sábado, 18 de agosto de 2018

O Brasil refém do judiciário.

Poderes desmoralizados...

A função de JUIZ deveria fazer da pessoa que exerce esta atribuição, uma autoridade, uma pessoa sensata que não ande bêbado por aí ou que não dê entrevistas falando bobagens. Eu disse DEVERIA, porque atualmente, não é isto que acontece. Qualquer juiz, independente da idade, do sexo, da religião ou da etnia, passou a sentir-se no direito de fazer o que quiser, a falar o que quiser e, o que é pior, interpretar a lei como quiser.

Vejam alguns exemplos somente na Folha e no Estadão de hoje:

Na Folha:


1 - A tendência do STF, segundo quatro ministros consultados pelo Painel da Folha, é ignorar o documento da Comissão de Direitos Humanos da ONU que determina a manutenção da candidatura de Lula.

2 - Os juízes dizem que não há efeito vinculante.

3 - Dizem ainda que "a força da declaração do Comitê de ]direitos Humanos da ONU junto ao Judiciário brasileiro é a mesma de uma ATA DE REUNIÃO DE CONDOMÍNIO.


Agora no Estadão:


4 - Barroso já tem sete ações contra Lula.

5 - Para Câmara, despesa alta veda reajuste para o STF.

6 -Procuradora geral da República, Raquel Dodge pediu que o ex-ministro José Dirceu retorne à prisão.

7 - O ministro do STF, Luiz Fux, deve liberar ações sobre auxílio-moradia em breve.


Estas pessoas, que não foram eleitas pelo povo, decidem o que quiserem e o povo brasileiro - 210 milhões de pessoas - pagam as contas e estão sendo obrigados a se submeterem. Nem a ditadura militar foi tão invasiva e repressora. Depois reclamam quando a Comissão de Direitos Humanos da ONU decide contra o governo ilegítimo e o judiciário abusivo...

Onde iremos parar???:

Nenhum comentário:

Postar um comentário