quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Eleições com cartas marcadas

O vale tudo contra Lula

Os conservadores, neoliberais, golpistas, fascistas e todos os adjetivos que estamos acostumados a ver nos filmes e ler nos livros estão aparecendo nestas eleições.

A imagem tão divulgada do "brasileiro cordial" já não se sustenta mais. A redemocratização do Brasil levou à explicitação das contradições e dos conflitos naturais em países democráticos que respeitam a pluralidade e a diversidade.

Não queremos mais democracia consentida,
queremos sim democracia conquistada, para todos, com todos e com liberdade assegurada por pactos sociais legítimos.

Tentei por diversas vezes ler a reportagem tanto no Estadão como na Folha sobre as pesquisas desta semana e fico horrorizado com a manipulação dos fatos. Para entender melhor a situação, é só pegar os mesmos fatos apresentados e imaginar se, em vez de Lula e o PT, os acusados fossem a Folha, a Globo, os juízes e procuradores inescrupulosos que mentem com a maior seriedade possível, deixando as risadas para quando as câmaras não tiverem acesso às imagens,

A ideia de liberdade, de democracia, de respeito às diferenças, de igualdade e fraternidade, tudo isto desaparece com uma simples leitura, escuta ou olhar nos jornais, rádios e TVs. A direita não aceita o jogo democrático. O fair play de classe.

Se analisarmos historicamente, a única tentativa de se governar com um partido socialista eleito democraticamente na América Latina foi no Chile de Allende e esta experiência democrática foi violentamente reprimida, tornando-se a pior ditadura militar das Américas.

O PT não chega a ser um partido socialista orgânico, está mais para uma frente ampla de sociais democratas, socialistas, cristãos, sindicalistas e movimentos sociais.

Mesmo sendo um partido de conciliação de classe o PT e sua principal liderança não estão sendo tolerados pelos representantes da direita golpista, nem no aparelho do Estado, nem nas instituições patronais e suas empresas.

As ordens já foram dadas pelos conservadores:


"Lula não pode ser candidato, nem eleito"

"Lula plantou a semente da inclusão social, da distribuição de renda, do acesso à saúde e educação, do acesso à moradia, luz elétrica, tanquinho e até pobre andar de avião e amplos setores viajarem para o exterior".

Para a direita controlada pelos Estados Unidos, Lula querer coordenar a negociação do acordo nuclear entre Irã e Estados Unidos foi visto como uma afronta.

A direita brasileira sempre considerou Lula "um brasileiro cordial" e, talvez, Lula tenha sido, mas, ao ter contato direto com o povo brasileiro e ter acesso a tantos países, o verdadeiro brasileiro que é Lula apareceu, trazendo a esperança e as realizações para todo o povo deste país.

Lula, de um brasileiro cordial, passou a ser "UM CABRA MARCADO PARA MORRER.

Mas, Lula JÁ NÃO MORRE MAIS.


E o povo vai votar 13 no dia das eleições. 13, de ponta a ponta...

Nenhum comentário:

Postar um comentário