sábado, 17 de novembro de 2018

Medicina não é coisa do satanás...

O Brasil ficou sem o programa "Mais Médicos"

E os pobres sem assistência médica.

Governar um país de mais de 200 milhões de habitantes não pode ser aventura de provocador ou de quem acha que "basta mandar o pastor botar a mão na cabeça que cura"... Requer conhecimento técnico, prático e teórico, além de equipamentos apropriados e saneamento básico.

Com o retorno dos médicos cubanos em função da falta de respeito por parte do candidato e presidente eleito, é a segunda grande situação vexatória que o Brasil passa internacionalmente.

Tanto os prefeitos, como os governadores e os presidentes têm deixado a saúde pública para segundo plano e priorizado parcerias com as organizações privadas. Com isto, quanto mais gente tiver demanda de saúde, mais precário passará a ser o atendimento.

O Brasil precisa combinar a qualificação de seus profissionais com bons salários e também com compromisso de atendimento de qualidade e acompanhamento médico nos bairros e nas moradias.

Os Brasileiros precisam botar o Brasil em primeiro lugar, atendendo a todos seus habitantes em todas as áreas.

Rezar é importante, mas estudar, praticar, integrar-se e atuar solidariamente é imprescindível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário