domingo, 23 de dezembro de 2018

Ainda o CENTENÁRIO do Mestre ANTONIO CANDIDO

Um ótimo presente: Um livro sobre o centenário de Antonio Candido

Depois de pegar o trânsito infernal da Marginal Pinheiro em frente à USP e ao Shopping Villa Lobos, cansado de tanto trânsito e tanta gente mal educada, voltamos para casa e, depois de reolhar os jornais, descobri que tinha o caderno Alias, Literatura do Estadão.

a grande manchete era: CENTENÁRIO DO MESTRE

Quem é o mestre?

Temos muitos mestres bons, vivos ou não. Mas, neste caso, o grande mestre é ANTONIO CANDIDO, que, juntamente com Fernanda Montenegro, representam a literatura e a atuação na televisão e no teatro.

O grande artigo de página inteira na capa do Aliás, é de autoria do professor da UFSCAR, Universidade Federal de São Carlos,WILSON ALVES BEZERRA.

Prestem atenção na escrita do professor Wilson:

" Ao longo dos anos 1940, quando Candido já era critico literário e resenhava livros como, por exemplo, o PRIMEIRO DE CONTOS DE UM CERTO GUIMARÃES ROSA, Sagarana, a respeito do qual percebeu, , ""não é um livro regional como os outros(...)", observou que:

- Mario de Andrade, se vivo fosse, leria,comovido, este resultado esplêndido de libertação linguistica, para que ele contribuiu com a libertinagem heroica da sua. Quando concluiu:

- Guimarães Rosa vai reto para a linha dos nossos grandes escritores. No ano seguinte, 1947, Candido recebia das mãos de Graciliano Ramos a reedição de seu CAETÉS (1933), autografada com a seguinte dedicatória:

- A culpa não é apenas minha, é também sua. Se não existisse aquele seu rodapé, talvez não se reeditasse isso.

Antonio Candido 100 anos, é um livro imperdivel, como tantos outros livros universais. E custa apenas 82,00 reais.

Como gosta de dizer Zuza Homem de Mello: É algo simplesmente divino!

Dê livros de presente, Além de Deus recompensá-lo, você vai gostar muito da leitura e terá um lindo Natal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário