segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Eleições com fraudes? É possível.

Quando o povo não confia nos governantes

Uma grande diferença entre LEGALIDADE e LEGITIMIDADE
, é quando o que está escrito na lei não é respeitado nem pelos representantes do Estado, como juízes, procuradores, militares, auditores, enfim, pelo funcionalismo concursado ou nomeado para funções que tem como pré requisito principal a neutralidade perante as pessoas e às instituições públicas e privadas.

Numa sociedade efetivamente democrática, o Estado tem de ser neutro, ágil e competente.


Quem precisa ter PROGRAMA e posição partidária são os partidos políticos
e os governantes eleitos defendendo um PROGRAMA DE GOVERNO e com seus compromissos tornados públicos para serem cobrados quando começar a governar.

Dito isto, vamos ver algumas contradições graves que estão acontecendo nestas eleições, a partir de notas publicadas no Painel da Folha:

1 - Há grande preocupação na campanha de Alckmin
. Nas pesquisas, em vez do candidato subir, está caindo. Ou muda o quadro nesta semana ou "a cobra vai fumar"...

Resp.;
Como a Folha e a Globo apoiam sempre o PSDB, podem verificar que haverá maior noticiário positivo sobre os candidatos do PSDB como última tentativa de salvar Alckmin. O PSDB cometeu três grandes erros: 1 - foi fundamental no golpe de Estado que derrubou o governo Dilma; 2 - mandou Temer aplicar o receituário neoliberal de forma radical, como garantia de transferência dos poderes do Estado para as multinacionais; 3 - subestimou, mais uma vez, a capacidade de resistência e liderança de LULA. O Brasil merece que prestigiemos uma liderança como Lula, em vez de prendê-lo. Precisamos aprender a conviver com as diferenças.


2 - Ministros do TSE consideraram a fala de Bolsonaro nas redes sociais um DESSERVIÇO
. O candidato estimula as pessoas a desconfiarem do sistema de VOTAÇÃO...

Resp.:
Ninguém gosta de dar "carta branca" a desconhecidos. O sistema de votação brasileiro não é copiado por nenhum país rico e desenvolvido por não acharem seguro. É fato. É um sistema tão secreto que você vota mas não tem como provar que seu voto chegou no seu candidato. É um ato de fé! O sistema de eleição da Venezuela é mais seguro e tem provado isto.

Outro fator de desconfiança
é que os juízes que compõem o TSE têm votado partidariamente, isto é, deixando a neutralidade e a isonomia de lados e votando contra Lula. Isto também é fato já reconhecimento pelo povo brasileiro e as lideranças internacionais. Ao tomar partido,os juízes perderam a autoridade e a confiança do povo. Se o sistema de eleição é um ATO DE FÉ, se perdemos a confiança nos juízes, perdemos a fé no sistema de votação.


3 - Eleitores do capitão foram às redes AFIRMAR que
URNAS ELETRÔNICAS NÃO SÃO AUDITÁVEIS E QUE O SISTEMA É FRÁGIL.

Resp.:
Não são somente os eleitores do capitão que acham o sistema frágil. É o mundo inteiro...


4 - O TSE também fez uma série de testes públicos de segurança das urnas
, com ESPECIALISTAS E PERITOS DA POLICIA FEDERAL, para garantir a inviolabilidade dos votos.

Resp.:
Nunca ouvi falar nestes "testes públicos" e, da mesma forma que os juízes tomaram partido e passaram a decidir partidariamente, é público e notório que a Polícia Federal virou um aparelho do pessoal da "lava jato", que é sabidamente uma operação tucana contra o PT.

Quanto a inviolabilidade dos votos, o problema é exatamente este, o sistema de conferência é um ato de fé. Ou o povo mente para todo mundo, ou o sistema é passível de redirecionamento de votos.

Até a última eleição, tudo indica que o PSDB se beneficiou do sistema atual
. O capitão tem motivos para desconfiar. O programado pelas forças ocultas era que a disputa deveria ficar entre PT e PSDB. Mas as pesquisas estão sinalizando que a disputa está sendo e será entre o capitão e o PT de Haddad. O que mostra que nem sempre o que planejamos é o que o povo concorda...

Na dúvida, vamos trabalhar muito, arranjar formas de conferência e de honestidade e vamos votar com o coração e a mente. Vamos votar no 13, de ponta a ponta.

Democracia se aprende praticando, precisa ter paciência e perseverança.

Na democracia a imprensa pode ter posição partidária, mas NÃO pode negar que a tenha. Tem que assumir.
Na Democracia os juízes e militares precisam se licenciar da função quando querem tomar partido pró este ou aquele partido político.

Nenhum comentário:

Postar um comentário