segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Brasil 2016 - É possível esquecer e começar outra etapa?

Como não ganhavam nas regras vigentes, deram o golpe em 2016

Assumiram o controle de tudo,

aparentemente preservaram apenas as Forças Armadas,
o Judiciário e a Imprensa fizeram o serviço sujo...

Assim chegamos em 2018 com uma eleição duvidosa.


E os "vencedores" agora falam em "virar a página" e começar nova etapa, com novas regras, onde fica bem mais difícil de eleger uma coligação comprometida com os mais pobres, as políticas públicas, governar para todos e todas brasileiros e brasileiras... Sem medo de ser feliz.

Vejam as DEZ REGRAS DE OURO
que os empresários brasileiros declaravam - antes do golpe de 2016 e das eleições de outubro de 2018, quando deixaram tudo de lado. Analisem se há coerência. Mesmo assim, estamos abertos para negociar respeitando as diversidades e os direitos coletivos.

Eu prefiro OS DEZ MANDAMENTOS DEMOCRÁTICOS. O culto ao OURO não pode sobrepor-se ao culto a DEUS.

1 - Dividir é ganhar - quem aceita diluir sua participação acionária para atrair novos sócios sai lucrando. é melhor ter menos de muito do que muito de menos.

2 - O cliente é igual a você - o dinheiro dos investidores tem o mesmo tratamento do dinheiro dos donos. Isso se chama "alinhamento de interesses".

3 - Todos são iguais - numa empresa, qualquer um pode ser dono. E quem não tem essa mentalidade, trabalha no lugar errado.

4 - Uma empresa fala pelos sinais - o chefe não deve ter privilégios nem nada que ostente seu poder. Uma sala suntuosa é um mau sinal.

5 - Contrate sempre alguém melhor - não tenha medo dos subordinados. Se eles forem mais competentes do que você, sua vida será mais fácil.

6 - Não existe zona de conforto - a cada ano, novos sócios entrarão e alguns sairão. A competição é saudável, desde que haja FAIR PLAY (JOGO LEAL QUE SE RESPEITA AS REGRAS).

7 - Reconheça seus erros - ninguém é infalível. E os equívocos devem ser compartilhados para que não se repitam.

8 - Lidere pelo exemplo - quem está no topo também deve gastar sola de sapato. A dedicação e o trabalho inspiram os subordinados.

9 - O CEO é um vendedor - ninguém "vende" melhor seu serviço ou seu produto do que o próprio presidente da companhia.

10 - Não existe um teto - não há limites para uma organização que esteja sempre pronta para se renovar e oxigenar seu capital humano.

"Queremos que o Brasil seja um país, de todos, com todos e para todos, com democracia, liberdade, respeito às regras e às leis legítimas, economia de mercado, políticas públicas, principalmente saúde, educação e segurança. Assim seremos um país competitivo no mercado internacional e respeitado como NAÇÃO SOBERANA." - Esta é a missão dos cidadãos brasileiros e brasileiras.

Publicação muito próxima do texto acima saiu na Revista Dinheiro, em 15 de Dezembro de 2010. Época em que a "serpente ainda não tinha saído do ovo" e o Brasil gozava de ótima imagem internacional.

Agora vivemos a consolidação do golpe de 2016, como aconteceu no Egito e em outros países. O neoliberalismo tenta consolidar-se como governo sem democracia plena, apenas como um arrazoado de discursos inconsistentes e cheios de falar e negar o falado, valendo mais a intimidação do que a participação.

Concordo que devemos tentar "virar a página", desde que, não neguemos nosso passado, com nossos erros e acertos, além de construir um novo código de relacionamento e governabilidade que haja mecanismos efetivos de respeito às regras acordadas e assinadas. Por isto que nós falávamos em Constituinte. Por ser mais legítimo. Libertar os presos políticos e condenados processos forjados partidariamente também faz parte da pacificação...

Sem medo de ser feliz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário