sábado, 21 de julho de 2018

Confusão nas Convenções Partidárias

Golpistas não se entendem sobre eleições

Como os golpistas estimularam a direita política a sair do armário e assumir-se enquanto tal, como esta é a primeira eleição presidencial depois do golpe de Estado e da implantação da ditadura civil, a direita ainda não construiu sua hegemonia partidária "eleita pelo povo", isto é, legitimada pelo povo.

Os golpistas e mercenários atuais justificam suas posições contrárias a quando foram eleitos fazendo parte da coligação da candidatura de Dilma Rousseff, dizendo que tiveram que mudar de posição em função dos erros de Dilma após ser eleita.

O argumento para justificar-se é bom, mas não corresponde a verdade.
O desejo de trair foi mais forte do que os fatos que serviram como argumento.

O Brasil continua com 35 partidos políticos, sendo alguns deles claramente controlados pelas igrejas pentecostais e outros são apenas legendas de alugeis ou alugueres. Os golpistas desqualificaram a política e a democracia no Brasil.

Estamos parecendo a Espanha do fascista Franco e seus aliados.

Um governo entreguista e corrompido;


Um Congresso Nacional
que parece um mercado de peixe, onde tudo custa alguma coisa;

Um Judiciário inescrupuloso
, partidarizado, protetor e a serviço do PSDB, e peça chave na golpe de Estado e na manipulação das eleições deste ano;

Uma imprensa que lidera o golpe de Estado
mas não consegue impor uma linha de centro-direita partidária que justifique que não é mercenária, como são os partidos políticos que sustentam o governo golpista. No Centrão é sinônimo de fisiológico em vez de centro político.

Um empresariado acovardado e servil
, incapaz de autoproteger-se e tendo de recorrer a seus algozes como forma de ver o Congresso Nacional aprovar leis que possibilitem lucros fáceis, transferências de remessas ao exterior e forte concentração de renda, meso que promova desemprego, arrocho salarial e rebeliões populares...

Já os porta-vozes dos trabalhadores ou da esquerda,
pagam por ter feito alianças "vale tudo para ter maioria", e não ter organizado o povo para consolidar suas conquistas. O golpe de Estado foi legalizado por partidos que faziam parte da grande coligação eleitoral liderada pelo PT. Esta grande aliança incluía o fisiolismo dos partidos evangélicos e a aliança com Paulo Maluf.

Da mesma forma que, depois de 500 anos de Brasil
, tivemos a fundação da primeira central sindical em 1983, ainda depois de 500, graças às contradições destas alianças que escondem os conflitos de classe e reforçam o "brasileiro cordial", vemos surgir, como filho espúrio, a necessidade de se entender para transformar "as relações conflituosas" no Brasil.

Acabou o brasileiro cordial e surgiu a exclusão e o ódio de classe.


Os golpistas aceitam Bolsonaro por não aceitar Lula?

O PSDB aceita subordinar-se ao Centrão fascista e corrupto por não aceitar Lula?

O Judiciário aceita Bolsonaro e o Centrão por não aceitar Lula?

A Imprensa faz campanha para Bolsonaro e leva o Brasil para a direita reacionária, por não Lula?

Lula foi o melhor presidente que o Brasil já teve e ganhará as eleições no primeiro turno se a direita golpista aceitar as regras democráticas e deixar Lula candidatar-se e fazer parte da lista eleitoral para presidente do Brasil.

Lula ganhará no primeiro turno.
Livre da cadeia ou mesmo estando na cadeia arbitrariamente.

Eleições sem Lula é fraude.

Mesmo com a imprensa boicotando, o povo prefere Lula.
Mesmo com o judiciário mentindo, o povo prefere Lula.

Se a democracia pressupõe o respeito ao povo,
Se eleições for para consolidar a democracia,

O povo tem direito de ser respeitado
e exercer seu direito de votar em Lula.



Nenhum comentário:

Postar um comentário