quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Haddad trará mais paz do que guerra

O discurso odiento aumentará a violência

Nestas eleições a mentira tem sido o principal instrumento de campanha.

Espalhar mensagens mentirosas que estimulam a violência é correto? Não, não é correto, não é educativo e estimula violência.

Infelizmente, a regra tem sido o apelo a mentiras. Os candidatos mentem, os partidos mentem,a imprensa mente, os religiosos mentem, os juízes e procuradores mentem, as pessoas também mentem.

Será que vale a pena ganhar mentindo?


Tanto na democracia,como na guerra, a mentira sem sustentabilidade econômica e social, perde valor e se transforma em objeto de rejeição a quem mentiu.

O Ibope divulgado ontem à noite reconheceu que haverá segundo turno entre Haddad e Bolsonaro. A Folha deve apresentar nova pesquisa hoje à noite onde aparecerá a confirmação do Ibope.

A partir de domingo, os debates serão diferentes. Os 147 milhões de brasileiros e brasileiras terão que se posicionar, entre três alternativas:


1 - Votar em quem tem um perfil mais pacificador,
educado, respeitoso, honesto, professor da USP, tem a esposa também professora da USP, gosta de ajudar quem precisa, principalmente ajudar a melhorar a qualidade de vida dos pobres e excluídos, foi escolhido por Lula para substituí-lo exatamente pelo seu perfil pacificador. Este é Haddad.

2 - Votar em quem tem perfil agressivo, grosseiro,
ameaçador, sonegador, casamentos instáveis, gosta de agradar os patrões e ameaça acabar com os direitos dos trabalhadores, acabar com as escolas públicas, acabar com a saúde pública, e foi escolhido pelos religiosos conservadores como forma de combater os adversários. Este é o capitão Bolsonaro.

3 - A terceira opção
será não votar em ninguém e deixar "o circo pegar fogo". Esta opção aparentemente "não comprometedora" pode significar deixar qualquer um governar o Brasil durante quatro anos e corrermos o risco de viver um período repetindo o governo Temer, uma das maiores tragédias nacionais da nossa história. O Brasil não merece isto.

Democracia como prática da liberdade e do respeito.


A Democracia é o sistema de governo mais participativo que existe e tem como uma das principais missões evitar guerras desnecessárias e governos instáveis. Infelizmente houve o golpe de Estado contra Dilma. Isto piorou tudo e fragilizou a democracia. Se não tivesse acontecido o golpe, o Brasil estaria passando por eleições mais tranquilas, onde o debate seria a economia, o emprego, as políticas pública e a soberania nacional.

Democracia é como casamento, criar filhos e trabalhar juntos, só se aprende praticando...


Vamos aprender a conviver democraticamente?


Nenhum comentário:

Postar um comentário