quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Impossível ganhar no primeiro turno

Crescer 12 pontos até domingo, só com fraude

Uma eleição mais emocional do que racional. É o quê estamos constatando...

O que faz mulheres, negros, judeus e gays votarem em Bolsonaro?


Isto lembra muito as eleições alemã quando Hitler foi eleito pelo povo.
Economia descontrolada, violência crescente e esgarçamento dos tecidos sociais, além da fragilidade das instituições.
Na ansiedade de resolver suas angústias, o povo alemão legitimou a maior tragédia da história da humanidade, o nazismo.


De repente, um louco agressivo, sem limites
e preconceituoso pode ser eleito presidente do Brasil.


E tem gente que acha que pode ser no primeiro turno!

Acontece que, crescer 12 pontos até domingo, só com fraude.


Tudo é possível no Brasil atual, como na Alemanha de Hitler...


Ibope acha muito difícil ganhar no primeiro turno.


A diretora executiva do Ibope, Marica Cavallari, que tem sido uma das pessoas mais sensatas e transparente neste processo eleitoral, declarou ao jornal Estadão de hoje:

"Bolsonaro tem 38% de votos válidos, segundo nossa pesquisa mais recente. Ele teria de crescer 12 pontos até o dia da eleição (domingo), já que precisaria de 50% mais um.

E NÃO ESTAMOS VENDO MOVIMENTAÇÃO DE PERDA DE VOTOS DOS DEMAIS CANDIDATOS,
pelo menos até a pesquisa de segunda-feira.

Se outros estivessem em curva descendente, o Ciro, o Alckmin, o Haddad... Mas não é o que vemos."


Ante o aparecimento de pesquisas, como do BTGPactual, que apresentava Alckmin na frente de Ciro, o que o Ibope, nem a Folha reconheceram nas suas pesquisas recentes, além de algumas pesquisas mostrarem o candidato conservador crescendo e Haddad, ou parando ou diminuindo um ponto, resolvi pedir um estudo ao Dieese sobre a possibilidade de a direita.. ganhar no primeiro turno.

Pelas contas do Dieese, Bolsonaro teria que crescer 12 pontos até domingo.
O mesmo número apresentado pela diretora do Ibope. Reforçando nossa avaliação de que vencer no primeiro turno, só com fraude...

E pode haver fraude? No Brasil atual, tudo é possível...

O curioso, ao ler as notícias, é que o jornal Folha não aborda a questão de se ganhar no primeiro turno. Notícias sobre o assunto, só na coluna de Monica Bergamo, abordando reações de petistas sobre o assunto. São informações em "off", sem identificação dos autores.

Talvez a Folha esteja com síndrome da imprensa americana,
que fez campanha contra Trump, o louco de lá, e foi criticada por Hillary ter perdido as eleições para um louco. Ou, ante a derrota de Alckmin, prefira o capitão...

Não vivemos momentos de omissões.

Todos são chamados à responsabilidade. Democracia ou ditadura. Liberdade de imprensa ou imprensa manipulada e censurada. Crescimento econômico com soberania nacional ou desemprego e servidão aos estrangeiros.

Não precisamos de um louco governando aqui.

Precisamos de gente qualificada, sensata e que traga paz, crescimento econômico, emprego e solidariedade. Que governe para todos, com todos. Sem medo de ser feliz. Eu, com todos os problemas, prefiro ver o Brasil governado por Haddad e o povo brasileiro. Recuperando nossa autoestima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário