quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Brasil a caminho da guerra ou da paz?

Votar na Democracia ou na ditadura?

A história da humanidade é também uma história de guerras intercaladas com períodos de paz.

O Brasil sempre foi dominado à mão de ferro pelos colonizadores portugueses, brancos e católicos. Com medo de os ex-escravos virarem maioria da população, os governantes do passado patrocinaram imigrações de asiáticos e europeus como forma de garantir a hegemonia branca. Até queimaram os documentos sobre a escravidão, na tentativa de apagar a história.

Passou o tempo e o Brasil de hoje tem a maioria de negros e pardos, passando de 50% da população.

Os negros são maioria tanto na população como entre os pobres,
onde são ampla maioria. A exclusão social é uma forma de mantê-los fracos e excluídos...

No período do governo petista, milhões de pobres e negros tiveram acesso à universidade, ao carro próprio, à casa própria, à luz para todos e a uma renda melhor. Passaram a viver com dignidade e respeito.

Lula sempre valorizou a democracia e a participação do povo nas instâncias dos governos. Lula sempre defendeu e praticou a democracia participativa.

Lula enfrentou a crise financeira internacional de 2008, chamando-a de marolinha e gerando mais consumo e mais empregos.

Lula, além de competente como governante, sempre foi uma pessoa de diálogo e de valorização das diferenças como prática de se fazer o melhor.

Lula sempre colocou o Brasil em primeiro lugar.


Estas habilidades de Lula não estavam presentes em sua sucessora. A crise econômica e financeira de 2014, combinada com certas dificuldades de comportamento de sua sucessora facilitaram a ação dos golpistas, dos entreguistas das riquezas do Brasil e principalmente a ação dos neoliberais, todos eles liderados pela grande imprensa, como a Folha e a Rede Globo.

O PT e a esquerda não estavam preparados para enfrentar mais um golpe de Estado. Fosse ele civil ou militar.


O golpe veio e, depois que tomaram o poder, praticaram a "terra arrasada", destruindo as políticas públicas, cancelando os repasses para as universidades, os hospitais e os museus, entre outras coisas.

Para continuarem no poder, por pressão internacional, os golpistas precisam fazer eleições gerais. E o povo está demonstrando que não vai votar nos golpistas destruidores do bem estar social. Os golpistas, em pânico, resolveram investir num militar maluco que quer imitar o Trump, presidente dos Estados Unidos.

Nestas eleições, o Brasil precisa decidir:


1 -Se vota pela paz, pelo crescimento econômico com inclusão social e distribuição de renda, com liberdade plena e com governos participativos, ou

2 - se vota pela guerra, com mais desemprego, mais violência, mais falências e concordatas e mais entrega de nossas riquezas e de nossa soberania.

Ainda há a terceira opção:


Os golpistas dão mais um golpe e suspendem as eleições. Afinal, a principal característica dos golpistas é que eles não sabem perder. Não têm fair-play.

O Brasil vive mais uma encruzilhada histórica: A PAZ COM FARTURA OU A GUERRA COM POBREZA?

Eu vou votar na Democracia, vou votar no Lula. Vou votar 13 de ponta a ponta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário