segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Promiscuidade desacredita as pessoas e as instituições

O Brasil em decomposição...

Chico Buarque cantava durante a ditadura militar:

"Chame o ladrão, chame o ladrão!"


Os militares se foram e os civis rapidamente aprenderam a locupletarem-se nos cargos de prefeitos, governadores e presidente da República. O mesmo acontecendo com as polícias, civis e militares, com a Polícia Federal e com o Judiciário...

Agora, a promiscuidade é tão grande que o profissional ou "servidor público", faz o quê bem quer e entende, abusando das flexibilidades jurídicas que os juízes cometem e da mesma forma fazem os desembarcadores.

Com toda certeza, os militares da época da ditadura militar eram mais discretos do que os novos ditadores, em sua ampla maioria civis.

O estranho é que a imprensa que se dizia censurada e violentada pelos ditadores, hoje é a mesma imprensa que, além de acobertar a promiscuidade, usa sua força herdada da ditadura militar para destruir a imagem de pessoas e ou instituições.

Não é por acaso que Bolsonaro está engolindo Alckmin.

Este só passará aquele se fizer como a corrida de bigas na época do império romano.

Fraudar interpretações jurídicas e obrigar subalternos a mudar orientações superiores é o mesmo que roubar, mentir e promiscuir-se. Aceitando, portanto, a imagem passada por Chico Buarque em sua música pitoresca: "Chame o ladrão, chame o ladrão".

Para não dizer que não houve nada de novo no fim de semana,
além do dia dos pais, houve a vitória do Palmeiras, liderado pelo técnico Felipão.

E Lula continua na frente dos concorrentes,
apesar de toda baixaria da imprensa e de seus aliados no judiciário e na PF.

Lula vai eleger-se presidente da república, vai eleger uma grande bancada de deputados, senadores, governadores e vai ajudar o Brasil a recuperar sua imagem internacional, voltar a melhorar os salários e os empregos de todos os brasileiros e brasileiras.

O povo merece respeito!


Eleições sem Lula é fraude!

Nenhum comentário:

Postar um comentário