domingo, 16 de dezembro de 2018

Se eu pudesse ajudar as pessoas...

Uma vida dedicada ao social mas ainda acho que falta alguma coisa...

As pessoas me mandam Currículos pedindo emprego para amigos e parentes...

As pessoas me procuram pedindo "empréstimos" e sugestões de formas de ganhar dinheiro...

As pessoas me procuram porque foram demitidas...

As pessoas me procuram porque o pai e a mãe foram demitidos às vésperas do Natal...

As pessoas me procuram porque os salários vão ser pagos atrasados, somente depois do ano novo...

As pessoas me procuram porque estão sendo demitidas e quando procuram novos empregos só aparece pagando metade do salário e com poucos benefícios. Dizem que é a tal da terceirização... e precarização...

As pessoas me procuram porque eram ótimos alunos nas faculdades e se formaram e não conseguem emprego...

As pessoas me procuram porque tem alguém doente na família mas o convênio médico não cobre as despesas com exames e remédios, tudo muito caro...

As pessoas me procuram porque a mensalidade escolar subiu e o salário ficou lá atrás, dependendo de bolsas de estudos...

As pessoas me procuram porque se candidataram e ainda tem muita dívida de campanha para pagar...

As pessoas me procuram porque as igrejas se transformaram em partidos políticos cheios de siglas novas e estranhas...

As pessoas me procuram porque está chegando janeiro e os impostos como IPVA e IPTU vão matar a gente do coração...

As pessoas me procuram porque, antes mesmo de tomar posse, os políticos já estão mentindo como nos anos anteriores...

Eu, fico agoniado, fico preocupado tentando arranjar saídas e me sentindo culpado por não poder fazer muita coisa, mas, ao mesmo tempo fico pensando: - Quanto destes amigos deixaram de ouvir minhas sugestões? - Quantos destes amigos, mesmo concordando comigo, votaram na direita radical e que está promovendo o desemprego, o arrocho salarial, o fim da aposentadoria, o fim de tudo que está escrito acima...

Eu não quero responsabilizar os incautos. Mas não quero sofrer sozinho, sentindo-me incompetente. Acho importante o pensar pensar no Natal e no Ano Novo como momentos de mais solidariedade, mais escuta e mais atenção às pessoas. Sei que o calor está insuportável, o noticiário continua horrível, a cultura continua sendo nossa válvula de escape. Mas, compre um bom livro, dê um livro de presente, ou músicas de presente. Abrace as pessoas, sorria e pague um cafezinho.

Passados o Natal e o Ano Novo, a vida continua e desculpem a minha falha...

Nenhum comentário:

Postar um comentário