão difícil, tanto na política quanto no amor, como ressuscitar o milagre perdido.

Neste início da vasta revolta que se está formando, um detalhe certamente encantou o establishment: a presença dos descontentes nas ruas prosseguiu em ordem. O motivo é claro: os sindicatos tradicionais estavam no comando, especialmente a CGT.
Ela emprega um talento, um know-how aperfeiçoado em 150 anos de lutas, muitas vezes terríveis, com os proprietários, industriais e políticos. Os líderes sindicais são profissionais. Se alguns idiotas atacam os gendarmes, surgem os fortes da CGT e os “encrenqueiros” retornam para seus buracos.

Os sindicatos na França perderam muitos membros nos últimos anos e também sua influência. Mas as manifestações que começam podem dar a eles a chance de restaurar sua imagem.

Especialmente porque, na visão deles, havia, além dos objetivos tradicionais – os políticos, os ricos, a capital –, um rival de uma nova espécie: os “coletes amarelos”, esses trabalhadores mal-amados quase invisíveis, que nem se conhecem, quase de “fora da sociedade”.

Pois bem, essas pessoas sem organização, sem líderes, que mal sabem o que reivindicam, semearam tanto caos no maquinário macroniano em 2018 que Macron estava com medo. Mas ele ouviu os gritos dos “coletes amarelos” e distribuiu uma ajuda de € 17 bilhões, uma soma gigantesca em um país como a França.
O surgimento inesperado dessas “redes amarelas” e sua eficácia causaram um golpe brutal aos sindicatos tradicionais, é claro, mas também aos formuladores de políticas.

Por isso, durante todo o ano passado, eles foram o pesadelo de Macron, mas ao mesmo tempo o dos sindicatos tradicionais. As manifestações de ontem, hoje e provavelmente de amanhã marcam um retorno a esse “velho mundo” que o jovem e lírico Emmanuel Macron jurou derrubar e substituir por um “novo mundo” do qual ele seria o inventor e o mecânico.

Hoje, após esse ano exaustivo de “coletes amarelos”, retornamos, por um tempo, pelo menos, às rotinas e lutas bem ajustadas do “velho mundo”, das quais conhecemos todo o mecanismo e engrenagens, as táticas e códigos, o software.

Assim, ante uma inversão bizarra das coisas, os sindicatos tradicionais encontram um pouco do brilho que perderam quando esses engraçados “coletes amarelos” irromperam há um ano na luta política. / TRADUÇÃO DE CLAUDIA BOZZO
*É CORRESPONDENTE EM PARIS

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Carne, gás, gasolina, remédios... o custo de vida voltou

Inflação zero e custo de vida 500

Isto mesmo,até as empregadas domésticas começaram a reclamar do custo de vida.

E o que é o custo de vida?


É a inflação real, aquela que a classe média sente no bolso e que não aparece na hora de aumentar os salários. É o lado perverso dos economistas que ensinam os patrões e os governos aplicarem políticas de transferência de renda, tirando dos pobres e concentrando com os ricos.

Por exemplo, nos governos Lula e Dilma, os pobres vivam enchendo os aviões e os aeroportos. Agora, você já percebe até a diminuição da classe média superior nos aeroportos...

Outro exemplo:


Todo mundo adora tirar o filho da escola pública e colocá-lo na escola privada. Ainda mais agora que se aprende inglês desde cedo nas escolinhas... O problema é que os preços das escolas estão matando os pais de susto e de falta de dinheiro...

E você ainda não pode ficar doente. Remédios com preços abusivos e agora que são importados, com o câmbio e o dolar matando os pobres, quando eles vêem os preços dos remédios morrem de susto.

Assim, os conservadores comemoram em silêncios quando policiais militares e para-militares matam jovens, negros, moradores de favelas e de assentamentos. Alguns doidos, como o governador de São Paulo ainda tem a irresponsabilidade de comemorar publicamente.

O Brasil está matando os brasileiros de vergonha.
Ou melhor dizendo,
os brasileiros estão matando o Brasil de vergonha.

domingo, 1 de dezembro de 2019

O mundo continua inseguro

As pessoas continuam inseguras...

O ministro do Iraque renunciou depois das manifestações,

O Chile, com medo da Ira do Povo, convocou plebiscito sobre constituinte,

A França começa a aumentar sua crise de identidade,

Os Estados Unidos volta para si mesmo com medo do impeachment,

A América Latina continua com mais medo e mais incertezas...


E o CAMBIO AUMENTANDO...

E o desemprego AUMENTANDO...

E os velhos aposentados vão ficando SEM DINHEIRO...

Como será o amanhã... E 2020????

2020 - O que significa este número na Cabala???

terça-feira, 26 de novembro de 2019

Roubos, assaltos e pânico em São Paulo

Violência e Impunidade:
Convites a mais violência


Moramos na divisa entre Vila Madalena e Vila Beatriz, região ótima para morar, perto de boas escolas privadas e públicas, com policiamento prestativo, pequeno comércio e boa vizinhança.

Estaria tudo maravilhoso se não fosse a presença frequente de ladrões, individuais e em grupos, que invadem as casas de moradores, tendo gente ou não. Estes roubos e assaltos, acontecem tanto durante o dia como nas madrugadas...

Sempre fico em dúvida:


- Estes roubos acontecem pela sensação de impunidade dos "meliantes"?

- Estes roubos acontecem "por encomenda" de empresas de segurança?

- São estas empresas de seguranças em São Paulo, equivalente às MILÍCIAS no Rio de Janeiro?

- Por que, mesmo com bom atendimento dos policiais militares, os assaltos continuam?

- Já ouvimos comentários que 'a repressão" precisa ser mais efetiva.
Isto é, prender e matar, para servir de exemplos... Será que resolveria?

- Como violência atrai violência, podemos estar nos transformando num Rio de Janeiro?

- Ou é o Brasil que está virando uma grande Bogotá (Colômbia), ou uma Cidade do México?

- Esta noite, invadiram mais uma casa na nossa rua. Domingo roubaram portas da caixa de luz. Pode?


Depois de assaltados e roubados, ainda chamamos a polícia.

Será que vamos ter que "chamar o ladrão", como cantava Chico Buarque?

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Flamengo: Foi bonita a festa pah!

De repente do pranto fez-se o riso e
o Flamengo tomou conta do Brasil

Aprendi a dar valor ao Flamengo ainda criança nos idos de 1962, quando meu irmão, flamenguista fanático, levou-me para participar de um campeonato de futebol de botão (de mesa). Todo mundo queria que seu time fosse o Flamengo e ninguém queria ser o Corinthians... Como eu era pequeno e estava chegando naquele momento, aceitei jogar com o time do Corinthians. O amor ao time veio depois...

O Flamengo é tão simbólico que até ganhar dois título no mesmo fim de semana o time conseguiu. Tudo isto com uma boa dose portuguesa, é claro... Afinal já há centenas de milhares de brasileiros em Portugal. Para o bem e para o mal.

E ver o desespero do Flamengo, que jogou APENAS 15 minutos, os dez primeiros e os cinco minutos finais. Deixando todo o tempo possível para o River Plate. 35 + 40 = 75 minutos os argentinos jogando melhor que o Flamengo. Desesperador.

Mas Deus ajudou, ficou com pena em ver milhões de brasileiros flamenguistas correrem o risco de voltarem para casa chorando ante tanta certeza que o jogo seria igual a dois times brasileiros. A imprensa estimulou tanto o delírio ufanista que quase que os jogadores e o técnico do Flamengo também se esqueciam que GANHAR ERA FUNDAMENTAL!

Sim GANHAR É FUNDAMENTAL.
Era uma decisão e obrigatoriamente deveria ter um vencedor.

E Jesus lembrou que tinha um jogador que era bom de bola e também contava com um técnico português que se chama JESUS.

E O FLAMENGO FOI CAMPEÃO. Lá e Cá!

sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Netanyahu é indiciado por CORRUPÇÃO e FRAUDE

Procurador-geral de Israel indiciou NETANYAHU por CORRUPÇÃO,
recebimento de PROPINA, FRAUDE,

QUEBRA DE CONFIANÇA...

Poderia acrescentar:
TRAIÇÃO, MENTIRA, ENGANAR O POVO JUDEU...

DESMORALIZAR A IMAGEM INTERNACIONAL DOS JUDEUS...


É a primeira vez que
um PREMIÊ ISRAELENSE É INDICIADO NO EXERCÍCIO DO CARGO.

E Netanyahu disse que não vai renunciar.

O primeiro ministro é alvo de TRÊS INVESTIGAÇÕES:


1 - A primeira apura se ele teria concedido benefícios no valor de UR$ 500 milhões de dólares à empresa de telecomunicações Bezeq, a maior do país, em troca de uma cobertura favorável de seu governo no site de notícias de propriedade do ex-presidente da companhia. (A imprensa não se vende... negocia).

2 - A segunda Netanyahu é acusado de ACEITAR PRESENTES DE BILIONÁRIOS...

3 - A terceira denúnica, ele é acusado de oferecer vantagens ao JORNAL Yedioth Ahronoth, o mais vendido em Israel, TAMBÉM EM TROCA DE UMA COBERTURA POSITIVA DE SEU GOVERNO.

A decisão pelo indiciamento veio após uma série de audiências entre promotores e advogados do atual primeiro-ministro.

Netanyahu sempre usou seu bom relacionamento com TRUMP para aumentar a ocupação dos territórios palestino.

Netanyahu também se aproximou do presidente do BRASIL, Jair Bolsonaro.


Nota: Estas informações estão no jornal Folha de S.Paulo de hoje, e o bom artigo é assinado pela REUTERS E AFP.

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Revolução popular ou massacre militar?

O povo quer paz, pão, trabalho, saúde e liberdade.

Os ricos estão com medo do povo e, como sempre, buscam o apoio dos militares, do judiciário, da imprensa e das Igrejas, para manterem seus privilégios e aumentar a concentração de renda, onde os ricos ficam mais ricos e os pobres ficam mais pobres...

Vejam algumas informações contidas no bom artigo do correspondente do Estadão em Paris, Gilles Lapouge:

1- Há muitos exemplos de países que vivem clima de revolta popular e de massacres efetuados pelos militares e paramilitares;

2 - Líbano, França, Bolívia, Hong Kong, e mais as diversas listas apresentadas pelos sindicalistas, pelas agências de notícias e pela ONU. Vejam a lista de Andrezinho, que é brasileiro e mora em Montevideo, à trabalho.

3 - Os JOVENS são a linha de frente e a vanguarda. Desafiam a ordem estabelecida e sonham com a revolução, isto é, com SOCIEDADES JUSTAS E TRANSPARENTES, livres desses governos (sejam de direita ou de esquerda, por serem lentos e medrosos), livres de empresários gananciosos e financistas que roem os corpos das pessoas até os ossos.

4 - NÃO PODEMOS IGNORAR TODAS ESTAS CONVULSÕES

5 - O Iraque é um dos focos da revolta. Bush destruiu o Iraque e espalhou a guerra no Oriente Médio. Com medo da Al-Qaeda, Bush cometeu o desastre de espalhar a guerra e o medo pelo mundo. Depois da invasão americana no Iraque, já houve duas guerras civis, dezenas de atentados, a retirada inglória dos soldados americanos e a instauração do ESTADO ISLÃMICO.

6 - Agora, OS JOVENS SE REBELARAM também no Iraque e já são mais de 330 mortos. Bagdá está nas mãos dos amotinados, reunindo estudantes, professores, farmacêuticos, escritores, advogados e pintores. Os advogados instalaram escritório de atendimento a feridos pela repressão. Um grupo de mulheres mexe panelas gigantes de carne, frango e legumes para alimentar os rebeldes.

7 - Os governos atuais só conseguem produzir favelas, sujeira e indigência... Se for para isto, não há necessidade de governos. Estes não representam o POVO e não são democráticos. Democracia apenas de fachada e pró forma.

8 - OS JOVENS IRAQUIANOS exigem as mesmas liberdades dos jovens de todo o mundo: Justiça verdadeira e não um Estado policial, liberdade, honestidade, eleições honestas e transparentes e punição aos corruptos.

QUEREMOS UM PAÍS LIVRE E DEMOCRÁTICO!

VIVA OS JOVENS! VIVA ÀS MULHERES E AO POVO EM GERAL
.

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Bolívia vive clima de vingança da direita branca

O voto foi substituído pela violência

Depois de ter perdido três eleições presidenciais para Evo Morales, a direita boliviana, apoiada pela rede internacional liderada pelos Estados Unidos, partiu para matar e destruir a capacidade de os índios elegerem outro dia para presidente da República.

Voltamos à mesma pergunta do Brasil:

Como evitar que a direita use os militares e à força paramilitar para impedir que os pobres e o povo possam eleger seus candidatos e governar mantendo a democracia?

Quando Evo renunciou, disse que era para manter a paz e a democracia. Ao renunciar e não ter preparado o povo para defender-se, Evo Morales facilitou o terrorismo e a prática nazista dos brancos contra os índios.

O mundo caminha para o "olho por olho e dente por dente". Isto é, guerras e levantes estão acontecendo em toda parte. Os mais fracos estão sendo assassinados pelos mais forte e pelas forças policiais e militares que estão à serviço dos brancos e dos conservadores.

O Chile sinaliza o melhor caminho.
Democracia sem legitimidade não é democracia. Isto é, democracia onde o povo não vota livremente não é democracia de fato. É apenas uma fachada. A Constituinte, precedida de um plebiscito é o caminho do Chile.

O clima de "big stick" - grande porrete - para manter o conservadorismo e a dominação dos ricos contra os pobres está se acentuando, levando o mundo para o impasse.

O diálogo deve prevalecer sobre o ódio e a violência.

"God save América"? Deus salve a América?
Que Deus ajude a humanidade a preservar-se com dignidade e solidariedade.

Devemos começar logo o debate sobre a Constituinte.
Antes que seja tarde demais.



sábado, 16 de novembro de 2019

Chile sai na frente e convoca Constituinte

Quem tem medo da Constituinte?

Tanto a Folha como o Estadão publicaram artigos baseados na mesma fonte e ambos os jornais deram matérias grandes porém na página internacional o que deixou de ter a importância que merece.

Chile convoca PLEBISCITO SOBRE NOVA CONSTITUIÇÃO

Eis uma boa notícia!


Porque países como Brasil não estão discutindo a importância de se ter governos - executivos, legislativos e judiciário - mais democrático, participativo e legítimo?

O Brasil também tem uma Constituição que foi chamada de Cidadã, mas que, com o passar do tempo, foi caindo no ridículo com os governantes e os congressistas mudando quase tudo e da forma mais doida possível. No Brasil, os políticos lançam campanhas, fazem promessas e depois de eleitos fazem tudo ao contrário do que prometeu. No Brasil o povo vota mas não fiscaliza os votos e projetos de seu candidato.

No Chile, "representantes das principais forças políticas anunciam plebiscito sobre nova Constituição". A realização da consulta marcada para ABRIL DE 2020, foi aprovada pelo Congresso na madrugada desta sexta-feira, (15/11/19).

O documento de convocação do plebiscito sobre a nova Constituição chama-se:

"ACORDO PELA PAZ E UM NOVA CONSTITUIÇÃO"


No plebiscito, os eleitores responderão se DESEJAM ou não uma nova constituição e qual tipo de órgão deve ficar responsável por redigi-la: Uma comissão mista ou uma Assembleia Constituinte.

Se o Chile pode convocar Plebiscito e nova Constituinte, o Brasil também pode.


Por enquanto a imprensa nacional está com medo do povo votar contra os entreguistas e mercenários.

Mas haverá pressão para que o povo discuta e decida que tipo de governo prefere, que tipo de partidos prefere, que tipo de imprensa prefere, que tipo de judiciário prefere, e que tipo de movimentos sociais prefere.

Na democracia, o governo deve ser do povo, para o povo e com o povo.

Sem medo de ser feliz!

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Andrezinho e o mundo em chamas

André Luiz Rodrigues viaja pelo mundo
E descobre que a violência está aumentando

Honduras, Haiti, Venezuela, Bolívia, Equador, Peru, Chile, Líbia, Sudão, Nigéria, Mali, Libéria, Serra Leoa, Congo, Somália, Turquia, Síria, Líbano, Iraque, Israel x Palestina, Iêmen, Paquistão, Afeganistão, Bangladesh, Mianmar, Indonésia, Hong Kong e Ucrânia,

Esses são os países que, de cabeça, estão em conflitos internos.

Há tensões internas fortes em vários do Leste Europeu, nos Bálcãs, na Espanha, na África e começando a pipocar outras tensões na América Latina.

Praticamente nenhum desses conflitos é por território (exceção do Sudão e os separatismos Catalão e de Hong Kong).

E tem os povos que não são reconhecidos e não podem constituir seus territórios, como os curdos e os Royinga.

Nessa Panela você coloca o BREXIT da Inglaterra e as tensões com o resto da União Européia.

O resto dos conflitos é por questões ideológicas, mais pelo retorno forte do fascismo do que por crescimento de movimentos de esquerda (que apenas resistem); por questões religiosas, étnicas, racismo e por lutas contra o desmonte dos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, que é uma ação coordenada não apenas de pessoas conservadoras e autoritárias, mas pelas grandes multinacionais e pelos grandes bancos.

A manipulação, o suporte e a ação nas sombras é capitaneada pelos EUA.
Coloque aí a água, o petróleo, o lítio e a biodiversidade.
Bummmmm.

3ª Guerra mundial já tá rolando de alguma forma.

Os conflitos ideológicos, os trabalhistas, o fundamentalismo religioso (pentecostal e islâmico, principalmente), conflitos raciais e a discriminação de gênero e orientação sexual vão aumentar na mesma velocidade exponencial do fluxo de informações em redes sociais ou app's de comunicação como Whatsapp.

Em algum momento essas tensões vão se cruzar, se articular, pois todas tem alguma coisa a ver com a outra.

Diferentes movimentos vão se juntar.
Para um lado ou para o outro.
E praticamente não temos ninguém que possa liderar uma moderação, ou propor um modelo.
Não é só falta de liderança.
Falta principalmente um modelo que seja aceitável que aquiete as almas e cérebros cheios e os cérebros vazios também.

Onde será que existe um cantinho bom nesse mundo onde eu possa respirar um pouco?

ATENÇÃO: Este interessante texto é de autoria de André Luiz Rodrigues.

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

BRICS na encruzilhada econômica e política

China, Rússia e Índia brilham

Brasil e África do Sul andam para trás...



O gigante de pé de barro, que parecia ter superado seu complexo de vira lata, agora anda para trás. O Brasil além de ter um presidente que mais envergonha do que qualifica a participação brasileira, mesmo o encontro sendo em Brasília, parece que somos apenas hospedeiros ou coadjuvantes...

O Brasil do século XX era a maior esperança como modelo de pluralidade e de capacidade produtiva mundial. No entanto, no início do século XXI, o que constatamos é que, brasileiros mercenários e entreguistas, com o apoio do Congresso Nacional e do conservadorismo evangélico, o Brasil vende todos os seus recursos e a sua dignidade aos estrangeiros.

O Brasil tornou-se um vexame internacional.


Destrói a Amazônia, queima também o Pantanal, vende suas empresas a preço de banana, entrega seu território e privatiza a saúde e a educação, excluindo milhões de brasileiros ao acesso a requisitos básicos e imprescindíveis.

A democracia está em crise no Brasil e no mundo.


A economia está sendo dominada por políticos conservadores e neoliberais, empobrecendo ainda mais parcelas significativas da população.

Voltamos ao debate maltusiano. Como acabar com a pobreza? Matando os pobres com guerras e epidemias? Ou fazendo como a China que tirou da pobreza absoluta mais de 500 milhões de chineses? A Índia decidiu copiar o modelo chinês, mas não tem a governabilidade chinesa. A Índia é um outro mundo religioso e místico... A áfrica do Sul, que deveria ser a vanguarda industrial e de inclusão social da África, parou emperrada na incapacidade de gerar milhões de empregos e agilizar a inclusão social.

A intensiva concentração de riqueza e o controle da economia por oligopólios nacionais e internacionais só trava o progresso com inclusão de toda a população. Com os governos e Estados fracos, a solução passa pela intensiva participação do povo e das comunidades nos conselhos de acompanhamentos dos planejamentos tanto dos poderes públicos, como das empresas públicas e privadas.

O mundo econômico, político e social passa pela cogestão e pela transparência.


O BRICS precisa ser melhor e mais eficiente nos seus objetivos sociais do que DAVOS.

Quando a Paz não é suficiente para proteger as pessoas, resta ao mundo sentir a violência das guerras.

terça-feira, 12 de novembro de 2019

O melhor caminho: Constituinte, Constituição mais legítima e Parlamentarismo

O mundo em crise descaracteriza a Democracia e a Liberdade

A DEMOCRACIA ESTÁ DOENTE...

Na democracia americana,
nem sempre o mais votado é o empossado. Lá é outra democracia. A democracia da conveniência ou, do Big Stick, (grande porrete).

Traduzindo: O sistema americano é misto, isto é, cada Estado tem um número de delegados à Convenção que, indiretamente, elegerá o presidente da República. Isto é formal. Na prática, nos Estados Unidos há um sistema de governo onde, necessariamente, a hegemonia é dos brancos, protestantes e de origem anglo-saxã. Mesmo que sejam eleitos negros, (como Obama), católicos, como Kennedy, ou quando elegerem um hispânico, TODOS DEVEM OBEDECER A ESTA HEGEMONIA, isto é, ao "Establishment", à classe dominante. Quem desobedecer MORRE! E a liberdade individual ou coletiva, também, devem obedecer as regras da Constituição americana. Quando não se respeita e acata, também morre.

Nos países da Europa, prepondera a Democracia PARLAMENTARISTA.


O eleitor elege um Congresso, com seus partidos e seus candidatos. O mandato do primeiro ministro é indicativo, isto é, enquanto houver apoio do Parlamento, o governo continua governando. Quando surge alguma crise, em vez de se fazer Impeachments ou golpes de Estado civil-militar-jurídico-midiático, aprova-se um voto de desconfiança e se convoca nova eleição, como está acontecendo na Espanha e em Israel. Na Europa, a vida continua normalmente, com governos eleitos ou não, até se constituir uma maioria parlamentar que vai dar sustentação e legitimidade ao novo governo.

Na Ásia, na África e na América Latina há uma tendência majoritária de o governo ser presidencialista, em função da influência americana no pós-guerra mundial; mas na Ásia e na África também há parlamentarismo como herança do Império Inglês. Na América Latina é tudo presidencialismo.

Para onde caminha a humanidade?


A humanidade tem seu modismo, influenciado pelo modo-de-produção vigente, pelos países hegemônicos e pelas alianças militares e econômicas, preponderou a monarquia. Até o século XIX (dezenove). Historicamente as monarquias foram ABSOLUTAS. Isto é, o rei mandava e quem não obedecia morria. Não existia liberdade, apenas existia servidão e alianças entre reinos. O povo estava à serviço explícito dos reis e rainhas. Mas existiam reis fortes e reis fracos. Os fracos compunham governos e alianças com vassalos, senhores feudais, religiões e vizinhos...

A transformação mais marcante contra as monarquias, foi a Revolução Francesa em 1789. A partir desta data o mundo caminha para o sistema republicano, com presidentes, primeiros-ministros, um mundo mais democrático e participativo, embora com MUITAS GUERRAS, como sempre houve. A independência americana em relação a Inglaterra consolidou o fim da hegemonia monárquica. A guerra da independência teve fim em 4 de julho de 1776 e os ingleses só reconheceram sua derrota em 1783.

A Inglaterra teve sua revolução preparatória do capitalismo e da republica com monarquia em 1642, com Cromwell. O rei Carlos I foi derrotado na guerra civil e DECAPITADO.

No século XX (vinte), com o fracasso das monarquias, o mundo viveu uma grave crise de modelos a serem escolhidos pelos povos. A Europa foi o grande palco das mudanças, a começar com a perda das colônicas e as disputas por mercados econômicos. A Belle Époque foi substituída por revolução e guerras violentíssimas... A Alemanha humilhou a França em 1870, derrotando-a e ocupando Paris. Em 1905 o Japão começou a querer ir além da Coreia e da China, derrotando a Russia e provocando a queda da monarquia russa. Poucos anos depois, em 1917, os trabalhadores e o povo russo tentaram fazer um governo comunista, o que era totalmente novo na história da humanidade. Isto levou os monarquista a se juntarem com os capitalistas contra o comunismo, abrindo as portas para a I Guerra Mundial. Que abriu as portas para a maior de todas as guerras da história. A II Guerra Mundial.

Nem comunismo nem capitalismo absolutista (neoliberal), qual é o melhor caminho?


Economia de mercado, garantia de acesso e participação do povo nos governos, controle social através de conselhos plurais, ampla liberdade de imprensa, de religião, de partidos políticos, de locomoção, de organizar-se sindicalmente, respeito aos gêneros e a diversidade cultural. Garantia que o povo tenha acesso à educação e à saúde, transporte acessível e acesso ao trabalho e a aposentadoria digna.

Para que o povo e seus representantes aprendam a praticar democracia e os preceitos acima, a democracia parlamentar e popular ainda é o melhor modelo a ser experimentado no século XXI (vinte e um).

Precisamos combater os violentos, os golpistas, os corruptos e os corruptores. Precisamos garantir que as leis sirvam para todos. O povo tem o direito de errar. Porém, o erro não pode ser motivo para impedi-lo de participar das experiências de governabilidade.

O jornal A Folha, com todos seus defeitos e virtude, hoje publica uma boa notícia:

"CHILE INICIA PROCESSO PARA MUDAR CONSTITUIÇÃO".


Ou o mundo caminha para a democracia participativa, ou o caminho da guerra se espalhará por todos os continentes, provocando uma guerra mundial bem maior do que o combate ao nazismo e ao holocausto.

Churcil reconheceu que a segunda guerra poderia ter sido evitada na Conferência de Munique.

Agora, se os países continuarem a eleger os Trumps e Bolsonaros da vida. Nos restará a morte, não apenas dos indivíduos, mas a morte do próprio planeta.

Democracia pode ser como o AMOR. O ideal é que não precise de adjetivos. Se pensarmos nos nossos filhos e filhas, nas flores e nos rios, se pensarmos nas primaveras, com músicas e teatros, tudo isto com a tecnologia nos ajudante a combater as doenças e a vida comunitária nos ensinando a ouvir, a falar e a dar as mãos.

UM OUTRO MUNDO É POSSÍVEL. (Ainda).

domingo, 10 de novembro de 2019

Azerbaijão quer noticias do golpe na Bolívia

Golpe contra governos de esquerda pode.

Não pode é golpe contra governo de direita.


Vejam o caso da Bolívia


Há muita coisa a ser explicada no golpe civil e militar na Bolivia.

1 - Que os brancos são conservadores, não tenham dúvida, lá e na maioria dos países;

2 - Que a imprensa também é conservadora, quem ignora isto merece novo golpe de Estado;

3 - Que o judiciário é mais conservador que a própria imprensa, com certeza;

4 - Que os Estados Unidos apoiam golpes contra o povo, isto é rotina;

5 - Que Evo governava apoiado majoritariamente pelos índios, o que era positivo, virou negativo? Eis uma das questões relevantes.

6 - Que Evo era "um amigo da onça" com o Brasil, desde o governo Lula que Evo já era esperto...

7 - E por quê amarelou?

8 - Não quis banho de sangue?

9 - Não tinha organização de sustentação ao governo?

10 - Não soube transformar simpatia e boa economia em mobilização orgânica de sustentação ao seu governo?

11 - Por que os indios ainda não foram para as ruas defender "seu governo"?

12 - Por que esperou até os militares serem a palavra final? Porque não fez novas eleições para RATIFICAR a vontade popular?

13 - QUE TUDO ISTO SIRVA DE LIÇÃO PARA TODOS NÓS!


Temos que "Orar e Vigiar"...

O povo merece respeito!


Tanto da direita, quanto da esquerda.

Democracia acima de tudo!

sábado, 9 de novembro de 2019

Política, futebol e religião

Antigamente se evitava polêmicas...
Agora não sobra nada. Tudo é motivo...

A imprensa brasileira continua tentando impor sua visão de mundo. Não aceita que o assinante ou leitor tenha opiniões diferentes. A Folha não aceita que Lula fale o que quer. A Folha quer que Lula fique calado ou que diga que não quer debater as diferenças. O Estadão virou jornalzinho chulo. Perdeu a dignidade... O melhor jornal brasileiro continua sendo o Valor. TVs eu não as vejo. E rádio eu quase que não escuto notícias, somente escuto músicas.

O Judiciário, como a imprensa, virou partido político de direita (não confunda com DIREITO). Manipula, intimida, mente e prende inocentes.

As Igrejas Evangélicas Pentecostais se transformaram em partidos religiosos conservadores, muito reacionário, que topam tudo por dinheiro...

Os três poderes tradicionais - executivo, legislativo e judiciário - nenhum funciona direito. Na verdade, estão superados historicamente.

Esta vergonha nacional, chamado de governo Bolsonaro, mata os brasileiros de vergonha.

O tempo passa e em 2020 teremos eleições municipais. É uma boa oportunidade de dizer NÃO a este governo de loucos, vendilhões, mercenários e oportunistas.

Os conservadores ainda não afinaram suas interpretações sobre o que pode acontecer com a libertação de Lula. O povo precisa ser ouvido e levado em consideração.E ninguém no Brasil conseguiu representar tanto a vontade do povo como Lula faz.

Chega de entreguistas!
Chega de mercenários!

O povo quer respeito e dignidade.

Viva Lula!


terça-feira, 5 de novembro de 2019

Mais de 700 mil acessos. Uma proeza.

Mesmo sem saber "editar", o blog sobrevive

No começo foi uma brincadeira do pessoal de Formação do Sindicato dos Bancários. Eles apresentaram-me o blog e pediram-me para contar os casos e causos que vivi nestes 40 ou 50 anos de vida política e social. Confesso que não acreditei que fosse dar certo.

Começou com pouca gente acessando, foi crescendo... Depois meu irmão(Dema)acrescentou o tradutor e o blog passou a ser internacional. O tempo foi passando e os números subindo. Aí, numa das eleições americanas meu blog sumiu. Fui travado pelos conservadores e as forças ocultas. Precisei mudar o provedor para continuar existindo...

A maior fase de leitura deste blog foi noticiando sobre a possível venda do Santander-Brasil. Foi uma guerra!

A guerra veio para o sistema facebook. Fizeram algo que dificulta o acesso e eu vi meus leitores diminuirem, sem saber como. O Face começou a impor restrições... Mesmo assim os acessos continuaram subindo e neste final de semana, finalmente passou de 700.000!

Mais de 700 mil acessos!!!!


Para bater este record tive muita ajuda das forças ocultas.

De vez em quando, quando o clima mundial fica pesado ou quando as guerras voltam, os Estados Unidos resolvem dar uma olhada nas minhas mensagens e aí o facebook não pode bloquear, deixando os mais de cinco mil acessos acontecerem. É como se os gringos estivessem copiando meus textos e mensagens. Serei eu um terrorista? Um potencial escritor? Um amigo ou um inimigo dos Estados Unidos? Ou de Israel?

Vou tentar ter uma aulas de edição de textos, de mensagens e de fotografias. Quero incluir as flores e as músicas. Espero também ter mais tempo disponível para organizar textos mais longos que pretendo editá-los em livros temáticos para que os jovens e profissionais da área possam usá-los como material informativo e didático.

Mesmo "o big brother" podendo copiar tudo que a gente faça, ainda preservamos nossos sentimentos e nossas emoções. E ainda tenho 30 anos de vida pela frente, o que possibilita escrever e contar muitos casos e muitas histórias...

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Caminhamos para Nova Guerra?

O tempo, a música e as flores...

Todos acusam todos. Por muito menos tivemos guerras imensas...

A imprensa virou "filme de terror"
O judiciário virou "filme de terror"
Os pentecostais viraram "filmes de terror"

Os políticos viraram "filmes de terror"
Os governantes viraram "filme de terror"
As Forças Armadas estão virando "filme de terror"

Isto é o que vemos na TV, nos filmes, em casa e em toda parte. Invasões planetárias, armas supermodernas que matam a partir de orientações estrelares...

As pessoas estão se transformando em CORINGAS.
Querem sangue, querem o olho por olho e dente por dente...
Caminhamos para nova Grande Guerra?

Graças às novas tecnologias, tenho encontrado músicas antigas maravilhosas... Músicas que não têm monstros. Filmes que não têm monstros, tem boas músicas, belas flores e uma parte da população da Terra tentando preservar o planeta, salvar o verde, as flores, as abelhas e as águas...

Como tenho divulgados as músicas e as flores como variações sobre o mesmo tema. Vejam a letra em espanhol e em português, de uma preciosidade cubana, composta no início do século XX, bem antes das guerras frias e quentes...

Leiam as letras aqui e busquem no facebook as várias versões que gravei. Mas existem mais de cem versões diferentes.


Veinte Años

¿Qué te importa que te ame
Si tú no me quieres ya?
El amor que ya ha pasado
No se debe recordar

Fui la ilusión de tu vida
Un día lejano ya
Hoy represento el pasado
No me puedo conformar

Si las cosas que uno quiere
Se pudieran alcanzar
Tú me quisieras lo mismo
Que veinte años atrás

Con qué tristeza miramos
Un amor que se nos va
Es un pedazo del alma
Que se arranca sin piedad

Si las cosas que uno quiere
Se pudieran alcanzar
Tú me quisieras lo mismo
Que veinte años atrás

Con qué tristeza miramos
Un amor que se nos va
Es un pedazo del alma
Que se arranca sin piedad


Em português....

Aos Vinte

O que importa que eu te ame
Se você não me ama mais
O amor que passou
Não deve ser lembrado

Eu era a ilusão de sua vida
Em algum dia distante
Hoje represento o passado
Eu não posso me conformar

Se as coisas que se quer
Pudessem ser alcançadas
Você me amaria o mesmo
Que há vinte anos

Com que tristeza vemos
Um amor que se vai
É um pedaço da alma
Que se arranca sem piedade

Se as coisas que se quer
Pudessem ser alcançadas
Você me amaria o mesmo
Que há vinte anos

Com que tristeza vemos
Um amor que se vai
É um pedaço da alma
Que se arranca sem piedade

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Mal-estar em escala chinesa

China está importando psicanalistas do Brasil

A psicanálise está em alta no país asiático, e o brasileiro JOEL BIRMAN ajuda chineses a lidarem com angústias na civilização pós-industrial.

A China está interessada em psicanálise porque precisa lidar com o impacto das mudanças subjetivas e sociais decorrentes do seu desenvolvimento econômico acelerado.

"Estamos falando de um novo limiar civilizatório que gera angústias e distúrbios psíquicos, um mal-estar na civilização", explica Joel Birman. Os chineses, afinal, não são tão diferentes quanto pensam os ocidentais.

Estas notícias da China estão no jornal Valor, Caderno de fim de semana, outubro2019.

Os chineses vivem uma reedição daquilo que Freud chamou, em 1930, de "mal-estar na civilização", um novo limiar civilizatório que provoca mal estares psíquicos e aumento das doenças ditas nervosas.

UM MAL-ESTAR EM ESCALA CHINESA

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Tsunami Social e Popular ameaça o mundo

Chile, Argentina, Colômbia, Equador, Bolívia, Líbano, Turquia/Curdos...

Alguma coisa está fora da ordem, já cantava Caetano Veloso...


O Chile que tinha a imagem de subserviente ao neoliberalismo, rebelou-se,

O governo conservador e neoliberal demitiu todo o ministério, com medo do povo.

O povo chileno, silenciosamente, foi para as ruas e formou uma grande multidão...


O povo quer emprego, trabalho, salário, saúde e educação...

Honestidade, transparência e participação social e popular.

Na Argentina, também silenciosamente o povo foi mostrando que não queria mais o Macri

com seu conservadorismo neoliberal. Democraticamente o povo argentino disse não e

escolheu um novo governo, popular e democrático.


Todos precisam participar da reconstrução da Argentina...


Em toda parte o povo está dizendo não aos políticos incompetentes.

Sejam governos de esquerda ou de direita,

O povo quer ser ouvido, quer ver os programas eleitorais serem cumpridos,

quer o fim das mentiras e da falta de transparência.


Na verdade, o sistema capitalista com sistema republicano de três poderes -

legislativo, executivo e judiciário - está superado historicamente.

A imprensa está jogando na confusão, a imprensa quer ser um poder alternativo.

Os mandatos eleitorais não servem mais. Quem não tem competência não se estabelece...


É preciso construir um novo sistema de governo popular e democrático.

É preciso ter mais transparência, participação e agilidade na gestão.

O POVO MERECE RESPEITO!

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Tragédias individuais e coletivas

Guerras, acidentes, desemprego e doenças.
Quem são os culpados???

Ao abrir os jornais pela manhã ficamos assustados com o noticiário: Guerras em todos os continentes, acidentes decorrentes de alcoolismo, desemprego causado pelo neoliberalismo e a ganância, e o corpo humano cede à doenças físicas e mentais...

Quem são os culpados?

São culpas individuais ou coletivas?

Como resolver esta questão??

Como a modernização das empresas provoca tanto desemprego?

O quê tem a ver o sistema financeiro com o modo de produção atual, e vice-versa?

Por quê o Brasil está aceitando a destruição e venda de suas empresas aos estrangeiros à preço de banana?

Qual é o "projeto nacional" do Brasil?

Como fica sua soberania?

Precisamos intensificar este debate acima para que o povo possa compreender como a coisa funciona e, ao mesmo tempo, para que possamos construir uma proposta nacional mais realista e mais exequível.

Às tragédias precisam ser superadas pelos projetos de inclusão social, distribuição de renda, formação educacional e tecnológica e capacitação nas pequenas e médias cidades como forma de diminuir as grandes concentrações urbanas.

Investir muito em infraestrutura como forma de priorizar o investimento produtivo e comercial no Brasil e no exterior.

Estudar caso a caso, criar projetos de inclusão social e de sustentabilidade financeira, principalmente, nas regiões mais pobres.

Criar um grande projeto nacional e distribuir em todo o Brasil, começando uma grande jornada por um Brasil para todos.

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Chile mostra o caminho da resistência

CHILENOS PROTESTAM CONTRA PRIVATIZAÇÃO E QUALIDADE DOS SERVIÇOS

Não era só pelos 3,75% de aumento na tarifa do Metrô. Chilenos estão revoltados com resultado das privatizações, como a capitalização da previdência que tem levado muitos à miséria, e de serviços como água e luz.
Publicado: 21 Outubro, 2019 - 13h01 Escrito por: Redação CUT

Há uma semana uma das maiores ondas de protestos das últimas décadas atinge o Chile e só na noite do domingo (20) pelo menos sete pessoas morreram em um incêndio em um supermercado de Santiago, capital do país.

O estopim das manifestações foi o aumento de tarifas do Metrô na capital, mas mesmo depois que o presidente Sebastián Piñera - economista de direita que, em 2010, rompeu o ciclo de governos de esquerda e de centro-esquerda - cancelou o reajuste, na noite de sábado (19), as manifestações foram mantidas. Motivos para revolta não faltam.

Em entrevista ao blog do Sakamoto, hospedado no Portal do UOL, o professor da Faculdade de Economia e Negócios da Universidade do Chile, Andras Uthoff, avalia que a alta da tarifa contribuiu para aumentar ainda mais o descontentamento do povo chileno com outras políticas públicas, como o sistema de capitalização da previdência, que tem levado os idosos a miséria, e privatização de serviços essenciais e básicos, como a água.

“Os manifestantes vêem que seus pais e avós recebem aposentadorias de miséria, 80% delas abaixo do salário mínimo e 44% da linha de pobreza. Percebem que, dessa forma, não há capacidade de sobreviver dignamente", disse o professor que é doutor em Economia pela Universidade de Berkeley, ao blogueiro.

Privatizações é a causa da revolta
“Chega de aumentos, basta de injustiças. As pessoas não vão parar até que o governo reconheça: a luz, a água, tudo está sendo vendido neste país", disse à uma emissora de televisão um manifestante em Santiago, segundo a BBC.

O professor Andras Uthoff, confirma na entrevista ao blog de Sakamoto que a privatização dos serviços públicos é o principal foco da revolta do povo chileno que não consegue pagar por serviços essenciais como saúde, educação e energia.

"É uma manifestação contra o abuso que tem significado a privatização de serviços públicos com cobranças que a grande maioria não pode pagar, ficando excluída de bons serviços de saúde, educação, transporte, moradia, água, luz, energia", explica Andras, que foi membro de dois conselhos presidenciais para reformas no sistema previdenciário chileno e chefe da Divisão de Desenvolvimento Social da Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe).

Reforma da previdência chilena, um exemplo a não ser seguido

A capitalização da Previdência, uma das principais propostas de Paulo Guedes, ministro da Economia do governo de Jair Bolsonaro (PSL), foi retirada da reforma que deve ser aprovada esta semana pelo Senado, mas o ministro continua defendendo a medida. Ele diz que se inspirou na reforma feita durante o governo do ditador Augusto Pinochet (1973-1990) que adotou o modelo em que cada trabalhador faz individualmente uma poupança. O sistema brasileiro é de repartição. Os trabalhadores e trabalhadoras que estão na ativa ajudam a pagar o benefício de quem está aposentado.
"Depois de 40 anos, percebemos que o sistema de capitalização individual empobreceu os idosos no Chile", afirmou Andras ao blog de Sakamoto.

O professor da Faculdade de Economia diz ainda que há uma relação entre as reclamações de manifestantes por serviços públicos de qualidade e os problemas no sistema de aposentadorias. Para financiar o custo da transição para o sistema de capitalização foram cortados gastos em saúde, educação, moradia. No Brasil, a previsão de gasto com a implementação do modelo de capitalizaçõção da previdência é de quase R$ 1 trilhao.

"A qualidade dos serviços públicos se deteriorou e nunca recuperou níveis de dignidade, como prometido", afirma. Se alguém quer boa educação e saúde, tem que pagar por esses serviços. Vale ressaltar que a redução de gastos nessa área só foi possível porque o Chile vivia sob uma ditadura.

O que deve acontecer agora?

"Está pendente a identificação de uma liderança firme, que nos permita canalizar esse descontentamento a fim de corrigir os abusos do modelo neoliberal que prevaleceu no Chile, sem sucesso para a grande maioria e benefício de apenas uns poucos." E resume:

"A desigualdade é a ameaça”.

O Chile foi o primeiro país sul-americano visitado por Jair Bolsonaro depois de empossado. Bolsonaro quis destacar seu apreço ao conservador privatista como ele Sebastián Piñera. Além da privatização da Previdência, Bolsonaro quer privatizar vários serviços, entre eles, o de energia e também a Petrobras, que não entrou na lista das 17 estatais que o governo anunciou que vai vender, mas está nos planos de Bolsonaro e da equipe econômica.

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Bombas atômicas na Turquia em guerra

Forças sírias se unem aos curdos contra a Turquia

O acordo foi feito para permitir que as forças sírias assumam a segurança de áreas fronteiriças, enquanto os CURDOS mantêm o controle de instituições locais.

E se um louco apertar os botões atômicos???


Estas bombas atômicas são 17 vezes mais potentes que a bomba lança em Hiroshima, no Japão.

A base aérEa de Incirlik abriga ao menos 50 bombas atômicas, DO ARSENAL AMERICANO(!).

O Pentágono teme pela expansão do cenário de fogo.

A base em INCIRLIK fica a 360 km de Ancara, capital da Turquia, e a 60 km da fronteira com a Síria. Estas bombas atômicas foram levadas para a Turquia durante a Guerra Fria, como fator de contenção da União soviética.

Além das bombas atômicas, há cerca de 200 mísseis e dezenas de aviões de combate, mais transportadores, drones e versões de inteligência, aqueles gigantes cheios de antenas para captar, ver e ouvir informações estratégicas. Tudo operado pela Força Aérea da TURQUIA, com grande presença da aviação militar dos EUA

E Trump ainda diz que "as guerras sem fim terminaram"?????


As informações acima foram coletadas no jornal Estadão de hoje. As informações sobre as bombas estão no bom artigo do especialista Roberto Godoy.

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Congresso da CUT elege direção

Vagner Freitas agora é Vice-Presidente

Sergio Nobre, ex-presidente dos metalúrgicos do ABC, é o novo presidente

Outra novidade que merece destaque foi a eleição de uma mulher, negra, trabalhadora rural e da Amazônia, como Secretária Geral. Carmen Foro, sindicalista do Pará, com longa experiência na CUT nacional e internacional, é a nova secretária geral.

Qual foi a melhor marca deixada nos dois mandatos do bancário Vagner Freitas?

Vagner, bancário do Bradesco, ex-presidente da Contraf-CUT, mostrou-se uma liderança bastante desenvolta, tendo a coragem de priorizar a luta contra o golpe de Estado em 2016. a campanha "Não vai ter golpe", mobilizou o Brasil e os amigos da CUT em todos os continentes,

De forma brilhante, Vagner Freitas ajudou na mobilização nacional pela eleição da primeira mulher para presidente do Brasil. O governo Dilma Roussef teve na CUT uma grande aliada para todos os momentos.

Realizado o golpe de Estado contra o governo Dilma-PT;

1 - Vagner continuou tendo destaque na defesa dos direitos da classe trabalhadora, na defesa da democracia e no Estado de Direito. O substituto ilegal e ilegítimo de Dilma Roussef, Michel Temer, que era vice-presidente, imediatamente prontificou-se a aliar-se aos patrões e aos governos estrangeiros, fazendo leis que prejudicavam os trabalhadores.

2 - Como parte da estratégia golpista, a direita intensificou o uso do poder judiciário, através da operação golpista Lava Jato, intensificou as prisões de petistas e o uso escandaloso do Judiciário. Prenderam até o maior líder nacional e melhor presidente que o Brasil já teve. Prenderam LULA! Mais uma vez a resistência da CUT foi marcante. Contando sempre com a liderança de Vagner Freitas.

3 - Os patrões, nacionais e internacionais, vendo que o PSDB não era capaz de impedir a vitória de um petista como Haddad, os golpistas ampliaram a frente conservadora e golpista para impedir a vitória da esquerda. A CUT, como sempre, esteve na frente das lutas. e a presença de Vagner Freitas estimulava a militância.

4 - Os golpistas elegeram o pior candidato que o Brasil poderia ter... Enganaram o povo, mentiram na Justiça, mentiram na imprensa e até nas Igrejas... O resultado é que todos perdemos, principalmente o Brasil como país soberano. Vagner Freitas esteve com Haddad e os militantes de todo o Brasil defendendo a classe trabalhadora. A CUT e os movimentos populares foram incansáveis...

5 - Com a posse dos golpistas, intensificaram a destruição do Brasil do Bem Estar Social e a intensificaram a destruição da CLT e tudo que ela representa para os trabalhadores brasileiros(as). Mais uma vez a CUT teve papel de destaque e Vagner Freitas esteve em Brasilia pressionando os parlamentares inimigos do povo.

6 - Poderia escrever páginas e páginas sobre fatos positivos de Vagner Freitas na presidência da CUT, como, por exemplo, seu papel determinante na eleição de João Felício, como presidente mundial da CSI - Central Sindical Internacional.

7 - Finalmente, Vagner Freitas, teve papel fundamental tanto na eleição de Sergio Nobre para novo presidente, como na eleição de Carmen Foro para secretária geral.

8 - Novos desafios esperam por Vagner Freitas, a começar pelas reorganização nacional e a preparação da participação do povo em geral nas eleições municipais do ano que vem.

Unidos somos muitos. Unidos somos CUT.

Boa sorte aos que ficam, aos que mudam de funções e aos que saíram.

sábado, 12 de outubro de 2019

Parem de matar os CURDOS

Os Turcos mataram milhões de Armênios e agora estão matando CURDOS...

Tudo isto com apoio ostensivo e militar dos Estados Unidos.

Se os turcos podem ser chamados de assassinos, os Estados Unidos também, ou até mais, por serem mandantes ou traidores dos curdos. E Putin está na moita!

O mundo vai voltando a ter guerras.

1 - a da Síria volta à cena;

2 - a Turquia está se aproveitando da Síria...

3 - O governo americano parece ter trocado a Turquia pelo EQUADOR.

4 - Até o Nobel da Paz vai para um ministro etíope que aceitou que a Eritreia tomasse toda a parte litorânea da ETIÓPIA. Uma país de mais de oito mil anos...

5 - e logo logo teremos as eleições argentinas, quando os neoliberais de Macri deverão perder as eleições. Será que haverá golpe de Estado também na Argentina? Em 1964 o Brasil saiu na frente e depois foram derrubando as principais governos da América Latina.

Que a Turquia e os Estados Unidos deixem livres e seguros todos os curdos do mundo.

Afinal, são mais de 30 milhões de curdos, distribuídos por dezenas de países...

terça-feira, 1 de outubro de 2019

A China faz 70 anos que surpreende o mundo

De um país invadido, ocupado e desacreditado à segunda potência mundial

A Inglaterra invadiu e ocupou a China,
O Japão invadiu e ocupou a China.
Os Estados Unidos, uniram-se à China,
e o mundo viu renascer uma grande nação.

A Folha, que gosta de chamar governantes de ditadores,
faz de conta que esquece que já apoiou vários golpes de Estado.
Inclusive chamando militares ditadores como Medici de presidente...
A Folha perdeu uma boa oportunidade de fazer uma boa análise
do significado do renascimento da China e seu
"modo de produção asiático".

Em 1945, como resultado da guerra dos Estados Unidos contra o Japão, ficou mais fácil de derrotar os japoneses no solo chinês. Enquanto os capitalistas, liderados pela Inglaterra e Estados Unidos, apoiaram os seus aliados, Mao Tsé-Tung junto com o povo chinês, botou para correr as tropas entreguistas e criaram a República Popular da China...

No mês de OUTUBRO, pela segunda vez, um grande país tenta implementar o comunismo. Os russos continuaram a sua tradição militar e os chineses, até como prevenção aos russos - que são vizinhos - os chineses fizeram um acordo secreto heterodoxo de se abrir as portas da China para produção intensiva com baixo custo, desde que, as empresas americanas repassassem tecnologias para as empresas chinesas.

Os chineses deram uma verdadeira aula de heterodoxia ao mundo, evitando que acontecesse na China o que aconteceu com Gorbachove no governo russo, quando a Russia quase desintegrou-se. Putin recuperou a unidade interna russa e sua capacidade bélica, enquanto que a China, em alguns aspectos, já passou até mesmo os Estados Unidos.

Hoje, dia 1o. de outubro de 2019, enquanto a Folha publica notícias confusas sobre a China, na capa do Estadão a manchete é:

"Indústria no Brasil cai 15% em 5 anos; no mundo, cresce 10%"


O Brasil pode deixar o grupo das 10 nações mais industrializadas... É mole?

Quem está destruindo o Brasil? Quem?

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Romano, Nelson Silva e tantos outros

Lembranças de aniversários e de "causos"

Hoje é aniversário de Romano. Pouca gente que não conviveu com ele no sindicato vai lembrar destes "causos", mas todos os dias nos lembram de casos engraçados que acontecem e que ficam nas lembranças dos militantes.

Pretendo um dia escrever um livro só com os causos e casos contados e ou vividos durante a experiência sindical.

Nelson Silva fez aniversário há uns dias atrás e comemoramos aqui na terra enquanto ele comemorou com Manolo e tantos outros... no Céu.

Manolo era muito amigo de Nelson Silva, como também de Nelson Canesin e de todos que gostavam de aventuras.

Por exemplo, quem não se lembra da frase: "Vou fazer a unha"? Por algo parecido, Luxemburgo, técnico de futebol quase pegou cadeia por assédio sexual... E esta outra frase: "Esta alma quer reza? Quando encontrava uma colega bem vestida...

Ah! Vão dizer que são frases machistas, homofóbicas, etc. Concordo que, para a atualidade "politicamente correta", passa uma ideia pesada e machista, mas que todos se divertiam, não tenham dúvida.

Já Romano, gostava de futebol, contar histórias do Jardim Brasil, falar de festas e de aventuras nas campanhas salariais e nas greves.

Confesso que não vejo a hora de começar a registrar "a vida folclórica da militância..."

Já que estamos retomando o militarismo bolsolnarista, vou lembrar dois casos engraçados:

1 - Em 1979 fizemos a assembleia para aprovar a greve no páteo do Colégio São Bento.

Por ironia a Câmara de Compensação de Cheques era no Banco do Brasil na rua Líbero Badaró, bem pertinho do Colégio São Bento. Já tínhamos aprovado a greve quando adentra o páteo do colégio um coronel 4x4 de tamanho e largura e disse a Gushiken que era para este orientar os bancários para não fazerem greve nem piquetes porque haveria muita repressão. Gushiken, embuído de espírito democrático, disse ao coronel guarda-roupa de que precisaria por em votação novamente porque precisava ser aprovado em assembléia. Imediatamente, o coronel guarda-roupa tomou o microfone da mão de Gushi e comunicou aos presentes que, quem fizesse piquete seria preso e apanharia... E, em apenas três dias de greve, a PM gastou mais da metade do estoque de bombas de gás.

2 - Com a greve em curso e a repressão comendo solta, presenciamos uma cena cinematográfica. Enquanto a tropa de choque corria atrás dos bancários e bancárias, impedindo-os de fazerem piquetes, vimos um bancário no quinto andar de um banco, segurando uma máquina de escrever para jogar sobre os militares repressores. Assustados com os ferimentos e suas consequências para a imagem da greve, todos gritaram para que os militares corressem para não serem atingidos por tão pesado objeto de ferro. Vendo a máquina de escrever em pedaços no chão em frente à porta do banco, os militares nos agradeceram por não terem sido atingidos. Nossa briga era por aumento de salários e contra os banqueiros, não queríamos ver sangue nas ruas...

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Fernanda Montenegro, outra vez...

90 anos de Fernanda Montenegro. Parabéns!

Os jornais folha e Estadão voltaram a destacar com grandes fotos e muitas histórias, o próximo aniversário de Fernanda Montenegro no dia 16. Além de ter 70 anos de teatro.

Continuo com as histórias e estórias de Fernanda mais tarde. Fui chamado para outra reunião...

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

BR Distribuidora sob direção privatizada

O passado dos conselheiros não identifica os novos donos

Quem são os novos donos da BR Distribuidora da Petrobras?

Por que a imprensa não divulga?
Ou, será que a imprensa não sabe quem são?

Na Folha de hoje não vi nada sobre o assunto.
Também não vi no Estadão.
O Valor, como sempre, saiu na frente e na capa, de forma fria.

Por que a CVM - Comissão de Valores Mobiliares aceita esta situação?

Vejam o título que saiu no segundo caderno, página B4.

"BR escolhe novo conselho com viés profissional."

André Ramalho do Rio de Janeiro.

"Os acionistas da BR Distribuidora aprovaram ontem, em assembleia geral, o novo conselho de administração, o primeiro colegiado eleito depois da privatização da companhia, em julho deste ano. Dona de participação de 37,5% na empresa, a Petrobras indicou um terço dos conselheiros e emplacou um deles - EDY KOGUT - como novo presidente do conselho da distribuidora."

Foram eleitos nove membros:

1 - Kogut, pela diretoria da Petrobras que privatizou a BR;
2 - Alexandre Carneiro - ex-presidente da SHELL Brasil;
3 - Maria Carolina Laceerda - ex-UBS e ex Merril Lynch...

Os demais conselheiros indicados pelos novos donos:

4 - Carlos Augusto Piani - iretor da Kraft Heinz;
5 - Claudio Ely - ex-Drogasil;
6 - Leonel }Dias de Andrade Neto -ex-presidente da Smiles;
7 - Mateus Affonso Bandeira - ex-presidente do Banrisul;
8 - Pedro Ripper - conselheiro do Iguatemi Shopping Center;
9 - Ricardo Carvalho Maia - ex-diretor da Ipiranga."


A novela continua...
Vamos ver quando a imprensa levará este assunto mais a sério.





quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Quem ganhou nas eleições de Israel?

Um país pequeno, em guerra e com 12 partidos políticos

Resultado:

Demora três dias para saber o resultado? Da próxima vez peguem emprestadas as urnas eletrônicas do Brasil. Aqui é vapt-vupt! O resultado sai no mesmo dia... Se é verdadeiro ou falso, eu não posso garantir, mas que o povo gosta da rapidez bem que gosta.

Parece que o resultado também terá nome de música:

"Se ficar o bicho pega, e se correr o bicho come"

Bem que a oposição poderia ganhar, mesmo que seja com a diferença de um deputado. o importante é tirar Bibi e eleger alguém menos arrogante.

O mundo precisa de Paz!

O Oriente Médio precisa de Paz!

O Brasil também precisa de Paz!

Shalom, Shalom, Shalom!

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Para que foi criado o Estado de Israel?

Eleições de hoje mexem com o mundo

Netanyahu sabe que sua presença perpétua está em posição delicada, seja pela perversa conjuntura ou por falta de tato. (GL-Estadão). Atualmente ele deve se aliar ao rabino Meir Kahane, que é RACISTA e XENÓFOBO, e ao Partido FUNDAMENTALISTA.

As religiões estão substituindo os partidos políticos que, por sua vez, são incapazes de administrar bem a economia e o social, aumentando o risco de confrontos verbais e armados, abrindo caminho para guerras intensas e restrições às liberdades e à democracia plural.

Ao ler o artigo abaixo, de autoria de David Halbfinger, do The New York Times, a gente vê como vai se formando um abismo entre a comunidade judaica que vive fora de Israel e a realidade interna em Israel.

Afinal, para que foi criado o Estado de Israel? Porque não pode haver um Estado de Israel e um Estado da Palestina? A ONU, que foi fundamental na criação de Israel ainda deve aos palestinos e aos cudos a criação de seus Estados.

Leiam este excelente artigo publicado no Estadão de hoje. Amanhã, vai ser outro dia... já cantava Chico Buarque. A Terra é nossa Pátria....

Eleição em Israel acirra debate sobre Estado secular


Discussão sobre papel dos religiosos ultraortodoxos na sociedade está por trás das forças que definem hoje o futuro de Netanyahu

David Halbfinger, The New York Times, O Estado de S.Paulo
17 de setembro de 2019 | 05h01

JERUSALÉM - Israel terá hoje sua segunda eleição no ano, depois que a coalizão vitoriosa na primeira votação, em abril, desmoronou em razão de divergências entre conservadores laicos e religiosos da coalizão do primeiro-ministro,Binyamin “Bibi” Netanyahu.

O que travou a formação de um governo em abril foi Avigdor Lieberman, do Yisrael Beitenu, partido secular e conservador. Há anos, o ressentimento vem se formando entre Liberman e os partidos religiosos da aliança de Bibi. Isso porque, em Israel, homens e mulheres são obrigados a prestar serviço militar, mas os ultraortodoxos estão isentos.

Ao contrário de outros israelenses, eles recebem subsídios para estudar a Torá e constituir grandes famílias. Em um país que se coloca como lar de todos os judeus, os rabinos ultraortodoxos têm o monopólio de eventos como casamento, divórcio e conversões religiosas.

Em um país cercado de problemas de segurança, a eleição, surpreendentemente, se centraliza na preocupação sobre o quão judeu deve ser o Estado de Israel. “Não tenho nada contra os ultraortodoxos”, disse Lior Amiel, de 49 anos, empresário que fazia compras em Ramat Hasharon. “Mas, no momento, estou financiando o estilo de vida deles.”

Essa eleição deveria ser simples, um rápido reexame para dar a Netanyahu a reeleição ou uma oportunidade aos seus oponentes de derrotá-lo. Em vez disto, tornou-se o queYohanan Plesner, presidente do Israel Democracy Institute, chama de “campanha crucial pela trajetória do país”.

A jogada de Lieberman pode ter sido uma estratégia para chamar atenção. Da noite para o dia, seu apoio duplicou e ele se tornou o herói dos liberais laicos. Segundo Jason Pearlman, analista conservador, nos últimos anos, os dois principais eixos da política israelense – religião e palestinos – convergiram.

A antiga coalizão de Netanyahu foi uma fusão da direita, que defende uma linha-dura com os palestinos, e ultraortodoxos, que prometem votar em bloco em troca de privilégios. “O que Lieberman fez foi quebrar o lacre, separando os dois eixos”, disse Pearlman.

Líderes liberais e seculares da esquerda e do centro responderam, apoiando Lieberman e afirmando que a população ultraortodoxa, com seus estudantes de religião desempregados e suas grandes famílias subsidiadas, estão impondo uma carga excessiva sobre o Estado.
Eles se dizem chocados com o fato de os partidos ultrarreligiosos negociarem a imunidade de Netanyahu, que estaria comprando sua liberdade em troca da permissão para que Israel se torne uma teocracia.

Os liberais e seculares estão furiosos com a crescente influência de um grupo quase evangélico de judeus que defendem uma visão antifeminista, antigay e uma ideologia messiânica de extrema direita. “Está cada vez mais alarmante” disse Nitzan Horowitz, líder do partido União Democrática, de esquerda. “As pessoas começam a se sentir ameaçadas.”

Os partidos religiosos insistem que estão defendendo o status quo que remonta à fundação de Israel e tem por fim preservar o estudo da Torá. Os ultraortodoxos representam apenas 10% dos eleitores – frente aos 44% seculares –, mas têm aumentado seus privilégios graças à habilidade de obter promessas em troca de apoio político. “Não estamos nos tornando uma minoria menor, mas sim uma minoria maior”, disse Yitzhak Zeev Pindrus, deputado do partido Judaísmo da Torá Unida.

Os religiosos rejeitam as críticas, taxando-as de antissemitas. “Estão fazendo uma campanha de ódio contra tudo que tem aroma judeu”, disse Eytan Fuld, porta-voz doYamina, partido conservador.
O equilíbrio entre Estado e religião está no centro da identidade de Israel. “Somos um Estado nacional judeu e isso é tudo?”, questiona Ariel Picard, estudioso do Shalom Hartman Institute, de Jerusalém.

“Ou somos um Estado democrático judeu com valores humanos?”

A pergunta tem consequências reais. Os ultrarreligiosos alertam que o país pode perder sua alma e não será mais socialmente aceitável ou economicamente viável viver como judeus tementes a Deus e seguindo os mandamentos da Torá. Seus oponentes dizem que o país está se tornando um lugar irreconhecível e inóspito.

Além da isenção de serviço militar, o debate traz à tona a suspensão de regras que proíbem ônibus, trens e lojas de operar aos sábados. Essas discussões, normalmente, envolvem apenas ultraortodoxos e seculares. Desta vez, porém, entrou no debate um outro grupo: judeus que usam o quipá, observam o shabat e são sionistas fervorosos que apoiam a anexação da Cisjordânia.

É a influência crescente de uma ala desse grupo, os religiosos haredis, que tem alarmado os israelenses seculares. A anexação da Cisjordânia eliminaria a solução de dois Estados e a construção de um Terceiro Templo no local do Domo da Rocha, lugar sagrado dos muçulmanos, pode desencadear uma guerra santa cataclísmica.

À medida que o poder de Netanyahu enfraquece, a extrema direita ganha influência, culminando na indicação de nomes para o gabinete, como Bezalel Smotrich, como ministro dos Transportes, e Rafi Peretz, ex-rabino como ministro da Educação.

Em entrevista recente, Peretz defendeu a “terapia de conversão” gay. Smotrich pediu a restauração do “sistema judiciário da Torá”, o que levou a acusações de que ele deseja criar um Estado religioso.
A apreensão aumenta, mesmo entre os eleitores judeus de direita que votam normalmente em Netanyahu. O debate sobre que valores judeus devem ter precedência está dividindo famílias e congregações.

Na sinagoga de Shtiblach, em Jerusalém, Harry Grynberg, de 62 anos, disse que votou no Likud, em abril, mas não votará desta vez – ele disse que apoia agora o partido Azul e Branco, do ex-general Benny Gantz, que prometeu unificar o país a partir do centro.

Netanyahu tem tentado mudar de assunto, trazendo à tona ameaças à segurança do país. “Para ele, essas questões são como uma bomba-relógio”, disse Plesner, do Israel Democracy Institute.

“Ele está em rota de colisão com seus próprios eleitores. A maioria do Likud é secular e não apoia os ultraortodoxos.” A oposição, porém, aprendeu a nunca dar Netanyahu como derrotado. Na última hora, ele sempre tira um curinga da manga.

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

São tantos aniversariantes... como Joel e Clemente

O mês de setembro é cheio de aniversariantes. Porque?

Porque há nove anos atrás era Natal e Ano Novo, quando os casais se amam e amam os parentes e amigos.

Entre tantos aniversariantes importantes, temos Augusto Campos, Nelson Silva, Silvia Portela, Aguinaldo e hoje, especialmente, temos os aniversários de JOEL BUENO e CLEMENTE DO DIEESE.

Como ando correndo muito, quero deixar um abraço especial para todos os aniversariantes do mês, incluindo Givaldo, meu irmão mais velho e Celeste, nossa irmã professora de ARTE e Artes.

Andei deixando de mandar mensagens para muitos bons aniversariantes, mas todos eles sabem que eu não os/as esqueço.

Esta semana que passou tivemos que ir à Curitiba acompanhar a liberação de João Vaccari, agora ele está em liberdade condicional em Curitiba. Aí fomos todos nós que recebemos um belíssimo presente.

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Pré guerra ou guerra declarada?

Sozinho, ninguém está protegido, nem garantido...

Ao pesquisar sobre quais países têm alguém lendo os textos que publico neste blog nos últimos dias, deparo-me com dois destaques:

1 - Mesmo sendo "carneirogilmar.com.br",
há sempre alguém no exterior lendo o que publico. Por exemplo: Estados Unidos; Rússia; Canadá; França; Emirados Árabes; Alemanha; Ucránia; Israel; Região Desconhecida; Hungria; Irlanda e China.

2 - Observem a ausência de países da África e da América Latina.
Por acaso estão estes países ausentes da pauta internacional ou é que são mais pobres que os demais???

Constatamos que a Ásia está disputando econômica e politicamente com a Europa e os Estados Unidos seu novo espaço no mercado internacional. Se somarmos os PIB's da China, do Japão e da Índia, e compararmos com a Europa e os Estados Unidos percebemos bem a diminuição da diferença;

Constatamos também que, quanto mais a tecnologia avança, menos competitivos os países da África e da América Latina ficam...

Como reverter esta tendência negativa?

Os países do BRICS, que, juntos, pretendem melhorar a capacidade de intervenção no cenário internacional, por um lado, sentem o impasse na economia da África do Sul, por outro lado, estão sentindo o retrocesso que está acontecendo com o
Brasil. Como evitar que estes tipos de retrocessos aconteçam? Como consolidar a participação popular na defesa de seus projetos? Acabou o sonho da "burguesia nacional"? Ou o correto seja criar uma grande classe média, ampliando sua formação escolar e competitividade produtiva, além de consolidar a participação na gestão da economia e das instituições públicas?

Todos seguimos algum caminho.


Em função de muitos negarem o clima pré-guerra,
milhões morreram na segunda guerra mundial.

Já passamos por 1929, 1933, parece que chegamos a 1936...
Começou na Espanha,
passou pela Itália e se espalhou pelo mundo.

E não foi por falta de avisos...

domingo, 8 de setembro de 2019

Democracia se aprende praticando

Quase 5000 municípios elegeram novas direções do PT

No mesmo dia, o jornal Folha de São Paulo pública um caderno com as mensagens do ministério público, da polícia federal e de juízes como Moro, tudo mostrando que a operação lava jato foi uma farsa montada para não deixar Lula ser eleito presidente.

Mesmo com toda baixaria, o PT ainda é o maior partido democrático e participativo do Brasil.

A militância e os Filiad foram às ruas comemorar a grande convenção nacional do PT.

A verdade pode demorar mas aparece.

Sem medo de ser feliz, Gleisi continuará nossa presidente nacional do partido. Lutando em defesa da liberdade de Lula e de todos os companheiros presos políticos.

terça-feira, 3 de setembro de 2019

E Felipão foi demitido do Palmeiras

O imediatismo do futebol brasileiro

Tudo na vida requer planejamento e boa gestão. Os times de futebol já deveriam ter sido transformados em empresas com responsabilidades sociais. Isto é, Empresas que têm como produtos o bom futebol de seus atletas, as boas marcas associadas à imagem dos clubes vitoriosos e de grandes torcidas.

O Brasil já teve o melhor futebol do mundo.

Mas,como não geria de forma planejada nem era bem administrado, foi sendo passado para trás em todos os continentes. Inclusive na Ásia.

Felipão foi demitido do Palmeiras.

O quê simboliza o Felipão?
O futebol de raça, de vontade e de um técnico forte.

Algo aconteceu no Palmeiras que levou os jogadores a não obedecerem mais o Felipão. A diretoria do clube ficou contraditória e a imprensa que via o Palmeiras campeão por antecipação, de repente, também passou a bater no Palmeiras e no Felipão.

Repetindo o que acontece em todos os clubes, e no próprio Brasil, o técnico foi demitido. Lá se foi, mais uma vez, o Felipão.

Só falta aproveitar a crise que vive a Argentina e contratar um bom técnico argentino para nosso decadente futebol. Como eles também são técnicos na Europa, por tabela,vamos aprendendo a ser globais.

Decifra-me ou de devoro. Já dizia a esfinge...