domingo, 16 de setembro de 2018

As flores, as eleições e as guerras

Amanhã as eleições entram em nova fase

Haverá muita sujeira, mentiras, invasões de arquivos e até violência direta e/ou indireta.

Ao mesmo tempo, o chão de São Paulo está ficando forrado de flores amarelas que caem dos pés floridos de Ipê.

Outras flores estão nascendo em abundância.

Se há tantas flores, porque também há tanta violência???


1 - Reflexo da violência estimulada
pela imprensa e por parte do judiciário;

2 - Incapacidade de os governos conter à violência
desde assaltos, furtos, assassinatos e execuções encomendadas e sem solução por parte dos governantes. Sem contar a leniência, a cumplicidade e a corrupção.

3 - A sociedade civil está ficando refém da "lei de levar vantagem em tudo", sem escrúpulo e sem transparência.

4 - As instituições não estão se mobilizando
o suficiente para enfrentar o caos, o desemprego, a violência, a pobreza programada pelo governo Temer e seus economistas neoliberais.

5 - As religiões que deveriam estar praticando os Evangelhos e a Solidariedade
, lançam candidatos para conquistar mais poder de televisão, de rádio e de coleta de dinheiro dos pobres, sem tributação e sem controle.

6 - Tanto as mulheres, como o movimento sindical
estão tendo seus sites na internet invadidos por hackers que orientam tudo para o site de Bolsonaro. Esta direita hostil e violenta, além de agredir verbalmente as mulheres, os negros e os gays, cometem violência grave quando haqueiam os computadores dos outros. Isto é prática de fascistas de ontem e de hoje.

Será que em nome de se combater as conquistas sociais, os empregos e a melhoria de qualidade de vida para os pobres, a classe média, os empresários, os religiosos, o judiciário, a OAB e tantas outras instituições vão deixar o fascismo virar governo como fizeram na Itália de Mussollini e na Alemanha de Hitler????

A hora é mais de se falar de flores do que de guerras...


Eleições pressupõem o direito de falar e ser ouvido para todos e por todos.


Tecnologia deve ser para servir à sociedade e ao povo com igualdade de benefícios.


No Brasil, o voto é tão secreto que não existe forma de verificação
se seu voto ficou naquela urna e se foi para seu candidato. Antes do voto eletrônico era mais fácil de roubar em eleições, agora exige-se mais controle à tecnologia e ao fluxo da apuração...

Os representantes do Estado não podem partidarizar as instituições
dos governos à serviço do PSDB e contra o PT. Até porque quem paga os salários e as mordomias é o imposto que o povo paga.

Eleições pressupõe também a garantia de que seu voto não vai ser "redirecionado"
. Isto é, você não pode votar em "a" e o vote ir para "b", por efeito de "redirecionamento dos votos". Se os hackers estão conseguindo redirecionar os sites das mulheres, dos sindicatos e de tantas outras instituições, o mesmo pode acontecer com os votos dos brasileiros e brasileiros.

O povo e seus representantes precisam ficar atentos a partir desta segunda-feira.


Amanhã é o tal dia 17 de setembro
, quando deveria ser julgado o recurso de Lula, cobrando o direito de ser candidato. Os juizes decidiram politicamente, e não juridicamente. Usaram uma leitura partidarizada da lei atual, violentando a vontade do povo, que é soberana.

Todos precisamos "Orar e Vigiar" para garantir que a vontade do povo seja respeitada.

Somos 147 milhões de eleitores e não podemos ser controlados e contrariados por dez ou vinte juízes partidarizados e sem neutralidade.

Sem medo de ser feliz, vamos votar todos no 13. Vamos garantir a Democracia e o respeito aos pobres e à classe média. Unidos com Lula, Haddad, Manuela e os milhões de brasileiros e brasileiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário